Voltar para a página inicial

Veja quais os tipos de materiais para impermeabilização em obras

Modificado em: maio 31, 2023

No segmento da construção civil, o alcance da máxima eficiência depende diretamente da capacidade de evitar gargalos. Desde o início do planejamento, é importante antecipar diversos cenários e tomar medidas preventivas, com a intenção principal de otimizar todos os processos.

Nesse contexto, a impermeabilização em obras cumpre um papel muito importante. Afinal, a ação da água, seja ela da chuva, de lavagens, de vazamentos ou oriunda de outras fontes, pode causar danos irreparáveis ao andamento dos trabalhos.

O líquido infiltrado coloca em risco a vida útil da construção, já que aumenta os índices de insalubridade do ambiente devido a problemas como umidade, mofo e fungos. Para entender a fundo o assunto, continue conosco e confira informações valiosas sobre impermeabilização.

O processo de impermeabilização

Um sistema de impermeabilização bem feito impede o acesso de líquidos e, até mesmo, alguns gases nas estruturas de uma obra. O processo é baseado, portanto, em medidas de vedação de superfícies para protegê-las das infiltrações.

Em uma construção administrada de maneira responsável, o sistema de impermeabilização já deve constar no planejamento desde o princípio, esclarecendo seu funcionamento. Do contrário, a obra fica em risco, especialmente considerando o médio e longo prazo.

Essa demanda ainda traz outros benefícios, além da segurança estrutural e da redução do risco do aparecimento de fungos e bolores. Ao minimizar problemas de infiltração e umidade, cai a probabilidade de acidentes por conta de superfícies escorregadias, por exemplo.

Isso sem falar no ponto de vista financeiro: do montante total da construção, é estimado um investimento em vedação de superfícies de 3%. Pouco, certo? Principalmente se você considerar que os gastos para reparar contratempos causados pela ausência de uma impermeabilização correta podem atingir os 20% do custo integral da obra.

Vale enfatizar também os dois tipos de impermeabilização em obras, que carregam algumas distinções entre si:

  • impermeabilização rígida: empregada em ambientes sem muita movimentação nem oscilações de temperatura e com baixa tendência de fissuras, como subsolos, piscinas enterradas e cisternas;
  • impermeabilização flexível: útil nos demais contextos, em que as estruturas passam por processos de vibração, dilatação e intemperismos (pisos, telhados, lajes etc.).

Os tipos de materiais para impermeabilização em obras

Na construção civil, existem alguns produtos bastante comuns e de eficiência comprovada para garantir um sistema qualificado. A seguir, listamos os principais.

Manta de PVC (Vinimanta)

A manta de PVC, ou Vinimanta, é uma das mais modernas opções de impermeabilização em obras. Isso porque ela tem inúmeras aplicações e possibilidades para quem faz o investimento, garantindo flexibilidade e instalação prática.

Na construção civil, o material impermeabiliza lajes, reservatórios e subsolos, além de contribuir para a reabilitação de estruturas. Já no âmbito do saneamento, a Vinimanta atua na contenção de águas pluviais, diminuindo o percolado e aproveitando melhor o biogás.

A irrigação de canais e a impermeabilização de estruturas enterradas para sistemas de transporte, como garagens, poços de ventilação e túneis rodoviários ou ferroviários, são outros meios de aplicação da manta de PVC.

Argamassa polimérica

Constituída por itens industrializados já preparados para a utilização, esse material carrega produtos impermeabilizantes na sua composição.

Por isso, a aplicação da argamassa polimérica costuma ser recomendada para áreas frias e molhadas, como rodapés, subsolos, piscinas, reservatórios e semelhantes.

Calafetador

O verbo ”calafetar” significa preencher buracos, trincas, fissuras ou pequenas fendas em determinada superfície. Daí surge o calafetador, um sistema que se vale da massa acrílica para estimular a movimentação da estrutura.

A elasticidade dessa massa acrílica torna possível a contração e a dilatação entre os espaços abertos, portanto, é necessário considerar o material da estrutura antes de selecionar a massa ideal.

Recomenda-se o calafetador para o revestimento de juntas, sejam elas externas ou internas, verticais ou horizontais.

Manta asfáltica

Pré-fabricada, ela leva PVC (ou fibra de vidro), poliéster e polietileno em sua composição, sempre coberta nos dois lados por um composto asfáltico.

Caracterizado pela excelente capacidade de resistência, sobretudo a altas temperaturas, esse material é indicado para áreas de grande espaço, de preferência superior a 50 m², e sujeitas ao surgimento de fissuras por conta de movimentações, como lajes.

Emulsão acrílica

Oriunda da emulsão de recursos acrílicos termoplásticos com água, esse modelo de impermeabilização usa um membrana líquida. O material é inserido na superfície e, entre as demãos, coloca-se um produto estruturante, como a fibra de poliéster.

Essa técnica aparece com maior frequência em áreas de acesso mais complicado, já que tem aplicação bem fácil. Trata-se, por exemplo, de uma alternativa interessante para reformas, considerando que não haja tráfego constante de pessoas ou veículos.

A base acrílica, por meio da membrana líquida já citada, é ótima na vedação de paredes externas e lajes, mas vale lembrar que não permite a formação de poças d’água — dependendo da obra, isso pode inviabilizar seu uso.

Resina epóxi

Versatilidade é a palavra-chave ao falar da resina epóxi. Afinal de contas, esse material pode ser empregado a partir de diferentes modos e em diversos cenários. Ele consiste em um composto químico muito resistente e de rápida aplicação, criando uma membrana transparente e fina, dona de excelente poder de aderência.

Na madeira, por exemplo, a resina epóxi pode desempenhar o papel de cola ou de acabamento da superfície. Porém, o material costuma ser usado com maior regularidade em pisos que exigem bastante exigência no quesito de limpeza, como os de cozinhas industriais, oficinas mecânicas, fábricas etc.

Os diferenciais da Vinimanta da Sansuy

A Sansuy é uma empresa 100% brasileira, movida pela vontade de criar soluções desde sua fundação, em 1966. Hoje, a marca está presente em vários setores da economia, desde a construção civil até a comunicação visual, passando pelo agronegócio e a mineração.

Entre nossos principais produtos figura justamente a Vinimanta. Listada acima como um dos mais eficientes materiais para impermeabilização em obras, ela foi a primeira geomembrana usada no Brasil em obras de infraestrutura.

O laminado de PVC assegura resistência e durabilidade, com ótima aderência na aplicação do concreto. Ajustável a distintos tipos de terreno e substrato sem romper, a Vinimanta da Sansuy é facilmente reparável e apresenta menor deformação térmica.

Toda a formulação dela garante um produto inodoro e atóxico, sem o emprego de chama na instalação, o que diminui muito a emissão de gases — uma das premissas da empresa, inclusive. De quebra, a Sansuy oferece assistência técnica em território brasileiro e no exterior.

Conforme observamos ao longo deste post, a impermeabilização em obras está entre as principais necessidades a serem consideradas, desde o planejamento até a finalização. Os benefícios são claros e o que não falta é alternativa para ter eficiência no serviço.

Se o post foi útil e você quer conhecer ainda mais sobre a Vinimanta da Sansuy, saiba os motivos que fazem dela a melhor forma de impermeabilizar!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Materiais Gratuitos