+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Tipos de adubação: quais os principais e suas características!

Modificado em: maio 31, 2023

Não há dúvidas de que a agricultura é uma das atividades econômicas mais importantes no mundo. Afinal, é ela que garante a disponibilidade de alimentos para os países, além de ser uma excelente fonte de renda. Aliás, o Brasil é o terceiro maior exportador agrícola do mundo.

Essa colocação, que é motivo de grande orgulho, se deve à alta fertilidade do solo, a qual é resultado do uso dos adequados tipos de adubação para aumentar a produtividade agrícola.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, acompanhe o post até o final e descubra a importância da adubação para o setor, quais são os principais tipos e como realizar uma adubação eficiente.

O que é adubação?

A adubação é o processo de compor ou repor a fertilidade do solo. Desse modo, seu objetivo é assegurar que a terra tenha todos os nutrientes necessários para que as plantas do local se desenvolvam de maneira produtiva e com alta qualidade.

Isso ocorre porque, para que uma planta se desenvolva de maneira saudável, ela necessita de elementos específicos. Por meio do ar, absorve alguns deles, como oxigênio, hidrogênio e carbono, enquanto outros compostos devem ser absorvidos pelas suas raízes do solo.

Porém, o solo nem sempre oferece os nutrientes necessários e ainda há o fato de que cada espécie requer diferentes substâncias em quantidades variadas. Por isso, muitas vezes é preciso fazer a complementação, que chamamos de adubação.

Qual a importância da adubação para a agricultura?

A adubação exerce um papel de extrema importância nas plantações de qualquer porte. Isso porque ela é a responsável por fornecer às plantas os nutrientes que interferem em seu crescimento. Mas ela não impacta apenas a produtividade, como também a qualidade dos vegetais cultivados. Como consequência, influencia também a lucratividade do produtor rural.

Por exemplo, se você tem uma cultura de laranja, mas não aduba o solo corretamente, além de pouca quantidade de frutos, eles podem ter tamanhos menores, apresentar pouca suculência, alterações no sabor e, ainda, ficar suscetíveis à ação de fungos, perdendo seu valor de mercado e gerando prejuízo para o produtor.

Esse é um aspecto que pode acontecer com todas as culturas. Por isso é tão importante adequar os nutrientes do solo, procurando o tipo de adubação mais adequado para cada cultivo.

Quais são os tipos de adubação?

Há três tipos de adubação ou fertilização utilizados nas lavouras. A seguir, saiba quais são eles e que benefícios cada um oferece.

Adubação orgânica

O fertilizante orgânico tem resíduos de origem vegetal e animal como matéria-prima. Esse tipo de adubação é muito utilizado na agricultura, principalmente porque alguns produtores focam no público que prefere alimentos orgânicos.

Os resíduos vegetais vêm, em sua maioria, do resto das lavouras. O milho, por exemplo, resulta em uma quantidade entre 50% e 80% da sua massa em resíduo. Também há a adubação verde, que é feita com plantas capazes de reciclar os nutrientes que ficam nas camadas mais profundas do solo.

Por sua vez, o resíduo de origem animal refere-se especialmente aos excrementos de seres vivos, como o esterco. A sua composição varia, mas é rica em potássio e fósforo.

A vantagem desse tipo de adubação é que o material orgânico agrega partículas no solo. Desse modo, deixa-o mais resistente contra a erosão. Além disso, consegue estabilizar a temperatura do solo, evitando estresse nas raízes.

Adubação mineral

Os fertilizantes minerais ou inorgânicos, como também são chamados, contêm em sua formulação elementos de extração mineral ou gerados por processos industriais. Entre os componentes, estão principalmente carbonatos, cloretos e fosfatos.

Diferentemente do que ocorre com a adubação orgânica, esse tipo de insumo agrícola conta com um processo de liberação de nutrientes rápida. Portanto, é mais indicado para solos com baixa fertilidade e que precisam que o resultado seja a curto prazo.

O maior benefício da adubação mineral é apresentar uma composição química bem definida. Assim, fica mais fácil estabelecer as quantidades necessárias de adubo a serem utilizadas em cada lavoura.

Adubação organomineral

Esse tipo de adubo é resultado da combinação dos fertilizantes orgânicos e minerais, fazendo com que ele seja ainda melhor para o solo. Sua produção passa por duas fases. Na primeira, o adubo orgânico é decomposto. Na segunda, o equilíbrio da composição é feito com a adição de elementos minerais.

Com isso, é possível chegar a uma composição ideal para determinada cultura. O fertilizante organomineral ajuda a desenvolver melhor o solo, pois traz o balanceamento ideal para a terra e oferece economia para o produtor. Afinal, quando esse tipo de insumo é utilizado em uma safra, percebemos que a safra posterior requer menos adubação sem diminuir sua produtividade.

Como fazer uma adubação mais eficiente?

Algumas práticas fazem com que a adubação seja mais eficiente, proporcionando um desenvolvimento melhor e de mais qualidade das lavouras. As principais são:

  • análise do solo — o primeiro ponto é analisar do solo. Somente por meio dessa prática é possível saber qual é o tipo de adubação mais adequada e em qual quantidade deve ser aplicada;
  • escolher bons fertilizantes — como acontece com todos os insumos agrícolas, é fundamental escolher apenas produtos de boa qualidade para garantir que o solo tenha os nutrientes necessários para o desenvolvimento da plantação;
  • investir na agricultura de precisão — por meio da tecnologia, é possível saber exatamente as características de cada parte do solo. Assim, você conseguirá aplicar as doses corretas em cada parte da lavoura, garantindo produção máxima e evitando desperdícios;
  • apostar no terraceamento sempre que possível — essa prática consiste em dividir um terreno inclinado em plataformas ou terraços por sulcos. O terraceamento agrícola evita o carreamento do adubo, comum em declives.

Lembre-se de que, para fazer o planejamento da adubação, é preciso considerar os seguintes pontos:

  • exigências nutricionais de cada espécie;
  • resultados da análise do solo;
  • produtividade esperada;
  • condições climáticas;
  • maquinário disponível;
  • histórico da área onde será cultivada a lavoura;
  • recursos financeiros.

Há diversos tipos de adubação que permitem aumentar a produtividade e a qualidade da sua cultura. Ao escolher a fertilização mais adequada, certamente você impulsionará seus resultados e conquistará espaço de destaque no setor.

Quer saber ainda mais sobre o assunto? Então, aproveite a visita no blog e conheça 6 boas práticas de adubação do solo.

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos