Voltar para a página inicial

Aquicultura 4.0: o que é e como se adaptar às transformações?

Modificado em: maio 31, 2023

Neste artigo, vamos trazer um panorama sobre a aquicultura 4.0. Afinal, a tecnologia vem transformando a produção de organismos aquáticos: graças a ela, mais do que agilizar processos, hoje em dia, é possível ter acesso a dados que antes não eram tão facilmente obtidos. Isso ajuda os produtores a tomarem melhores decisões.

As transformações promovidas pela aquicultura 4.0 incluem tempo de produção, preservação ambiental, segurança alimentar e transparência, o que traz benefícios para todos os envolvidos, desde os criadores até os consumidores.

projeto de aquicultura rentável

Para saber mais sobre o tema, siga em frente com a leitura!

O que é e como funciona a aquicultura 4.0

A chamada aquicultura 4.0 tem como base a mesma atividade realizada desde 4.000 a.C. pelos egípcios e chineses. A diferença é que ela agrega conhecimento científico, tecnologia e consciência social e ambiental para proporcionar o melhor produto aos consumidores, sem deixar de levar em conta os impactos à natureza.

Mover a aquicultura para ambientes onde ela não é tão praticada — inclusive nos oceanos —, usar fontes de energia renováveis e aplicar a tecnologia para melhorar a rastreabilidade do produto (e, assim, aumentar a confiança dos consumidores e o próprio consumo de peixe) são alguns exemplos de atividades associadas à aquicultura 4.0.

Essas mudanças na forma como se desenvolve a aquicultura são essenciais diante de um cenário que passa por constantes alterações. A indústria da alimentação vem passando por transformações significativas no comportamento das pessoas, que, cada vez mais, buscam alternativas saudáveis de alimentação.

Nessas condições, o consumo de peixes e outros frutos do mar vem crescendo na comparação com a carne vermelha. Isso exige soluções por parte de quem atua na área, afinal, é preciso atender a demanda crescente do mercado — e isso com o desafio de manter a atividade sustentável ao longo dos anos.

Quais são as principais transformações da aquicultura 4.0

A seguir, apresentaremos algumas das principais transformações promovidas pela aquicultura 4.0. Confira!

Novas tecnologias

Você já ouviu falar em “Smart Farming”? Trata-se de um conceito usado no agronegócio e diz respeito às tecnologias utilizadas nas fazendas para o cultivo de alimentos com melhores resultados. Com base em dados obtidos com apoio de GPS, sensores, imagens de satélite e drones, os agricultores tomam decisões mais embasadas no seu negócio. Assim, nasceram as “fazendas inteligentes”, em uma tradução livre do termo em inglês.

O mesmo já está ocorrendo na aquicultura. O uso de sistemas RAS (Aquicultura em Sistema de Recirculação) possibilta o tratamento contínuo da água, permitindo o seu reúso — seja ele total ou parcial. Além de melhorar as condições de criação dos peixes — o que qualifica o produto final —, essa tecnologia favorece o uso ambientalmente consciente do principal recurso natural da aquicultura.

Análise de dados

A análise de dados caminha de mãos dadas com as novas tecnologias. Com informações cruciais em mãos, os aquaculturistas podem tomar decisões embasadas em tempo real. Isso ocorre por meio do apoio de aplicativos de gerenciamento, que comportam dados biológicos, técnicos e econômicos.

Dessa forma, em vez de basearem-se em previsões, como faziam até pouco tempo atrás, os criadores trabalham calcados em informação e conhecimento. Isso traz resultados melhores — talvez não em curto prazo, mas, certamente, após um período de adaptação.

Cultivo de peixes offshore

O afastamento da costa é outro fator importante para a manutenção do equilíbrio ambiental. Por meio da aquicultura offshore, realizada em alto mar, torna-se viável a criação de peixes de forma mais sustentável, salvaguardando as necessidades biológicas das espécies.

Segurança alimentar

A segurança alimentar, em toda sua extensão, deve garantir um mundo sem fome — sabe-se que a quantidade de alimentos a ser produzida deve aumentar em 70% em um período de 30 anos, e a aquicultura é parte essencial desse trabalho.

A maneira como os recursos são gerenciados precisa ser repensada, ou eles se tornarão insuficientes nos próximos anos. É por isso que essa capacidade de gerenciamento é tão essencial e é parte do conceito de aquicultura 4.0. Mais do que oferecer alimentos seguros do ponto de vista da qualidade e saúde, é preciso pensar na quantidade demandada pela população mundial, especialmente no período crítico que engloba as próximas três décadas.

Bem-estar animal

O bem-estar animal, cada vez mais, passará a ser medido com sensores capazes de determinar o efeito da dieta, a saúde e, até mesmo, o sacrifício dos peixes. O consumidor, cada vez mais consciente e exigente, saberá identificar a diferença entre um produto tratado de forma ética e aquele que sofreu durante a produção.

Rastreabilidade

Muitas dessas questões, como bem-estar animal e segurança alimentar, precisam ser comunicadas de forma transparente no cenário da aquicultura 4.0. A tecnologia, mais uma vez, pode ajudar nesse desafio.

Alguns produtores já vêm inserindo QR Codes nas embalagens de suas mercadorias, o que permite aos consumidores acessarem uma série de dados, desde o país de origem do produto até a validade e o Registro Geral de Pesca. Tudo para garantir uma cadeia sustentável e alimentos saudáveis para todos.

Como se adaptar à aquicultura 4.0

Os investimentos em tecnologia e conhecimento a respeito da aquicultura dependem de, basicamente, dois fatores: interesse (tanto de empresas que atuam na área quanto do governo) e investimentos.

Há notícias sobre o interesse governamental em fomentar estudos e pesquisas que possibilitem um desenvolvimento mais evidente da aquicultura 4.0 no país. No entanto, é fundamental também que os produtores busquem se informar.

Ler sobre o assunto em publicações especializas e na internet, participar de congressos e eventos focados na aquicultura e, especialmente, incentivar os governos locais (e também em nível federal) a desenvolverem essas práticas no país são pontos essenciais para que a aquicultura 4.0 se torne uma realidade no Brasil nos próximos anos.

A partir desse conhecimento sobre a aquicultura 4.0, a compra de produtos, equipamentos e tecnologias capazes de promover o cultivo de peixes de forma sustentável se torna mais embasada. É dessa forma que o país conseguirá recuperar o tempo perdido e se equiparar às melhores práticas já desenvolvidas em locais como a Noruega — a partir de incentivos decisivos da União Europeia.

Esperamos que tenha gostado do conteúdo sobre aquicultura 4.0, um tema essencial para o crescimento sustentável de qualquer negócio no ramo. Agora, que tal continuar a leitura com este artigo sobre criação de peixes em tanque circular?

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos