+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Construção e manejo de tanques: como garantir bem-estar dos organismos aquáticos

Modificado em: junho 28, 2024

A criação de organismos aquáticos deve ser planejada cuidadosamente para que os produtores possam oferecer um produto final de alto nível aos seus clientes. Portanto, é fundamental conhecer as melhores técnicas para a construção de tanques.

Além disso, é indispensável entender as melhores estratégias de produção, de modo que você possa combinar todas as boas características possíveis: alta produtividade, bem-estar dos organismos aquáticos e custos enxutos.

Continue a leitura para saber mais sobre construção e manejo de tanques!

Importância da infraestrutura adequada e de equipamentos para criação de peixes

Com o passar dos anos, a discussão sobre o bem-estar dos peixes e dos demais organismos aquáticos em práticas como a aquicultura e piscicultura ganhou força. Afinal, os consumidores estão mais preocupados com a origem da proteína animal que consomem.

Como se não bastasse, os próprios produtores têm ciência de que manter os peixes sob condições extremas de estresse prejudica a produtividade — além do mal-estar com clientes que preferem que as práticas sejam mais sustentáveis.

Vale notar que circunstâncias adversas nos tanques podem desencadear mudanças fisiológicas nos peixes e nos organismos aquáticos, como alterações metabólicas. Isso gera um aumento de infecções e, consequentemente, elevação da taxa de mortalidade.

Técnicas de dimensionamento, construção e manejo de tanques

Conheça as principais técnicas para construir tanques de qualidade, assim como estratégias de manejo para garantir a produtividade.

Formatos

Antes de falar sobre os tipos de tanques, é importante fazer algumas observações em relação ao formato e à profundidade. O tanque não pode ser nem muito pequeno nem grande demais. No primeiro caso, eles aumentam os custos do produtor. No segundo, o manejo se torna muito demorado.

Uma boa ideia é adotar as medidas utilizadas na piscicultura de acordo com a quantiadade e características dos animais que pretende alocar nos tanques para a criação de peixes.

Essa variação ocorre por conta das diferentes espécies que podem ser cultivadas neles. Nesse sentido, algumas precisam de mais espaço (como o bagre) — já outras se desenvolvem bem em ambientes menores (como o piau).

Os tanques retangulares estão entre os mais utilizados para a criação de peixes e organismos aquáticos em geral, já que facilitam a manutenção e proporcionam o bem-estar.

Contudo, alguns piscicultores preferem os tanques com formas circulares. Isso varia de acordo com o peixe escolhido para a criação. Para exemplificar, confira as espécies de peixes que se encaixam melhor no tanque circular:

  • lambari;
  • panga;
  • tilápia;
  • bagre;
  • truta;
  • pirarucu;
  • matrinxã;
  • entre outras espécies.

Outra vantagem dos tanques circulares é a boa capacidade de estocagem de peixes e a circulação de água no tanque. Por sua vez, os retangulares e quadrados são indicados para a produção de organismos que não necessitam de tanta renovação da água.

Tipos de tanques

O formato dos tanques pode ser circular, retangular e quadrado, mas também há uma diferença em relação à construção. Por isso, temos os seguintes tipos:

  • tanques de terra: eles reproduzem com fidelidade o habitat dos peixes. Uma dica para facilitar o manejo é que eles sejam construídos diretamente na terra e revestidos com manta de PVC;
  • tanques de alvenaria, formados por concreto, cimento ou argamassa: alguns dos tanques de alvenaria têm um fundo de terra para facilitar a adaptação dos organismos. Aí, só a parede é revestida de cimento e manta de PVC;
  • tanque suspensos de lona de PVC;
  • tanques-rede, estruturas flutuantes que permitem a passagem do fluxo da água e dos desejos dos peixes. Esse modelo permite a criação em grandes reservatórios de água (até mesmo em rios e mares) e facilita a observação dos organismos aquáticos no dia a dia.

Também é importante notar que os tanques se dividem entre escavados, construídos no próprio solo, e suspensos, montados com a estrutura acima do solo.

Topografia e solo

Em termos de topografia, é preciso aproveitar ao máximo o terreno disponível para a construção do tanque. Assim, ele ficará mais estável. Para isso, é preciso estar atento às melhores características de solo.

Um solo com boas condições para a construção de tanques e viveiros é o argiloso, principalmente aquele que tem baixa permeabilidade. Essas características permitem a construção de diques estáveis.

Por sua vez, os solos arenosos com cascalho dificultam a construção, a estabilidade e o manejo, já que eles tendem a apresentar um nível maior de infiltração — o que exige mais água.

Manejo

A definição do modelo de tanque a ser implementado em práticas de aquicultura ou piscicultura a ser utilizado deve considerar outro fator relevante: o tipo de manejo que melhor se adapta às suas necessidades.

Isso também passa pela análise dos organismos aquáticos que você pretende criar, uma vez que cada espécie depende de procedimentos específicos. De qualquer modo, alguns pontos que devem ser considerados para o bom manejo são os seguintes:

  • espaço disponível para a implementação do tanque;
  • qualidade das fontes de água disponíveis;
  • quantidade de água disponível;
  • métodos de produção, entre outros.

Recursos hídricos e abastecimento

Se o habitat natural dos organismos aquáticos é a água, é indispensável que você esteja sempre atento à qualidade e disponibilidade dela. Nesse sentido, é preciso verificar se há quantidades suficientes para a implementação e manejo do seu tanque.

Outros cuidados são a verificação da origem da água, propriedades biológicas, físico-químicas e a vazão. Temos um conteúdo específico para que você entenda como garantir o abastecimento.

Veja os sistemas mais comuns:

  • abastecimento por gravidade: esta opção só pode ser implementada em áreas de represas e nascentes localizadas em níveis acima do tanque. Desse modo, a distribuição será feita por canais abertos ou por tubulação;
  • abastecimento por bombeamento: ideal para quando a fonte de água se localiza abaixo do nível do tanque, como no caso dos poços. Nesse caso, a distribuição é realizada por tubulação pressurizada, com o uso de uma bomba que chega até a entrada do tanque.

Um detalhe importante é que o abastecimento por gravidade é capaz de reduzir os custos operacionais de manejo com o tanque, além de evitar falhas no sistema causadas por problemas na energia ou danos nas bombas.

Como garantir a qualidade da água e bem-estar dos organismos aquáticos

Depois de falar dos detalhes de construção e manejo, confira algumas dicas para garantir o bem-estar dos peixes e demais organismos aquáticos.

Nutrição

Atendidos todos os critérios técnicos, é importante cuidar do manejo e do bem-estar dos organismos aquáticos. Nesse sentido, uma das principais preocupações que surgem tem a ver com o manejo alimentar dos peixes.

Em primeiro lugar, para garantir uma boa nutrição é necessário entender quais são os hábitos de alimentação de cada espécie de peixe que você deseja cultivar.

Depois, é preciso implementar uma ração de alto padrão, de boa procedência e que tenha todos os nutrientes necessários para a produção crescer. Considerando os hábitos alimentares daquela espécie, procure saber sobre os níveis de proteína, a digestibilidade da ração e o teor energético dela.

Isso porque esses fatores são específicos para cada tipo de organismo aquático. Um detalhe interessante é que espécies de piscicultura se dão bem com rações com um nível maior de proteínas — principalmente peixes com hábitos carnívoros, como o dourado e o pintado.

Manutenção da qualidade da água

Os parâmetros de qualidade da água devem ser monitorados regularmente no tanque, uma vez que os peixes estão sempre interagindo com o ambiente.

Por isso, é preciso estar atento a fatores como a salinidade, nível de oxigênio dissolvido, pH e nível de amônia. Eles afetam diretamente o bem-estar dos animais.

Capacitação técnica para monitorar comportamentos anormais

É importante fazer cursos e participar de programas de treinamento para identificar sinais de estresse e mudanças comportamentais nas espécies, de acordo com as características de cada uma. 

Cuidado com a densidade de estocagem dos organismos

A superlotação de peixes em um só tanque aumenta o estresse animal. Os níveis de cortisol e glicose plasmática, por exemplo, sobem perigosamente. Por isso, ter um nível de ocupação intermediário garante a saúde das espécies, aumenta a eficiência do crescimento dos peixes e diminui a probabilidade de que patógenos se espalhem pela sua produção.

Uso da bomba para o transporte

Essa tecnologia evita o estresse dos outros métodos de transporte — e aumenta o bem-estar dos organismos aquáticos — caso seja necessário realizar o manejo entre diferentes instalações.

Como escolher os melhores métodos e equipamentos

Para escolher os melhores equipamentos, de acordo com as suas necessidades produtivas, é muito importante selecionar uma empresa que seja referência em tanques. Afinal, a construção e o manejo deles é detalhada, portanto, é essencial priorizar produtos de qualidade.

Alguns dos equipamentos que ajudam aqueles que querem ter sucesso na aquicultura são os seguintes:

  • Viniarco: um galpão em arco que é sustentado por uma estrutura de metalica. O Viniarco é indicado para aquicultores na produção de alevinos e juvenis de peixes, larvicultura de organismos aquáticos, manejo reprodutivo de pós-larvas de camarão, ranicultura (criação de rãs), laboratório de pesquisa sobre produção e nutrição de organismos aquáticos;
  • Vinitanq: conhecido também como tanque-rede, fica submerso na água e é fabricado com o legítimo Sannet, uma tela de poliéster de alta tenacidade recoberta com PVC flexível resistente a intempérie, garantindo a flexibilidade necessária ao manejo da produção. 
  • Vinitank: reservatório circular pré-moldado, fabricado com tela soldada de fios de arame de aço carbono galvanizado à fogo e bolsão confeccionado com laminado de PVC reforçado com tecido de fios de poliéster de alta tenacidade.
  • Vinimanta: trata-se de uma geomembrana, manta de PVC destinada ao bloqueio das perdas de água por infiltração em tanques, reservatórios, viveiros, lagoas e unidades de produção de organismos aquáticos com manejo intensivo.

A Sansuy ainda oferece acessórios para o transporte de peixe, capas de chuva e outros. Quando você escolhe os melhores equipamentos e segue os métodos que citamos aqui, você terá materiais duráveis para trabalhar, que se adequem às características dos organismos aquáticos.

Outra dica é verificar o espaço disponível, de modo que você utilize o local da melhor forma possível. Também é importante verificar a sua capacidade de estocagem e de circulação. A escolha da qualidade da lona do tanque é outra característica que não pode ser negligenciada.

Agora que você entendeu os principais pontos relacionados à construção de tanques, já conhece os detalhes para acertar na estrutura do seu próprio reservatório de água. Lembre-se de que diferentes organismos aquáticos exigem diferentes cuidados, como a escolha da ração e até mesmo o formato do tanque. Por isso, é preciso ter todos esses detalhes registrados antes de começar.

Se você gostou deste conteúdo, aproveite a visita ao blog para saber mais sobre o tanque circular!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Materiais Gratuitos