+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Entenda a importância da biosseguridade na avicultura!

Modificado em: junho 6, 2024

Introdução

Biosseguridade na avicultura é um conjunto de medidas e práticas preventivas com o objetivo de reduzir o risco de entrada, disseminação e transmissão de agentes infecciosos nas granjas avícolas. 

Ela busca encontrar alternativas de prevenção de doenças causadas por vírus, bactérias, fungos e parasitas que afetam as aves, garantindo a segurança alimentar e o bem-estar dos trabalhadores.

Dado o papel do Brasil como importante fornecedor de carne de frango para o mundo, a biossegurança é crucial para manter as diretrizes de manutenção sanitária nas granjas e a competitividade do setor no mercado global.

Continue lendo e entenda a importância da biosseguridade na avicultura.

Quais são as medidas de biosseguridade externa e interna?

A biosseguridade deve ser adotada em duas frentes: externa e interna. Tais medidas são fundamentais para garantir a saúde do rebanho e a segurança alimentar dos consumidores.

Medidas externas

As medidas externas são aquelas que visam a evitar a introdução de novos patógenos em uma propriedade, bem como controlar a disseminação de doenças já existentes. Alguns exemplos de medidas externas efetivas são:

  • quarentena de animais recém-chegados até que sejam realizados exames de comprovação de saúde;
  • controle de visitantes;
  • desinfecção de veículos;
  • uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs);
  • utilização de pedilúvios e/ou rodolúvios para a desinfecção de patas de animais e calçados.

Medidas internas

Já as medidas internas dizem respeito ao controle das doenças já presentes na granja. Alguns exemplos de medidas internas relevantes são:

  • as áreas de produção devem ser desinfetadas regularmente, incluindo equipamentos, instalações e veículos que entram na propriedade. Além disso, é indispensável desinfetar as mãos e os calçados antes de entrar nas áreas de produção;
  • é essencial manter as áreas de produção livres de pragas, como insetos e roedores, que podem disseminar doenças;
  • as aves doentes devem ser isoladas imediatamente para evitar a disseminação de doenças para outras aves;
  • um programa de vacinação adequado deve ser implementado e seguido para prevenir doenças específicas em cada fase da produção;
  • é indispensável garantir que a ração e a água fornecidas às aves sejam de qualidade adequada e livres de contaminantes.

Qual é a importância da biosseguridade na avicultura?

A biosseguridade é de extrema importância na avicultura, pois é um conjunto de medidas que visa a prevenir a entrada e a disseminação de doenças na criação de aves.

As aves são suscetíveis a diversas doenças transmitidas pelo contato ou consumo de animais infectados – incluindo a gripe aviária (H5N1) causada pelo vírus Influenza. Essas doenças podem causar grandes perdas econômicas para os produtores, além de afetar a saúde das aves e a qualidade dos produtos.

A implementação de medidas de biossegurança nas granjas avícolas é essencial para minimizar o risco de infecções, pois evita que patógenos sejam introduzidos nas instalações e previne a disseminação de doenças dentro da propriedade ou entre as propriedades vizinhas.

Além disso, a biossegurança também é primordial para garantir a segurança alimentar e a saúde pública, pois muitas doenças aviárias podem ser transmitidas aos humanos.

Como as doenças podem entrar na granja?

As doenças podem entrar na granja por duas vias de transmissão distintas: vertical e horizontal.

Vertical

A transmissão vertical ocorre quando as aves de reposição, ou seja, as aves que serão criadas na granja, já entram na propriedade com alguma doença.

A salmonelose é um exemplo de doença que pode ser transmitida de forma vertical.

Horizontal

Quanto à transmissão horizontal, ela ocorre quando a doença é transmitida de ave para ave no mesmo ambiente.

Essa transmissão pode acontecer por meio do contato direto entre as aves, da utilização de materiais ou maquinários infectados, do contato com pragas, como insetos e roedores, da presença de animais domésticos nas proximidades da granja e, até mesmo, do contato com pessoas que trabalham na granja ou visitantes.

Por isso, é requerido adotar medidas rigorosas de biosseguridade para prevenir a entrada, a disseminação de doenças na granja e manter as aves saudáveis.

Como implantar a biosseguridade na granja de forma eficiente?

Implantar um programa eficiente de biosseguridade na granja requer planejamento, treinamento da equipe e medidas práticas que serão adotadas no dia a dia da produção avícola.

A seguir, confira como implantar a biosseguridade na granja, de forma eficiente.

Fazer o isolamento da granja

O isolamento da granja é uma medida importante para garantir a biosseguridade, pois impede a entrada de pessoas e animais não autorizados que possam trazer doenças para o local.

O isolamento também evita que as aves da granja entrem em contato com aves de outras propriedades que possam estar infectadas com patógenos.

Para fazer o isolamento da granja, é necessário ter uma cerca ao redor da propriedade, com portões de acesso que devem ser mantidos fechados e trancados. A cerca deve ser alta o suficiente, para evitar que aves silvestres entrem na granja, e ser construída com materiais resistentes e fáceis de limpar e desinfetar.

Além disso, a granja precisa ter uma área de recepção para visitantes e fornecedores, com acesso controlado e um sistema de higienização para calçados e mãos. Todos os visitantes devem ser informados sobre as regras de biosseguridade da granja e seguir as medidas de prevenção.

Controlar o tráfego de carros e pessoas

É fundamental controlar o acesso à granja, limitando a entrada apenas a pessoas autorizadas, com equipamentos de proteção individual (EPIs) adequados e a instalação de um rodolúvio na entrada, contendo solução desinfetante para veículos.

Verificar a procedência da ração

Sempre verifique a idoneidade e o histórico dos fornecedores de ração, bem como suas políticas de controle de qualidade, segurança alimentar, composição nutricional, data de validade etc.

Seguir o programa de vacinação

É útil seguir rigorosamente o programa de vacinação estabelecido pelo médico veterinário, segundo as diretrizes obrigatórias do Programa Nacional de Sanidade Avícola (PNSA) e as enfermidades endêmicas da região.

Além disso, é necessário monitorar frequentemente as aves, por meio de necropsias e exames laboratoriais.

Controlar pragas e roedores

É determinante limpar regularmente todos os locais da granja e os equipamentos, para o controle de pragas e roedores. 

Também, é exigido realizar o armazenamento adequado de alimentos e insumos, contratar serviços especializados para controlar a presença de pragas e roedores, fazer a limpeza de ralos e caixas de gorduras, além de capacitar os colaboradores sobre as boas práticas de biosseguridade e a importância da limpeza, da higiene pessoal e do uso de EPIs.

Conclusão

Para que um programa de biosseguridade na avicultura seja bem-sucedido, é fundamental que todas as pessoas envolvidas no processo compreendam plenamente o conceito de biosseguridade, estejam comprometidas e engajadas no propósito e tenham conhecimento do impacto de suas ações no processo produtivo.

Gostou deste conteúdo? Para saber mais sobre o tema, veja o nosso artigo sobre biosseguridade na piscicultura. 

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos