Cadastre-se e receba novidades  
Selecione o assunto de seu interesse:
Enviando sua inscrição  
Loading...
Barracas de Feira

Guia completo: como evitar o desperdício de alimentos na feira

como evitar o desperdício de alimentos

Se você é feirante, com certeza, já se perguntou como evitar o desperdício de alimentos, não é mesmo? De acordo com o jornal da USP, toneladas de alimentos (entre eles, verduras, legumes e frutas) que vem das feiras de São Paulo vão para o lixo todos os dias. Anualmente, o número gira em torno de 1.3 bilhão de toneladas, e o Brasil está entre os dez países que mais desperdiçam alimentos.

Quando pensamos em desperdício, temos que observar o problema em diferentes aspectos, principalmente o ambiental. A emissão de gases existentes na cadeia de suprimento impacta no CO2, que vai diretamente para a camada de ozônio — além do gasto de água, que chega a 994 metros cúbicos de água por ano. Ademais, ainda temos a perda significativa de capital investido por parte do feirante.

O problema é tão relevante que a prefeitura de São Paulo lançou um programa de combate ao desperdício de alimentos, colhendo aqueles que estão em bom estado de consumo e doando-os para mais de 300 entidades assistenciais cadastradas. No entanto, as feiras que estão em cidades sem esse tipo de programa e feirantes que não sabem como conservar alimentos acabam jogando fora produtos que poderiam ter outro fim.

Desse modo, separamos neste guia tudo o que você precisa saber para evitar o desperdício de alimentos na feira. Se não quiser perder nenhum detalhe, continue a leitura conosco. Vamos lá?

1. Por que é preciso evitar o desperdício de alimentos?

O desperdício de alimentos no Brasil é um grave problema a ser enfrentado tanto por feirantes quanto pela população em geral. Além de afetar o meio ambiente, ele traz prejuízos para a economia, como aponta um estudo da Abras: os supermercados deixaram de faturar R$ 7,11 bilhões em alimentos descartados em 2016.

Segundo dados da FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) os principais alimentos a irem para o lixo são frutas, hortaliças, raízes e tubérculos. Desse modo, vemos que quase metade do que é colhido é jogado fora. Ainda vemos que cereais representam 30% de desperdício, enquanto peixes, carnes e lácteos representam 20%.

Tais dados mostram como o Brasil ainda está bastante atrasado em termos de políticas que auxiliem empreendedores a evitarem o desperdício. Tal problema está gravemente atrelado à logística e ao armazenamento de alimentos, o que mostra a necessidade de compreender como melhorar a cadeia de distribuição das empresas, além do desafio de vencer os hábitos comportamentais de anos.

Também podemos citar a falta de qualidade ou, até mesmo, de investimento em rodovias, hidrovias e ferrovias, fazendo com que, muitas vezes, todo o valor investido em máquinas no campo da agricultura e pecuária para o aumento da produção seja quase que em vão. Hoje, o consumidor não quer produtos “feios” ou, até mesmo, “machucados”, pois a grande concorrência mostra o leque gigante de opções disponíveis.

As consequências do desperdício apontam, ainda de acordo com dados da FAO, um prejuízo econômico de quase R$ 3 trilhões, além dos valores nutricionais e recursos naturais gastos sem necessidade. Quando pensamos no Brasil, vemos uma estimativa de 7,2 milhões de pessoas afetadas pela fome, dentro de um cenário de perda estrondosa de alimentos. Analisando a América Latina, o total de desperdício poderia alimentar, em média, cerca de 200 milhões de pessoas, mostrando o problema global existente.

Ideias de empresas para evitar o desperdício de alimentos no Brasil

Uma ideia genial foi a criação das maçãs da Turma da Mônica pois, por serem maçãs muito pequenas para o gosto do brasileiro, o seu descarte era muito maior ou o valor de venda era muito baixo. Desse modo, foi relacionado o tamanho da fruta com o público infantil, que, hoje, acaba levando as tais maçãs nos seus lanches diários. Hoje, inclusive, os frutos custam até mais do que outros maiores disponíveis no mercado.

Outra ação realizada pelo supermercado Carrefour foi o lançamento do programa “Únicos”, que oferece alguns alimentos como frutas e legumes com descontos de 30% por serem considerados “feios”. Desse modo, pessoas que buscam fazer as suas compras com um orçamento mais estreito podem encher o carrinho e evitar o desperdício de tais alimentos que ficariam parados no varejista.

Por fim, podemos citar uma iniciativa bastante solidária, que é o lançamento do aplicativo “Comida Invisível” da Save Food: a ferramenta conecta pessoas que tenham comida sobrando com outras que precisam dela. Desse modo, o doador pode ser de diferentes tipos de estabelecimentos, como restaurantes, buffets, bares etc., oferecendo os produtos para doação.

Enquanto isso, quem busca a comida pode navegar no mapa disponível e achar um doador. Quando ambos derem “Match” (como no aplicativo de relacionamentos Tinder), deve ser feito o acordo, e, quando aceito, então, o app mostra onde é o local de retirada. A única restrição de uso é que o doador ofereça alimentos que estejam dentro da validade.

Isso também é uma ação que ajuda os consumidores a perceberem a sua responsabilidade e o papel que têm para com a sociedade — não só de desperdiçar comida, mas também de buscar por práticas que sejam sustentáveis.

Depois de conhecer mais sobre o desperdício de alimentos, entenda melhor qual é a importância de ter uma política a respeito do problema nas feiras. Para isso, continue a leitura.

2. Qual a importância de ter uma política para evitar desperdício de alimentos na feira?

Ainda no processo da colheita, pode ser visto um desperdício de 10% dos alimentos, e, durante o transporte e armazenamento, um total de 30%. Quando chegam no comércio, esse valor pode chegar a 50%, o que mostra a falta de preparo e conscientização dos varejistas. Pequenos e médios empreendedores, muitas vezes, não conseguem levar adiante os seus negócios pelo impacto que sofrem do mesmo problema.

Além da grande dificuldade de se manter no mercado devido aos altos impostos cobrados e a concorrência acirrada, o custo de compra de alimentos que são jogados no lixo e o retorno (muitas vezes, negativo sobre o investimento) fazem com que o negócio seja diretamente e altamente prejudicado.

Ainda que, especificamente, alguns alimentos sejam baratos, o custo ambiental e no bolso do feirante são enormes, pois isso poderia ser positivamente revertido para os seus lucros. Quando você deixa de vender um alimento, está, consequentemente, deixando de lucrar e de poder investir em melhorias na sua barraca, aumentar o mix de produtos, colocar alguma nova tecnologia para incentivar o processo de compra dos consumidores etc.

Por isso, vamos abordar agora como você pode fazer um planejamento a médio e longo prazo a fim de evitar o desperdício de alimentos. Confira!

3. Como fazer um planejamento para evitar o desperdício de alimentos na feira?

Como você viu, o desperdício é um problema que afeta tanto o meio ambiente quanto a economia – e o feirante, principalmente. Além de ter a consciência da situação, é necessário que o feirante pense (ao médio e longo prazo) em como pode reduzir ou, até mesmo, cessar o número de alimentos que vão para o lixo. Veja como é possível se planejar.

Defina o mix de produtos

Muitos feirantes, assim que abrem as suas barracas, querem vender a maior quantidade de mix de produtos, a fim de atender uma grande gama de consumidores. No entanto, isso pode ser uma estratégia arriscada, pois caso não venda todos os alimentos, você terá um prejuízo grande e desperdiçará bastante.

Para evitar que isso aconteça, é necessário entender qual público você vai atender e, se possível, até mesmo, desenhar a persona que vai comprar os seus alimentos. As personas são representações fictícias de seus melhores clientes e, por meio de algumas informações complementares às do público-alvo, é possível oferecer produtos ainda mais específicos, que evitem o desperdício daquilo que não é tão relevante para esses compradores.

Logo, após definir algumas especificidades (como o que mais procuram e as suas principais dores) é possível colocar no papel os principais alimentos que, de fato, serão relevantes para o consumidor. Assim, você evitará investir em alimentos com baixo giro de vendas e também reduzir o desperdício.

Ademais, se possível, veja entre tais alimentos quais são os que possuem maior giro pois essa é uma aposta mais garantida de que a venda seja certa, evitando sobras.

Tenha um controle de qualidade interno

Após receber a sua mercadoria, é extremamente relevante que você possua um controle de qualidade, desde o armazenamento até o transporte e exposição dos produtos. Com isso, é possível aumentar o tempo de vida do alimento e saber exatamente onde há gaps que podem ser trabalhados.

Por isso, faça uma planilha com todas as fases de contato com os alimentos e como você acredita que deve ser o cuidado com eles para evitar qualquer ação que possa prejudicar a sua durabilidade. Tendo isso em mente, além de melhorar as próprias ações, é possível avaliar também os seus colaboradores.

Calcule a demanda de produtos

O desperdício ocorre, principalmente, pelo fato de muitos feirantes não saberem calcular a demanda de produtos a serem vendidos — levando, consequentemente, a sobra de alimentos para o lixo. É muito importante ter o costume de anotar a venda média de produtos de cada feira pois, assim, será mais fácil prever a quantidade que deve ser comprada.

ebook-feirantePowered by Rock Convert

Ou seja, se você produz 5 feiras diferentes, é recomendado que tenha uma média do quanto vende em cada uma, e, se possível, de cada produto. Ao ter algum tempo de números avaliados, é possível chegar em uma ideia base de quanto vai vender aproximadamente, e, assim, comprar de seus fornecedores um total muito mais próximo do que vai fornecer, de fato, aos seus clientes.

Além disso, acompanhe datas sazonais e tipos de alimentos que são mais vendidos. Com tais dados em mãos, ainda é possível aplicar uma porcentagem de expectativa de aumento da demanda em relação a anos anteriores. Por exemplo, se fizer um estudo deste ano, no ano seguinte, poderá ter a ideia do quanto vendeu e ainda adicionar mais uma porcentagem aproximada de crescimento, encontrando uma base ainda mais acertada.

Esse planejamento é essencial em períodos como Natal ou outras datas comemorativas, pois reduz a compra desnecessária de alguns alimentos ou, inclusive, a falta de alguns deles. Para isso, você pode criar planilhas automatizadas ou até algumas mais simples, para ajudar no seu controle. Se precisar de auxilio para calcular a demanda do seu negócio, pode clicar aqui.

Tenha delivery para aumentar o giro de produtos

Você pode se planejar para contratar alguns motoboys ou, até mesmo, algumas pessoas que já possuam carro para entregar diretamente na casa dos clientes. Muitas pessoas, hoje em dia, preferem receber os alimentos em casa para economizar tempo e estão, inclusive, dispostas a pagar mais por isso.

Ou seja, em vez de não atender uma parcela da população que gostaria de comprar frutas e verduras fresquinhas, mas que, por algum motivo maior, não podem ir a feira, você poderá levar os seus produtos até ela, aumentar as suas vendas e reduzir a quantidade de alimentos que ficariam sobrando em sua barraca.

Entretanto, é importante fazer testes em algumas regiões e, a longo prazo, entender o quanto isso é viável para determinadas regiões, além de definir rotas e o preço da entrega. Para isso, ponha as ideias no papel e veja as possibilidades de realizar tal ação.

Agora que você sabe como planejar-se para evitar o desperdício de alimentos em sua barraca, é essencial entender como evitar o desperdício, de fato, no dia a dia com ações específicas. Não perca nenhum detalhe a seguir.

4. Como evitar o desperdício de alimentos no dia a dia da feira?

Agora que você já sabe o impacto do desperdício de alimentos na feira, vamos apresentar algumas pequenas soluções que, quando feitas de forma conjunta, podem reduzir drasticamente o problema. Confira abaixo.

Tenha boas práticas de higiene

As boas práticas de higiene começam desde a compra com o seu fornecedor até a hora de expor os produtos na sua barraca. Para que isso aconteça, inclusive, as instalações devem estar em boas condições e adequadas para receber os produtos de forma que se possa manter a limpeza.

Selecione os melhores fornecedores

Escolher bons fornecedores é muito relevante para garantir que os seus produtos estejam sempre frescos e com bastante qualidade. Para isso, é essencial que você conheça a fundo sobre o produto vendido e as melhores práticas de transporte e mantimento.

Por isso, trabalhe com pessoas que priorizem a qualidade e que sigam as normas exigidas na comercialização. Algumas práticas a que você pode se atentar na hora de escolher bons fornecedores são:

  • habilidade de produção;
  • capacidade de atender a certas exigências;
  • boa reputação no mercado;
  • localização próxima de onde você vai vender os produtos, diminuindo o tempo de transporte;
  • preços competitivos e boa qualidade.

Com isso, você garantirá não só a redução do desperdício de produtos como também uma maior satisfação dos clientes — e, consequentemente, mais chances de fidelização!

Não exponha os alimentos ao sol

Ainda que pareça ser bastante intuitivo, muitos feirantes acabam expondo os seus produtos embaixo de locais com muito sol ou que não tenham barracas com lonas que os cubram. O calor do sol ou as altas temperaturas podem aumentar a possibilidade de intoxicação alimentar ou outras enfermidades. Por isso, invista em lonas de cobertura para a sua barraca!

Escolha o melhor lugar para posicionar a sua barraca

Na hora de montar a sua barraca, tente escolher um local que esteja protegido de muito contato com a poluição — como o final da feira, onde já começam a passar carros por perto —, além de locais que sejam muito úmidos ou extremamente quentes.

Todos esses cuidados são essenciais para garantir que a sua barraca esteja localizada em um local que contribua para que os alimentos não acabem perecendo por situações externas, como chuva, poeira e calor excessivo.

Não deixe alimentos podres perto de outros ainda bons para consumo

O apodrecimento de frutas acontece, geralmente, pela existência de fungos e bactérias que existem na casca do fruto, invadindo os tecidos e decompondo substâncias presentes, como o açúcar. Tais fungos e bactérias passam com facilidade de um alimento para outro pelo ar ou pelo contato direto, principalmente quando há um maior número de frutas maduras, onde a concentração de açúcar é maior.

Desse modo, esteja bastante atento ao que está exposto e o que está guardando dentro das caixas para evitar a evitar a contaminação de alimentos e, consequentemente, a perda de mais alimentos.

Evite conservar os produtos em lugares úmidos

Como dito anteriormente, fungos e bactérias gostam da umidade e, por isso, acabam se multiplicando com maior facilidade em períodos de chuva. Por isso, feirantes que guardam frutas em lugares com maior umidade podem acabar vendo-as apodrecendo de forma mais rápida, e contribuindo para o desperdício de alimentos. Portanto, encontre um local seco para o armazenamento!

Faça promoções

É muito comum que feirantes deixem para fazer ao fim do dia algumas promoções, ao verem que certos produtos não vão ser vendidos. No entanto, é necessário estar atento desde o começo da abertura se a saída está de acordo com as suas expectativas pois, caso não, é importante que estude uma maneira de baixar a sua margem de lucro para não perder o produto.

O que também pode ser feito é incentivar a compra para estimular a saída dos alimentos, como, por exemplo: levando três produtos, ganhe um cacho de bananas — ou qualquer outro item que você saiba que dificilmente vai vender e, consequentemente, jogará no lixo.

Explore a venda casada de produtos

A venda casada é uma forma de explorar a comercialização de alimentos que possam se complementar. Para isso, é importante estudar as principais funções de frutas e verduras e como usá-las na cozinha. Por exemplo, quando um cliente comprar morangos, você pode oferecer algo que case com o sabor, como tâmaras, podendo, inclusive, dar um pequeno pedaço para que ele deguste.

Existem diferentes ações para evitar o desperdício que podem ser feitas por feirantes, no entanto, caso a barraca não esteja em boas condições ou com lonas de má qualidade, a probabilidade de seus esforços não terem um bom retorno é muito grande. Por isso, continue conosco e veja como é possível ter uma barraca de feira que ajude a preservar os alimentos para a venda.

5. Como ter uma barraca de feira que ajude a preservar os alimentos?

Quem é feirante sabe o quanto as questões climáticas podem afetar a exposição de seus produtos. Quando chuvas muito fortes acontecem, por exemplo, é normal que prejudiquem a durabilidade dos alimentos, uma vez que umidificam a área. Além disso, quando a barraca e o local onde os produtos estão expostos ficam molhados, a probabilidade de aumento de fungos e bactérias é muito grande.

Como dissemos, tais fungos e bactérias podem não só prejudicar a qualidade do alimento como também influenciar em sua durabilidade, contribuindo para que apodreçam mais rapidamente. Desse modo, é extremamente relevante que você escolha lonas para feira que sejam impermeáveis, pois elas evitarão o estrago do que está exposto por conta da umidade.

Ademais, proteja a sua barraca também com lonas de cobertura pois, além de proteger os alimentos da chuva, elas serão úteis para reduzir o contato com a poeira – fator bastante comum em cidades grandes. Algumas opções da Sansuy disponíveis para ajudar em tais pontos são a linha vinilona KP1000 leblon para a cobertura e a vinilona KP500 leblon.

É muito comum que ocorram erros na hora de comprar lonas para barracas, por isso, é importante estar atento aos principais pontos na hora de comprar a sua: proteção de alimentos, manutenção da temperatura e lonas específicas para feira. Tendo esses três pilares principais em mente, é possível que você encontre a opção que o ajude na saga do desperdício de alimentos.

Muitos feirantes ainda têm a dúvida de como evitar o desperdício de alimentos mas, com todas essas dicas, fica bem mais fácil de organizá-las em sua rotina, não é mesmo? Tenha uma política de desperdícios, faça um bom planejamento que evite tal desperdício e invista em uma barraca que ajude a preservar os seus alimentos. Assim, além de conservar melhor o produto a ser entregue ao consumidor, você também reduzirá custos. Então, comece já!

Viu como é importante aprender cada vez mais? É possível melhorar a sua produtividade e organização com diferentes conteúdos disponíveis para feirantes. Por isso, não deixe de assinar a nossa newsletter e receber, em primeira mão, outras dicas essenciais para turbinar ainda mais o seu negócio!

Powered by Rock Convert