+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Armazenamento e transporte de grãos: 6 melhores práticas

Modificado em: junho 6, 2024

A produção agrícola é um dos pilares da economia brasileira, atingindo mais de 21% de participação no PIB do país em 2019. Portanto, exige bastante cuidado em todos os processos, que, aliás, vão muito além da finalização da colheita.

O transporte de grãos, por exemplo, pode ser otimizado a partir de medidas preventivas. Como se sabe, o setor rodoviário figura como grande responsável por levar a produção a todas as regiões, o que significa uma quantidade reduzida de alternativas.

Um escoamento adequado não só agiliza o procedimento como também evita perdas de mercadoria. E tudo isso sem falar na consequência financeira. Continue conosco nesta leitura e conheça as melhores práticas para armazenar e transportar grãos. Acompanhe!

Qual é a importância de planejar cada etapa?

O mercado de grãos tem forte impacto dentro do país, conforme os dados mostrados anteriormente. E o Brasil ainda disputa a liderança global do ranking de exportação desse tipo de produto, enfatizando a relevância do segmento. Em comparação com os Estados Unidos, por exemplo, a precarização de boa parte das estradas existentes no território nacional causa um prejuízo considerável na eficiência do transporte de grãos, em especial. Desde o processo de armazenamento de mercadorias, essa falta de uma infraestrutura correta também resulta em muitas perdas no trajeto.

O planejamento adequado de todas as etapas, partindo da estocagem até a entrega ao destinatário, minimiza os problemas contra os quais não se pode lutar diretamente. Identificar os pontos-chave no que diz respeito às operações logísticas é o primeiro passo nesse sentido. A capacidade de estocagem de produtos elimina a necessidade de comercialização imediata depois da conclusão da colheita. De quebra, o processo de frete ganha tempo para ser elaborado, resultando nos benefícios já citados.

Quais são as 6 melhores práticas de armazenamento e transporte de grãos?

Não importa se a empresa é uma pequena cooperativa ou uma marca de relevância nacional: armazenamento e transporte de grãos devem aparecer na lista de prioridades. Além do aspecto financeiro, também está em jogo a qualidade nutritiva do produto. A seguir, então, confira as seis melhores práticas de logística.

1. Tome cuidados de limpeza

Iniciando pelo armazenamento, é interessante enfatizar que os grãos oriundos de lavouras, por exemplo, comumente contam com um alto índice de impurezas na sua composição. Essas condições inadequadas impedem a estocagem imediata, pois isso causaria um risco considerável de tornar o produto impróprio para a venda e o posterior consumo. Os prejuízos resultantes da sujeira impedem a secagem correta, afetando, ainda, a capacidade das máquinas e dificultando a passagem dos grãos pelos transportadores.

Uma limpeza eficiente separa as impurezas feitas previamente daquelas que são fruto do sistema de secagem. A rigorosidade da operação evita a comercialização de sementes quebradas, defeituosas ou imaturas, qualificando o serviço.

2. Controle as pragas

Uma pesquisa liderada pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP, indica que pragas podem prejudicar cerca de 9,5% a 40% a efetividade de produções agrícolas. No armazenamento de grãos, portanto, é primordial dar atenção a esse problema.

A grande margem de porcentagem desse estudo evidencia que os grãos têm características muito próprias e distintas entre si. Fato é que, dependendo da espécie, eles ficam vulneráveis a micróbios, insetos, ácaros e outros seres que prejudicam a produção em quantidade e qualidade. Nos depósitos, as pragas seguem sendo um risco. Então, não se deve relaxar só porque a colheita foi finalizada: perdas de mercadorias no estoque podem ser até mesmo piores sob a ótica financeira.

3. Faça o transporte em caminhões com lona própria

Com foco na preservação da qualidade dos grãos, é fundamental que os caminhões responsáveis pelo deslocamento apresentem todas as adequações necessárias para prestar o serviço. Se não for dada a devida atenção a esse ponto, cresce a probabilidade de sofrer perdas materiais e financeiras durante o trajeto. A negligência costuma acontecer, sobretudo, por conta de fatores como:

  • excesso de carga;
  • má colocação da lona;
  • lona de má qualidade;
  • grãos tratados sem as condições corretas dentro do caminhão.

4. Use bags apropriadas

Produzidas para otimizar procedimentos de manuseio, acondicionamento, armazenamento e transporte, as bags, também conhecidas como contentores, estão disponíveis em vários tamanhos e estilos. A escolha da opção mais adequada para a carga a ser transportada facilita bastante as etapas do processo. Reutilizáveis ou descartáveis, as bags entregam segurança e minimizam desperdícios.

5. Considere a flexibilização de modais

Conforme ressaltamos no começo do post, as malhas brasileiras forçam o envio massivo de mercadorias via caminhões. É fato que esse setor desempenha papel primordial para o país — tanto é que as dicas anteriores são nesse sentido —, mas uma flexibilização de modais pode valer a pena, dependendo da situação. As ferrovias, por exemplo, têm menor disponibilidade, mas, por outro lado, apresentam um custo reduzido. Considerando que os prazos de entrega costumam ser razoáveis para o segmento de transporte, o baixo risco de acidentes e roubos também conta a favor.

6. Pesquise antes de contratar uma transportadora

Em geral, credibilidade significa qualidade e transparência. Por isso, uma pesquisa aprofundada é tão importante para garantir eficácia nas medidas de armazenamento e transporte de grãos. Para delimitar o melhor custo-benefício entre as alternativas estudadas, vale a pena organizar um esquema de orçamentos e simulações com as parceiras em potencial.

A partir daí, traçando um paralelo dos valores com a reputação e o histórico da marca, fica mais fácil aumentar o poder de assertividade da decisão. Quanto maior for a gama de informações que se tem em mãos, mais alto será o poder de barganha nas negociações. Em todo o processo, a experiência corporativa das candidatas deve figurar como principal característica de impacto.

7. Utilize galpões lonados para armazenar

O galpão lonado no formato duas águas é indicado para a armazenagem, podendo estocar uma grande quantidade de mercadorias feitas de qualquer material. Como benefício oferece agilidade no projeto e mobilidade no setor de armazenagem. Além de serem duráveis e resistir às intempéries e variações de temperatura.

Sua extensão normalmente grande faz com que ele seja utilizado para  insumos e safras, mas também, equipamentos, máquinas e ferramentas agrícolas.

Tão relevante no cenário econômico nacional, o transporte de grãos pode perfeitamente receber otimizações preventivas, desde a colheita até a chegada ao destino, passando pelo armazenamento. A tomada das medidas corretas reduz riscos e preserva a integridade da mercadoria, além de dar benefícios financeiros às empresas envolvidas.

Então, o conteúdo do texto foi útil para você? Aproveite a visita ao blog e assine nossa newsletter para receber outros materiais exclusivos via e-mail!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    vinilona_cinza_20_2_1

    Materiais Gratuitos