+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

História da piscicultura: veja como a atividade surgiu e evoluiu!

Modificado em: maio 31, 2023

A história da piscicultura é muito rica. Uma prática realizada há mais de 6 mil anos, a criação de peixes movimenta a economia mundial, gera milhões de empregos e leva produtos de alta qualidade para o prato dos consumidores.

A seguir, vamos contar um pouco mais sobre as origens da piscicultura na China e no Egito, bem como o desenvolvimento tecnológico, resultados e desafios para o futuro.

Acompanhe a leitura até o fim para aprender mais sobre esse tema essencial para quem atua na área.

A importância da piscicultura para a sociedade

A história da piscicultura demonstra sua importância para a sociedade. Além de ser uma atividade econômica, que permite às pessoas empreender e gerar empregos (são mais de 1 milhão de vagas diretas e indiretas no Brasil), a criação de peixes e outros animais aquáticos impacta também outros mercados.

O turismo é fortemente influenciado pelo consumo de peixes, com diversas regiões sendo visitadas e conhecidas, muito em razão de sua produção pesqueira e pratos preparados com frutos do mar. Regiões costeiras, litorâneas e, ainda, a região da Amazônia, são exemplos de áreas turísticas influenciadas pela criação dos peixes.

Além disso, a piscicultura impacta diretamente o que vai no prato dos consumidores. O peixe é uma opção de alimentação saudável, sendo uma das principais fontes de ômega-3 e outros ácidos graxos essenciais para uma vida balanceada e livre de doenças — especialmente o colesterol e problemas do coração.

Como a piscicultura surgiu

Há registros de que os egípcios já praticavam a piscicultura 4.000 anos a.C. A famosa tilápia do Nilo era a espécie produzida com mais sucesso na região. A China é outro país pioneiro na produção de peixes. Aproximadamente no mesmo período em que se criava a tilápia no Egito, os chineses estavam desenvolvendo a cultura da carpa.

Antes disso, porém, a China já produzia macroalgas, que são consideradas os primeiros organismos aquáticos a serem cultivados com a influência humana. Eles desenvolveram uma espécie de estrutura com bambus, que permitiam produzir essas algas para alimentação.

A evolução da piscicultura

A piscicultura é uma atividade relativamente simples e, por isso, foi possível de ser realizada há milhares de anos. No entanto, isso não impediu que esse trabalho evoluísse continuamente.

Se, por um lado, contar com um açude e separar as espécies de peixe que se deseja produzir basta para o cultivo de animais aquáticos, por outro, há toda uma ciência que envolve a melhoria da produtividade, assim como a qualidade do produto final.

Com o passar dos anos, novos estudos foram sendo realizados, o que permitiu entender melhor a necessidade de alimentação de cada espécie, como evitar que doenças se espalhem entre o cardume, o tipo e formato de tanque ideal em cada situação, entre outros pontos.

Além disso, uma indústria se desenvolveu ao redor do ramo. Aos poucos, percebeu-se que determinados produtos e equipamentos — como tanques, aeradores, lonas, mantas e outros acessórios — poderiam ser utilizados para beneficiar a criação de peixes. Isso traz uma produtividade maior e, consequentemente, melhores resultados, tanto na qualidade do produto que será vendido mais adiante quanto na lucratividade.

As vantagens da piscicultura

A técnica permite conhecimento maior sobre as espécies de peixes que são criadas — algo impossível por meio da pescaria, por exemplo —, o que ajuda a ter mais controle sobre a qualidade e até mesmo sobre a quantidade do produto. A piscicultura também ajuda a levar alimentos mais saudáveis para os consumidores.

Com o manejo de doenças, é possível evitar que todos os animais sejam contaminados. Assim, garantir que produtos de qualidade sejam oferecidos à população. Um cultivo equilibrado e acompanhado profissionalmente por pessoas qualificadas permitiu, ainda, o surgimento de um mercado muito forte no consumo de peixe, especialmente no Brasil.

A piscicultura possibilitou levar variedades maiores de espécies para os restaurantes especializados, que se multiplicaram em todo o país. Aos poucos, o peixe vem caindo cada vez mais no gosto do brasileiro, o que traz benefícios diretos a todos os profissionais que atuam na área.

O futuro da piscicultura

Especialistas acreditam que o consumo de peixe ainda está em crescimento e tende a aumentar cada vez mais em todo o mundo. No entanto, isso só se tornará efetivamente possível por meio da piscicultura.

Os maiores desafios dos produtores serão aqueles voltados a manter o equilíbrio ambiental. É preciso ter consciência a respeito do tempo de regeneração e renovação, necessário para as espécies se manterem.

Do contrário, os riscos de extinção aumentam, o que torna o modelo de negócio insustentável. O uso de energias limpas e renováveis é outro exemplo de questão ambiental que deve ser considerada pelos piscicultores.

A cada ano, novas tecnologias, produtos e técnicas são desenvolvidas, diminuindo o impacto ambiental da atividade ao redor do planeta. A renovação da água é outra preocupação. Já há experiências de criação de peixes em águas profundas sendo colocadas em prática, com a instalação de estruturas em alto mar. As próprias ondas geram a energia necessária para que a operação seja realizada.

piscicultura

Crescimento da produção de peixes no Brasil

A produção de peixes vem crescendo no Brasil, mas ainda é insuficiente para atender a toda a demanda interna. Por isso, países como Argentina e Chile ainda são grandes exportadores de pescado, tendo no Brasil alguns de seus principais compradores.

Uma das dificuldades encontradas é a falta de padronização na legislação ambiental. Cada estado no Brasil conta com leis diferentes no que diz respeito à piscicultura, o que afeta os resultados dos criadores.

De acordo com dados da Associação Brasileira da Piscicultura, em 2018, o país produziu pouco mais de 720 mil toneladas de peixe. A receita total ficou na casa dos R$5,6 bilhões. Entre os estados que lideram a produção de peixes no Brasil estão Paraná, Rondônia e São Paulo.

Com 55,4% do total, a tilápia é a espécie mais produzida no país. O Brasil é o quarto maior produtor da espécie no mundo.

A tendência é de que o mercado continue crescendo nos próximos anos e assim esperamos! Neste artigo, buscamos abordar a história da piscicultura e o desenvolvimento desse mercado ao longo dos anos.

Se você gostou do conteúdo, que tal compartilhá-lo nas suas redes sociais para que mais pessoas possam saber a respeito do assunto?

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos