Voltar para a página inicial

Veja como o armazenamento de grãos interfere na qualidade do produto

Modificado em: maio 31, 2023

O armazenamento de grãos tem grande influência na qualidade do seu produto, na rentabilidade, nas vendas e na satisfação do cliente final, pois condições inadequadas provocam perdas e prejuízos. Para que se tenha uma ideia, em média, 20% de toda a produção de grãos do Brasil é perdida entre o processo de plantio e o de armazenamento.

Além da desvalorização comercial, procedimentos e locais inadequados para esse processo provocam uma grande perda de poder germinativo dos grãos e alteram o valor nutritivo, ou seja, impactam negativamente a qualidade do seu produto.

É exatamente por isso que os produtores estão cada vez mais preocupados com essa questão. Neste post, vamos mostrar as principais informações sobre os tipos de armazenamento de grãos disponíveis e boas práticas para realizá-lo de modo eficiente. Continue a leitura até o final e saiba mais.

Tipos de armazenamento de grãos

Os silos e armazéns são as unidades armazenadoras dos grãos e a escolha do melhor tipo precisa considerar diversos fatores, como o seu volume de produção e os investimentos que você tem disponíveis para a sua estrutura.

Essas unidades, quando são de boa qualidade, garantem a proteção, evitando perdas tanto de quantidade quanto de qualidade na produção. Dessa forma, você economiza e tem maior rendimento da sua produção. Conheça um pouco mais sobre cada um a seguir.

Silos

Existem diferentes tipos de silos para armazenagem de grãos. Os principais são:

  • silos metálicos: estruturas cilíndricas com sistema de aeração;
  • silos de bolsa: também chamados de bags, são utilizados para armazenar os grãos secos. Tratam-se de estruturas horizontais que podem ter entre 30 e 60 metros e são empacotadas por máquinas e forradas;
  • silos de bola: são fardos revestidos por plástico que comportam entre 200 e 600 kg, podendo ser transportado;
  • baterias: é um conjunto de silos metálicos reunidos em uma central para recebimento e processamento.

Os silos podem ser próprios (de um único produtor) ou em conjunto (de diversos agricultores). Normalmente, o segundo tipo é muito utilizado por cooperativas, pois ficam mais em conta e beneficiam diversos produtores.

Armazéns

Eles têm mais vantagens quando comparados aos silos, principalmente na redução de perdas. A escolha do melhor tipo deve avaliar tanto os seus investimentos quanto se você trabalha com ensacados ou a granel. Os principais modelos são:

  • graneleiros: unidades que comportam grandes volumes de grãos. São estruturas horizontais em “W” ou em “V”. Além de serem de fácil construção, requerem menores investimentos em comparação aos silos;
  • granelizados: são armazéns convencionais e a granel adaptados e com o fundo plano;
  • de sacarias ou convencionais: são construídos com fundo plano e os grãos ficam estocados em blocos individuais. Podem ser estruturas metálicas, de alvenaria ou mistas. São ventiladas, iluminadas e impermeabilizadas;
  • infláveis: estrutura construída em vinil que normalmente são montadas durante a safra ou situações de emergência;
  • estruturais: não precisam de ventiladores, não expõem os grãos e geralmente são feitos de vinil.

O Vinigalpão da Sansuy comporta diversos produtos além dos grãos, como sementes, máquinas, alimentos, equipamentos e outras mercadorias. É uma estrutura metálica coberta por laminado de PVC reforçada ou lona. Nesse tipo, você tem a vantagem de o seu armazém ser construído conforme as suas necessidades, pois pode apresentar diversos tamanhos.

Além disso, são estruturas duráveis que protegem os seus grãos de agentes prejudiciais e podem ser reaproveitados para outras atividades. São de rápida montagem, ventilação constante, desmontáveis e com todo o suporte técnico da Sansuy.

Boas práticas para a realização desse processo

Além de contar com boas unidades de armazenagem de grãos, é necessário proteger a sua produção contra agentes que provocam perdas e queda da qualidade. Veja o que considerar para não ter prejuízos na sequência.

Atente-se à umidade

O descontrole dos níveis de umidade nos grãos pode propiciar o crescimento de diversos microrganismos prejudiciais, inclusive o mofo. Isso acontece principalmente em armazenamentos de longo prazo.

É necessário que os produtos passem por uma secagem artificial ou natural e por um controle de temperatura no momento em que você os recebe para que estejam em níveis de umidade adequados para entrarem nos armazéns. De modo geral, é considerada a fórmula:

(%) umidade relativa do ar + temperatura (Co) < 55.5 = armazenamento seguro.

Cuide da ventilação

Também conhecida como aeração, é outro elemento que interfere na qualidade dos seus produtos. Esse processo é feito para controlar e uniformizar a temperatura e prevenir o descontrole da umidade dentro das unidades de armazenamento. Para isso, é necessário considerar a região em que é feito o armazenamento dos grãos.

A realização do procedimento acontece por meio de equipamentos ventiladores, de maneira natural ou, dependendo da sua estrutura, sem a necessidade de usar ventiladores.

Faça a prevenção adequada

Pragas, insetos, pássaros e roedores são grandes inimigos dos grãos e podem provocar grandes perdas na sua produção. É importante lidar com esse problema desde o recebimento a fim de que não evolua para uma infestação.

Esse controle pode ser realizado de maneira química, que envolve a pulverização de inseticidas. A aplicação nas unidades é simples, porém, nos últimos anos, foi percebida uma resistência das pragas em relação a esses produtos.

Já o controle biológico é eficiente, mas não adequado para ser utilizado dentro das unidades de armazenamento dos grãos. Além disso, é importante traçar medidas para o monitoramento dessas pragas como forma de prevenção. Para isso, um método bastante utilizado é o de passar uma amostra de grãos em uma peneira com coletor para identificar e qualificar o produto.

O armazenamento de grãos é um processo que requer controle constante, investimento em estruturas de qualidade e técnicas para controle de pragas, umidade, temperaturas e outros agentes que interfiram na qualidade do seu produto. Por isso, busque por armazéns de boa durabilidade e eficiência e tenha um bom planejamento estratégico para o monitoramento e controle.

Gostou deste post? Além do armazenamento, é necessário cuidar do processo logístico dos seus grãos. Para entender mais sobre o assunto, confira as diferenças entre vinilona e cotonlona e veja qual é melhor para os caminhões de transporte.

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    vinilona_cinza_20_2_1

    Materiais Gratuitos