Voltar para a página inicial

Como decidir qual o melhor tanque para peixe? Descubra aqui!

Modificado em: maio 31, 2023

Ser piscicultor é muito mais do que simplesmente criar peixes. Em primeiro lugar, você precisa escolher uma espécie e saber o manejo adequado para manter tudo sob controle. Nesse contexto, saber qual é o melhor tanque para peixe é o segredo do sucesso.

Cada tipo de tanque tem características diferentes e distinguir qual é o certo para a espécie que você está criando é essencial durante a produção. Foi exatamente para auxiliar você a decidir qual o tanque de peixe ideal que nós desenvolvemos este texto, trazendo os principais tópicos sobre o assunto e esclarecendo todas as dúvidas a respeito.

Não perca tempo, confira agora o conteúdo completo!

Qual a importância de escolher um bom tanque?

Antes de começar a criar peixes, é fundamental estar ciente das variadas formas como um organismo aquático pode ser tratado e da importância da escolha do melhor tanque para peixe.

Neste artigo, você vai ficar sabendo como essa escolha deve ser minuciosa e bastante estudada. Afinal, essa tomada de decisão envolve uma série de fatores, que vão desde o tipo de peixe a ser criado, até o formato, tamanho e materiais a serem usados na construção do tanque

Escolher um bom tanque para peixe não é tarefa simples. Diversos pontos devem ser considerados pelo piscicultor na hora de tomar sua decisão. Apesar disso, realizar uma boa escolha acarreta diversos benefícios para a sua produção.

Adquirir o produto adequado facilita as operações de manejo necessárias ao processo produtivo. Ou seja, durante as operações corriqueiras de uma criação de peixes, o piscicultor conseguirá perceber que cada tipo de tanque carrega um benefício para determinada atividade da sua produção.

Alguns pontos essenciais que devem ser considerados na hora de escolher o tanque:

  • facilidade de limpeza;
  • impacto e estresse na captura;
  • particularidades da alimentação;
  • controle das condições ambientais;
  • manutenção da qualidade da água;
  • remoção de sólidos ou restos de alimentos e fezes.

Quais os benefícios de um tanque para peixes?

Durante a escolha de um tanque novo é possível observar que cada produto tem suas características específicas, mas que todos eles apresentam vantagens em comum. Abaixo, preparamos um guia com os maiores benefícios em instalar um tanque na sua criação de peixes. Confira!

Praticidade na hora da venda

Todos os fatores mencionados acima são decisivos para o negócio progredir. Mas é preciso pensar além, fazendo até mesmo uma “previsão do futuro”, dentro do possível, é claro!

Quando o processo de criação dos peixes termina, é necessário estar preparado para o que vem pela frente. Isso significa ter praticidade para tirar o peixe de dentro da água, ou melhor, separar a água do peixe para facilitar a captura e minimizar o estresse a fim de entregá-lo para venda.

Geralmente, os caminhões que buscam os peixes nas propriedades e os transportam para as plantas processadoras trabalham com hora marcada. Por isso, a agilidade na colheita também deve ser considerada durante a escolha do tipo e tamanho do tanque.

Um exemplo prático: imagine montar uma unidade de produção em que é possível colher 100 toneladas de peixe, mas a capacidade de transporte da região é de apenas 30 toneladas. O resultado desse planejamento mal-elaborado é que o produtor realizará uma colheita parcial, correndo o risco de estressar (e até mesmo machucar) os animais dentro do tanque. Isso pode ser a porta de entrada para organismos capazes de causar doenças, portanto, carece de atenção.

Devemos, então, dimensionar os tanques para que, uma vez iniciada a colheita, essa tarefa vá até o fim, retirando todos os peixes da unidade de produção com agilidade e rapidez para minimizar lesões, estresse e a perda de escamas.

A consequência disso é sentida no bolso, já que o preço do pescado no mercado é afetado. Ou seja, todo o investimento vai — perdoe-nos pelo trocadilho — por água abaixo.

Redução de custos

Escolher um bom tanque para peixe também ajuda a reduzir os custos e os impactos ambientais. Uma pesquisa realizada pela Universidade do Estado da Bahia analisou o impacto da larvicultura de tilápia em ambientes sem controle e proteção, nos quais foi observada a presença abundante de larvas de insetos na água dos viveiros. Os resultados foram arrasadores, com níveis de mortandade de até 76% das larvas dos peixes alojados em um viveiro em um período de apenas 30 dias.

Em tanques abrigados e protegidos, isso dificilmente aconteceria, pois a instalação deles no interior do viniarco® granjAquática permite maior controle sobre a produção. É possível evitar o acesso e o contato de insetos, animais silvestres, vetores de doenças e infestações e até de predadores, mesmo aqueles com apenas alguns milímetros de comprimento. Como resultado, a unidade de produção se torna mais eficiente e produtiva.

Menos antibióticos

Para garantir a segurança da produção de peixes, é preciso evitar infecções e micro-organismos maléficos na sua área de criação. Assim, é comum o uso indiscriminado de antibióticos por parte de alguns produtores, com o objetivo de evitar que essas infecções tomem conta do ambiente.

No entanto, esse tipo de prática também tem efeitos negativos sobre os peixes e a natureza. Em uma tese de doutorado do Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA), da Universidade Federal de São Paulo (USP), ficou constatado que o uso de antibióticos em excesso pode contaminar o meio ambiente e facilitar o surgimento de cepas de bactérias resistentes.

Algumas dessas bactérias podem, inclusive, trazer prejuízos para a saúde humana. Portanto, os tanques devem se comportar como aliados para evitar que isso ocorra, uma vez que prevenir é melhor que remediar. Assim, a limpeza do ambiente de produção feito de materiais como a lona de PVC, por exemplo, mostra-se mais prática e eficiente do que higienizar viveiros escavados.

Menos de perdas de mercadoria

Ao utilizar um tanque na sua criação de peixes você oferece mais proteção para os animais em diversos aspectos, inclusive contra o ataque de predadores. Além disso, algumas espécies conseguem romper certos tipos de tanques feitos de telas e tampas de qualidade inferior.

Para que esse benefício seja posto em prática de maneira eficiente, certifique-se de que o produto adquirido é de boa qualidade. Para tanto, procure por um fornecedor seguro antes de realizar esse investimento.

Empresas especializadas devem disponibilizar produtos desenvolvidos com tecnologia de ponta e material de primeira linha — nesse sentido, avaliar esses aspectos é fundamental para que você faça uma boa escolha e opte por um fornecedor que possibilite uma boa experiência e segurança durante os procedimentos na sua cultura de peixes.

Aqui, vale ressaltar que nem todos os tanques apresentam um bom desempenho. Muitos deles são feitos com materiais menos resistentes, portanto, a verificação se faz primordial para garantir que tal mercadoria atenderá sua demanda.

Padronização do tamanho e peso dos peixes

Ao optar por uma criação que utiliza tanques para peixe, você será capaz de padronizar o tamanho e peso dos animais, justamente por ter a opção de separá-los e criá-los de acordo com a idade. Assim, será possível otimizar a sua produção, evitando estresse para separar e abater somente aqueles animais que atingiram o peso ideal. Isso deixa todo o processo mais organizado, fator que impactará diretamente no lucro obtido no final.

Controle sobre alimentação

Criar peixes em tanques facilita o processo de alimentação exatamente porque o manejo fica mais organizado. Não apenas isso, a padronização do tamanho e peso dos peixes interfere diretamente na parte alimentar. Pois, quando todos os animais estiverem com proporções equivalentes, você saberá exatamente a quantidade de ração necessária ao manejo.

Quais são os tipos de tanque para peixe?

O piscicultor conta com algumas opções na hora de escolher seu tanque para peixe. Confira!

Tanques e viveiros de terra

O tanque de terra é instalado por meio de uma escavação e é considerado uma das melhores escolhas para quem quer reproduzir o ambiente natural no qual os peixes habitam. A construção da sua estrutura é simples e, por isso, requer um baixo investimento inicial. Por outro lado, apresenta manutenção delicada, além de reparos frequentes.

Esses tanques são considerados os modelos mais “naturais” e próximos das condições encontradas no habitat dos peixes. Sempre que forem construídos diretamente na terra, devem ter formato retangular, quadrado ou circular para que o manejo e a limpeza sejam facilitados.

No entanto, algumas espécies de peixe se adaptam melhor a tanques circulares, pois simulam o movimento das águas de forma mais próxima ao seu habitat. Eles também são chamados de tanques infinitos, pois o hábito de se agregarem em cardumes e de nadar em círculos faz com que os peixes nunca encontrem o fim desse espaço.

Por fim, cabe ressaltar que a estrutura desse tanque apresenta uma capacidade de armazenamento enorme, permitindo o rápido desenvolvimento e crescimento dos animais, o que favorece verdadeiramente a sua produtividade. É recomendado instalá-lo em cultivos intensivos ou semi-intensivos.

Tanques e viveiros de alvenaria

Os tanques feitos com alvenaria, cimento, argamassa armada ou concreto são uma espécie de “evolução” do tanque de terra. Podem também apresentar fundo natural, em terra, porém, as paredes laterais são revestidas de alvenaria, o que torna sua manutenção e operação mais simples e sua duração maior que o modelo de terra.

Tanques de lona de PVC

Os tanques de lona de PVC são os mais práticos, pois permitem limpeza e higienização simplificadas. A aeração — processo que incorpora o oxigênio do ar na água, evitando a produção e o acúmulo de gases tóxicos no ambiente aquático que podem colocar em risco a vida dos peixes — realizada nesses tanques costuma trazer segurança para o processo produtivo e resultados mais rápidos para os piscicultores. Tilápias, pirarucus e pacus costumam se dar bem nesse tipo de tanque.

Tanque elevado

A utilização dos tanques elevados vem crescendo constantemente entre piscicultores preocupados em aumentar a produtividade e facilitar a manutenção da criação. Nesse modelo, podemos destacar como pontos positivos a fácil instalação, o baixo consumo de água e sua estrutura ampla que comporta uma quantidade maior de animais.

O sistema, que foi fabricado para otimizar o manejo da criação, possibilita a visualização de todo ambiente do cativeiro e a realização do controle de qualidade e temperatura com grande facilidade. Isso porque o tanque apresenta seu próprio sistema hidráulico, impedindo o contato com a água e com o ambiente externo, o que evita o risco de contaminação.

Realizar o processo de despesca com o tanque suspenso é muito mais fácil, uma vez que os peixes podem ser devidamente preparados para esse fim dentro da própria estrutura. Essa também é uma ótima opção para os piscicultores que desejam ver a sua criação livre de predadores.

Tanque-rede

Tanques-rede são produzidos em um formato parecido com uma gaiola, no qual as laterais dos produtos são feitas de telas ou redes, para facilitar a circulação de água entre o tanque e o meio externo. Você pode optar por instalá-los com flutuadores, em um ambiente em que o nível da água varia de tempos em tempos, ou com pontos fixos, onde essa variação não existe.

As culturas produzidas nesse tipo de tanque devem ser intensivas e são mais adequadas durante a fase de engorda dos peixes. Por esse motivo, é muito importante que você realize um monitoramento da sua capacidade e da sua temperatura constantemente.

Além disso, para que você possa tirar o melhor proveito desse equipamento, é recomendável instalar um comedouro que evite que a ração seja carregada para fora do tanque, vez que o alimento costuma ficar flutuando na superfície da água.

Um dos maiores benefícios do tanque-rede é seu baixo custo aliado à instalação relativamente simples, além da facilidade durante o manejo e os ganhos na produtividade. Da maneira como ele é construído — diretamente na água —, torna-se desnecessário escavar a terra ou desmatar áreas verdes para instalá-lo. Aqui, destaca-se também que esse tanque é indicado para locais onde a pesca é desfavorável, pois ele possibilita a produção durante todo o ano.

Qual a diferença entre viveiros e tanques para a criação de peixes?

Viveiros e tanques são considerados dois ambientes distintos para uma cultura de peixes. O viveiro é desenvolvido para parecer o mais próximo possível ao meio ambiente dos animais aquáticos, pois reproduz de maneira fiel o seu habitat. Já o tanque é uma estrutura artificial que, geralmente, é revestida com outro material.

A água do viveiro é trocada constantemente, seja por meio de uma estrutura de barragem ou por derivação. O tanque, por sua vez, por apresentar um revestimento de outro material, será sempre abastecido por derivação por nascentes, bombeamento de água ou canal.

Como escolher o tanque para peixe ideal?

Tudo começa com a escolha do tipo de peixe a ser alojado e produzido, além do volume desejado. A partir daí o produtor “monta o quebra-cabeça” e define o formato e o tipo de tanque preferido, bem como a profundidade e as formas de controlar as condições da água, além da segurança do ambiente de produção.

Formato

Sabe-se que o formato circular, aliado a um sistema alimentar intensivo, com altas densidades de estocagem e intensa circulação e renovação de água nos tanques ou viveiros, é o mais indicado para a criação de trutas, lambaris, matrinxãs, tilápias, bagres, panga e pirarucus. Entretanto, outras espécies não se adaptam tão bem a esse formato de tanque e modelo de produção.

Assim, os retangulares e quadrados são os mais recomendados à produção de organismos aquáticos em ambiente protegido com pouca ou nenhuma renovação de água, chamado de bioflocos.

Profundidade

Recomenda-se que os tanques e viveiros de produção de organismos aquáticos apresentem entre 0,80 e 4,00 m de profundidade. Outra variável importante é a definição de quais espécies serão cultivadas — por serem maiores, algumas necessitam de mais espaço.

Manejo dos peixes

Outra questão importantíssima no momento de definir qual é o modelo de tanque ou viveiro mais apropriado para a produção de determinada espécie de peixe ou organismo aquático é o manejo a ser adotado. Ainda, deve-se considerar que, dependendo da espécie, o manejo deve ser realizado de uma forma específica.

Entretanto, há mais detalhes que precisam ser considerados, sendo necessário muito estudo para chegar a uma conclusão mais precisa. Veja alguns outros pontos críticos na hora de definir qual tanque ou viveiro construir, ou comprar:

  • espaço disponível para instalação do tanque ou viveiro;
  • qualidade da fonte e quantidade de água disponível na região;
  • o método de produção de peixes a ser utilizado, entre outros.

Porém, focaremos em dois tipos de tanque de peixe com mais recomendações de uso. O tanque suspenso é o primeiro deles. Como esse modelo fica acima do nível da terra, eliminando a necessidade de fazer uma terraplanagem, sua instalação ocorre de forma rápida. Nesse sentido, o tratamento da água é feito com ainda mais facilidade.

Por outro lado, o segundo modelo é o tanque escavado. Conforme citamos nos tópicos anteriores, esse tipo de tanque exige a terraplanagem e o revestimento com geomembrana. Entretanto, sua maior vantagem em relação ao tanque elevado é seu custo-benefício. O valor para cavar um metro cúbico de terra é menor que o valor de instalação da estrutura do suspenso.

De todo modo, você deve sempre levar em conta a topografia do local antes de escolher a melhor estrutura.

Quais os principais tipos de peixe para tanques?

Quem trabalha no ramo sabe que criar peixes é um negócio voltado sobretudo para o consumo humano e aquários de ornamentação. A piscicultura é um ramo que exige trabalho duro, mas, em contrapartida, pode apresentar uma alta rentabilidade. Entre as exigências para obter um bom resultado na produção, escolher corretamente o tanque e a espécie são os mais decisivos.

É certo que escolher a espécie adequada ao tipo de tanque que será utilizado exige que você esteja por dentro de alguns fatores. Confira:

  • capacidade da espécie em resistir ao clima e ao manejo;
  • ciclos de reprodução;
  • capacidade da espécie em crescer com saúde mesmo estando em cativeiro;
  • convívio com outras espécies de peixe em policultivos.

Confira abaixo as principais espécies de peixe que podem ser criadas em tanques. Leia!

Tambaqui

O tambaqui é um peixe amazônico e apresenta diversas características que facilitam a criação da espécie em tanques ou viveiros escavados. Sabe-se que é um peixe que se adapta facilmente ao policultivo, exceto nos casos em que ele faça parte da espécie predominante. Podendo ser alimentado por frutos, sementes e ração, o tambaqui chega a pesar aproximadamente 45 quilos e medir 1 metro de comprimento, quando adulto.

Dourado

O dourado é comumente conhecido como peixe esportivo e seu habitat natural é nas bacias dos rios Paraná, Paraguai, Uruguai, Mamoré e Chapare, além daqueles conectados aos Lagos dos Patos.

Pode ser considerada uma espécie boa de criar em tanques exatamente por apresentar um crescimento e ganho de peso acelerado, além de um mercado aquecido pelo seu sabor de qualidade. Trata-se de um peixe que responde perfeitamente às rações industriais, apesar de ser uma espécie carnívora.

Tilápia

A tilápia é bastante comum na piscicultura e sua criação pode ser um ótimo negócio, graças à sua capacidade reprodutiva que chega a completar até quatro ciclos em um ano. Além disso, essa é uma espécie com a capacidade de resistir à troca de temperatura e às concentrações de sal na água. O comércio de alevinos de tilápia também facilita a criação, pois esse é um peixe fácil de encontrar.

Carpa

As espécies de carpa apresentam bastantes variações, como a carpa-capim, carpa comum e até a carpa ornamental, sendo essa última bem conhecida e com ótimas perspectivas para a criação. Esse é um animal que pode ser criado com outras espécies e é utilizado tanto para a alimentação humana quanto para criações ornamentais.

Trata-se de uma espécie com alimentação eclética podendo ser alimentada por fontes animais ou vegetais. Existem relatos de carpas que chegam a pesar até 100 quilos, mas, comercialmente falando, você encontrará animais entre 2 a 6 quilos.

Pacu

O pacu é uma espécie de destaque na piscicultura nacional, sendo um dos peixes mais cultivados em todo o país. Esse é um fenômeno que se deve à facilidade do peixe em adaptar-se à criação em tanques. Trata-se de uma espécie que pode ser alimentada facilmente com ração industrializada e que sobrevive nas regiões mais frias do Brasil. Sua carne merece reconhecimento e é muito apreciada devido ao sabor e textura.

Como obter o melhor desempenho do seu tanque para peixes?

Após realizar a compra do seu tanque para criação de peixes, alguns cuidados básicos para mantê-lo nas condições ideais de uso deverão ser tomados. Abaixo, preparamos dicas para você que já trabalha com esse tipo de material na sua produção. Confira!

Faça a higienização do tanque

Realizar a higienização do seu tanque antes de começar a criação e após o abate dos animais é uma maneira de preservar a integridade dos peixes e evitar a proliferação de doenças. Por esse motivo, sempre verifique se o local está devidamente limpo para não colocar a sua produção em risco.

Faça o controle de temperatura do tanque

Certificar-se de que a água está na temperatura adequada melhora consideravelmente os resultados da sua produção, pois os peixes necessitam de um controle térmico eficiente para que possam se desenvolver corretamente. Assim, para evitar perdas por mortes e doenças, é essencial que você realize esse manejo corretamente.

Faça a seleção do local com eficiência

Outra maneira de potencializar o desempenho do tanque é escolhendo um local com profundidade adequada, boa qualidade de água e livre de embarcações e outros obstáculos. Em relação à infraestrutura, as gaiolas devem ser confeccionadas com arame galvanizado, revestido de polietileno. Assim, elas poderão evitar a fuga dos peixes e possíveis ataques de predadores.

Faça o controle do material genético

Uma boa forma de manter o alto padrão na criação de peixes é priorizando a aquisição de espécies com fornecedores credenciados e com excelente histórico do mercado. Dessa forma, você elimina as chances de trabalhar com peixes adoecidos, por exemplo, que podem prejudicar todo o seu negócio.

Faça a alimentação dos peixes com uma ótima ração

Oferecer uma ração de qualidade aos peixes é outro fator que influencia no desempenho do tanque e, consequentemente, no sucesso da criação. Como existem inúmeras marcas de ração no mercado, evite comprá-las com base somente no preço.

Rações de boa qualidade oferecem ótima conversão alimentar e reduzem os custos de produção. Além disso, peixes bem alimentados se estressam e adoecem menos.

Como a escolha adequada do tanque ajuda a evitar perdas na produção?

Você necessita compreender que ao construir um tanque para peixes é necessário todo um conhecimento da topografia do relevo e do tipo de solo existente no local escolhido. Também é importante analisar a água que será utilizada para abastecimento, principalmente durante as secas. Assim, escolher o tipo de tanque ideal de acordo com cada característica citada é uma atitude capaz de evitar prejuízos na sua produção, em função da perda de peixe.

Quem trabalha com piscicultura e conhece os processos de reprodução de alevinos em cativeiro, sabe da necessidade de escolher um viveiro adequado antes e depois da procriação. Como citamos, existe uma variedade de tanques presentes no mercado, cada um atendendo a uma necessidade específica.

No geral, tanques de terra apresentam maior necessidade de cuidado a manutenção cautelosa, apesar de manterem um meio ambiente semelhante ao natural dos peixes e serem conhecidos pelo baixo preço. Já os de alvenaria não necessitam de tantos cuidados, podendo ser revestidos com tijolos e argamassa.

Tanques-rede podem ser uma boa opção para quem deseja ter uma criação cautelosa, que oferece a alternativa de manejo controlado da alimentação e retira o gosto de barro para garantir um produto final de maior qualidade.

Cada tanque é feito para um tipo adequado de produção, espécie de peixe ou mesmo a disponibilidade de dinheiro e acesso que o piscicultor tem naquele momento. Todos os fatores citados influenciam na produção e são vitais para que você mantenha o bom desempenho durante o manejo, evitando a perda de peixes e otimizando os resultados.

Um exemplo de como o tipo de tanque influencia na produção são os modelos suspensos que podem diminuir consideravelmente o tempo utilizado na engorda. Eles são capazes de armazenar a água de maneira otimizada sem causar problemas de infiltração, além de proporcionar menores riscos sanitários e requererem menos mão de obra. Essa é verdadeiramente uma técnica que está ganhando espaço entre os piscicultores.

Ainda assim, antes de decidir qual tanque vai facilitar a sua vida, é necessário avaliar a proteção oferecida por cada um, sempre antecipando as dificuldades que você terá com limpeza e manejo. Uma característica que deve ser considerada também é o volume do peixe criado, que determinará o formato e profundidade do tanque que você utilizará.

Quais as maiores dúvidas sobre a escolha do tipo de tanque para peixe?

Agora que você sabe porque o tipo de tanque influencia diretamente na sua produção, prepare-se para conhecer as maiores dúvidas que as pessoas costumam ter na hora de escolher um tanque para peixe. Não perca tempo e confira agora o conteúdo!

O que observar no formato do tanque?

Como dissemos, o formato do tanque causa uma grande influência no resultado da sua produção, sendo que cada tipo serve para atender uma determinada demanda. O formato circular é capaz de acoplar-se a um sistema alimentar intensivo.

Sua alta capacidade de estocagem e circulação da água é uma característica de espécies como o bagre, lambari, tilápia e truta, por exemplo. Já os retangulares e quadrados são mais adequados à produção de organismos aquáticos com pouca renovação de água, aqueles chamados de bioflocos.

No geral, os tanques de piscicultura apresentam entre 0,80 cm e 4 metros de profundidade. A variação quanto a essa característica acontece devido às espécies cultivadas. Para aquelas que necessitam de mais espaço, os tanques são mais profundos, as espécies menores não necessitam de tanto espaço para se desenvolverem.

Como abastecer água no tanque?

Abastecer água nos tanques de piscicultura é sempre um processo de derivação, podendo a água ser proveniente de nascentes, cursos d’água, canais de irrigação ou mesmo canais abertos e tubulares. Isso pode se dar por meio de uma bomba d’água também, sendo que todas essas derivações acontecem com o controle adequado da água.

Abastecimento por gravidade é aquele que pode ser inserido perto da incidência de represas ou nascentes que estão localizadas acima do nível dos tanques. A sua respectiva distribuição de água acontece via canais abertos ou tubos.

Já o abastecimento por bombeamento deve ser implantado quando a fonte de água estiver em um nível abaixo dos tanques. Nesse procedimento, a distribuição de água é realizada por meio de tubulações pressurizadas junto a uma bomba d’água.

Como analisar o espaço disponível para os tanques?

Ao decidir pelo tipo de tanque que você utilizará, é importante analisar o espaço ou terreno disponível para a sua criação. Você tem o dever de aproveitar ao máximo a topografia do lugar, sempre deixando-o mais seguro com compactação dos fundos e paredes dos tanques. Isso torna o relevo mais estável e livre problemas como erosão e infiltração.

Terrenos ideais apresentam uma declividade 2%, enquadrando-se como planos, já o fundo deve ser construído com uma declividade média de 1,5% em direção ao sistema de escoamento. A construção de taludes deve ser empregada em camadas compactadas com uma altura de 50 centímetros acima do nível da água.

Os melhores solos voltados para a construção de tanques e viveiros são os de constituição argilosa e de baixa permeabilidade, isso porque possibilitam o levantamento de diques mais estáveis. Solos arenosos ou com alto teor de cascalho geralmente sofrem problemas com infiltração, tornando o gasto de água maior. Além do mais, solos arenosos são menos estáveis e propícios à erosão.

Como garantir a qualidade da água?

Para garantir a qualidade da água, é ideal que os locais escolhidos para a criação sejam perto de fontes de águas limpas, sem qualquer tipo de contaminação e em vazão suficiente para manter os tanques abastecidos.

A quantidade de água utilizada no processo depende diretamente do tamanho do seu viveiro, e a qualidade depende da sua renovação e manejo, além de estratégias de reaproveitamento. Manter a responsabilidade com órgãos de vigilância sanitária é obrigação de todos os produtos. Veja abaixo os pilares que sustentam um tanque de peixe com água de qualidade.

Oxigênio

Como os peixes realizam a respiração branquial, retirando oxigênio da água para a difusão, sua presença é essencial. Nesse sentido, certifique-se de que o tanque abriga a quantidade ideal desse elemento — 2 a 4 milímetros por litro, de acordo com a espécie. Assim, os animais ficarão confortáveis no tanque e se desenvolverão com tranquilidade.

Amônia

A amônia presente em um tanque de peixe é resultado do processo de decomposição de matéria orgânica, oriunda de peixes mortos. De forma isolada, trata-se de uma substância altamente tóxica. Porém, ao entrar em contato com a água, é metabolizada em nitrito, nitrato e por bactérias.

Nitrito

Essa substância é uma derivação metabólica que aparece após a transformação por bactérias de amônia. Quando combinada com hemoglobina, atrapalha a respiração dos peixes. Por isso, a recomendação é que os níveis de nitrito no tanque de peixe se mantenham abaixo de 2 quilômetros por litro de água.

O que você precisa saber para construir um tanque de peixes?

Confira abaixo as principais dicas para construir um tanque de peixes. Leia abaixo.

Aprenda sobre o formato dos tanques

O mercado oferece tanques com formatos diferentes, mas os principais e mais utilizados são aqueles que apresentam o formato retangular, exatamente por facilitar o manejo e proporcionar um ambiente agradável aos peixes. Além desses, também é possível encontrar tanques circulares que servem para espécies específicas de peixes. Esteja atento e escolha o formato certo para o tanque.

Conheça os principais tipos de tanque

Piscicultores modernos utilizam, principalmente, dois tipos diferentes de tanque, que são o de terra e alvenaria. Os de terra necessitam de cuidado quanto à manutenção, mas são extremamente mais econômicos, além de quase chegarem a reproduzir o ambiente natural dos peixes. Os tanques de alvenaria apresentam a vantagem de não necessitarem de manutenção constante e serem mais resistentes.

Atente para a topografia do relevo

Ficar atento quanto a topografia do relevo é detalhe muito importante e que deve ser aproveitado ao máximo. Em terrenos mais acidentados, o ideal é que a terra seja nivelada e compactada, para evitar infiltrações. Regiões planas ou com pouca declividade são as melhores para construir tanques, principalmente os escavados.

Observe o tipo de solo

Observar o solo antes de construir um tanque é essencial para garantir que o local seja de baixa permeabilidade e mais argiloso, garantindo que a construção da estrutura apresente estabilidade. Solos arenosos ou com grandes quantidades de cascalho sofreram com infiltração invariavelmente, o que gerará um consumo maior de água, além do que, essas superfícies são extremamente propícias à erosão.

Lembre-se, para fazer um bom negócio e comprar um modelo de tanque para peixe, você deve estar antenado em todos os fatores, como o formato do tanque, profundidade, espécie de organismo aquático e muitas outras características que foram citadas.

A Sansuy é referência em toda a América Latina para soluções feitas de plástico. Nós temos os melhores tanques de peixe do mercado e podemos ajudar você a obter os melhores resultados da sua produção. Oferecemos produtos de alta qualidade, prezamos pelo cumprimento dos prazos e aprimoramos constantemente nossos itens. Tudo para que você possa escolher o melhor tanque de peixe para seu negócio.

Você acabou de conferir tudo sobre a melhor maneira de escolher um bom tanque para peixe e agora está pronto para colocar em prática aquilo que aprendeu. Não se esqueça de escolher o tipo de tanque adequado de acordo com as necessidades da sua criação e potencializar a sua produção ao máximo. Torne-se agora um produtor de peso na sua região.

Entre agora em contato com a Sansuy e confira os melhores produtos do para piscicultura!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos