Voltar para a página inicial

Como funciona a produção de peixes no inverno e quais cuidados tomar?

Modificado em: maio 31, 2023

O período anual de frio está chegando, e quem atua no mercado de piscicultura tem uma grande preocupação: os impactos da baixa temperatura da água na produção de peixes no inverno. É muito comum que as baixas temperaturas causem a morte de peixes criados em propriedades rurais — em especial espécies de peixes tropicais, nas quais, precisam que a temperatura da água se mantenha acima dos 24 graus Celsius para que possam se desenvolver.

Embora o risco de mortandade esteja presente, a sobrevivência de peixes em tanques especiais pode ser garantida. Isso, é claro, se o produtor tomar alguns cuidados especiais, como a venda da produção no período correto, ou seja, antes que se observe a queda da temperatura da água nos tanques e viveiros, a capacitação da mão de obra e atualização das práticas de manejo. Saiba mais sobre o assunto!

Quais são os principais impactos do frio na piscicultura?

No caso de criadores que ainda não estão com a produção pronta para a venda ou que pretendam manter as espécies sadias durante o inverno, é imprescindível tomar uma série de cuidados, já que os impactos do frio sobre os peixes, principalmente as espécies tropicais (como pirarucu, tambaqui, piauçu, tambacu, pacu, pintados, bagre africano e tilápia) pode afetar o desempenho produtivo dos animais, podendo até aumentar o índice de mortandade.

Os peixes são animais pecilotérmicos e têm a temperatura corporal regulada pela temperatura da água, ou seja, do meio externo. Assim, se de um lado podem ser considerados mais eficientes na conversão de alimento em carne, pois não gastam parte da energia contida nas rações para a termo regulação, apresentam seu metabolismo severamente impactado pela oscilação da temperatura do meio externo. Então a manutenção dos peixes em ambientes onde a temperatura da água esteja fora dos limites considerados ótimos para o seu desenvolvimento acarreta no aumento no tempo para atingir o peso de abate e aumento nos índices de conversão alimentar.

Essas espécies são muito sensíveis às baixas temperaturas. Para que você tenha uma ideia, 20 graus já pode ser considerado um nível de risco, mas com o manejo adequado dos tanques, as chances dos peixes resistirem são maiores.

Entre os riscos que a produção de peixes no inverno está suscetível, podemos citar a redução na ingestão de alimentos que acarreta queda na resposta do sistema imunológico e o risco de incidência de parasitoses e doenças.

Outro fenômeno que deve preocupar todo aquicultor é o instante em que a temperatura da água volta a se aquecer na transição das estações do ano, quando avançamos do inverno em direção à primavera. Em viveiros naturais com baixa renovação de água, o “bloom primaveril” de algas está associado ao aumento da atividade metabólica dos organismos aquáticos em decorrência do aumento da temperatura da água. Nesse instante o material orgânico acumulado ao longo da estação de baixas temperaturas no fundo dos corpos d’água é decomposto, em um curto espaço de tempo, por microrganismos. Assim a queda momentânea da qualidade da água também gera a progressiva perda dos peixes. Por fim, as variações de temperatura iniciam os surtos de parasitoses, infecções e mortandades na piscicultura.

No próximo tópico, mostraremos quais cuidados tomar para evitar esses cenários.

Quais cuidados tomar com o cultivo de peixes no inverno?

Agora que você já tem uma noção sobre os impactos do frio no cultivo de peixes, mostraremos os principais cuidados que a piscicultura exige nos meses do inverno. Continue lendo para saber como evitar a mortandade dos animais e garantir uma produção bem-sucedida.

Alimentação e temperatura da água

Além de manter a qualidade da água em níveis adequados, sempre monitorando-a, é muito importante evitar a alimentação em excesso e o acúmulo de material orgânico no fundo dos viveiros, pois isso pode evitar as perdas provocadas pelo frio.

O fato de a temperatura do corpo desses animais acompanhar as oscilações conforme o ambiente externo, afeta a sua fisiologia, seu metabolismo, sanidade e desempenho do lote de animais alojados. Por isso, ao criar peixes em tanques ou viveiros naturais, é preciso iniciar os cuidados ainda no verão. Lembrando que o tamanho do tanque deve ser proporcional à quantidade de animais alojados, pois a qualidade da água e o teor de oxigênio dissolvido na água são influenciados por essa relação.

Mão de obra capacitada

Outro ponto muito importante a ser abordado para garantir o sucesso do cultivo de peixes no inverno é a capacitação dos trabalhadores que atuarão nos cuidados do ambiente artificial onde os animais são criados.

Para evitar as perdas, é importante ter especial atenção ao manejo alimentar. O que queremos dizer é que as taxas de alimentação diárias, devem ser mantidas conforme as recomendações dos fabricantes para cada espécie de peixe produzida.

É essencial que os tratadores sejam capacitados, para saberem observar as necessidades dos animais, isto é, analisar e reconhecer se os peixes estão consumindo todo o alimento fornecido, pois isso evita deterioração (perda da qualidade da água) e desperdícios por excesso de ração.

Qualidade da água

Outra boa prática de manejo que precisa ser priorizada é a constante verificação dos parâmetros indicativos da qualidade da água dos tanques e viveiros de produção de peixes. O criador profissional deve observar aspectos como os limites recomendados para os teores de oxigênio dissolvido, transparência, turbidez, dureza total, nitrito, amônia, pH e alcalinidade total.

Despesca antes do inverno

Como já foi dito, é preciso se antecipar desde o verão no que diz respeito às práticas de manejo, especificamente sobre a despesca, pois a previsão do tempo é uma ferramenta importante para garantir a qualidade da produção e evitar perdas. É altamente recomendado que o arrasto da rede e o transporte sejam feitos antes do inverno, pois, dessa forma, os peixes não são submetidos a fatores estressantes.

Vitaminas e suplementos

Adicionar pré-bióticos nas rações e pró-bióticos ao ambiente de produção, aminoácidos e vitaminas antes de os peixes passarem por condições estressantes são ações necessárias para ajudar os animais a aumentarem a imunidade.

Esses suplementos precisam ser misturados com a ração dos peixes e administrados por alguns dias antes de eventos críticos — como a baixa da temperatura causada por uma frente fria. Lembrando que é preciso solicitar o auxílio de um técnico para saber quais são os produtos indicados e seu modo de usar, com base nas espécies de peixes cultivadas e no manejo alimentar adotado.

Para concluirmos, é importante destacar que o comportamento e a saúde dos peixes são afetados pela mudança de temperatura da água, principalmente no que se refere à sua alimentação. Se a temperatura ficar abaixo de 20 graus Celsius, os animais passarão a se alimentar menos, por isso, é tão importante fornecer a ração adequada e na quantidade adequada.

Como você pôde conferir, o cultivo de peixes no inverno exige uma série de cuidados importantes para reduzir as chances de que os animais adoeçam e morram. Contudo, ao investir na capacitação dos criadores, analisar a qualidade da água, administrar a alimentação adequadamente e fazer a despesca antes do período de baixas temperaturas, as chances de obter sucesso são muito maiores. Afinal, a criação de peixes em tanques e viveiros naturais é uma prática que necessita de conhecimento e investimento.

Gostou do artigo? Quer receber mais dicas e conteúdos informativos como este? Então, assine a nossa newsletter para se manter por dentro das maiores novidades sobre o mercado!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos