+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Veja como monitorar a turbidez da água na piscicultura

Modificado em: dezembro 15, 2023

A qualidade da água desempenha um papel fundamental na saúde e no desenvolvimento dos organismos aquáticos, de modo que se torna uma preocupação central na prática da piscicultura. Entre os diversos parâmetros que afetam esse ambiente, a turbidez da água é um indicador que merece atenção.

As consequências da água turva vão além da estética, uma vez que impacta diretamente a eficiência alimentar, a taxa de crescimento e a saúde geral dos animais. Diante desse cenário, o monitoramento constante da turbidez é uma atividade essencial para os profissionais da piscicultura.

Para que você saiba mais sobre o tema, preparamos este artigo. Nos tópicos a seguir, abordamos as causas desse fenômeno, suas implicações para a criação de peixes e as técnicas de monitoramento disponíveis. Acompanhe!

O que é a turbidez da água?

Esse fenômeno é um parâmetro físico que está relacionado à presença de partículas sólidas em suspensão na água. Ele mede o espalhamento de luz produzida por esses fragmentos, e quanto maior a presença de partículas, maior a turbidez.

Trata-se de um indicador fácil de ser analisado e é muito utilizado na piscicultura como acompanhamento das operações. Afinal, a turbidez demonstra se a água está em condições adequadas para ser usada na criação dos peixes.

O que causa a turbidez da água?

Se você já observou as águas de mananciais após chuvas fortes, deve ter percebido que elas ficam turvas. Isso acontece devido ao carreamento de sedimentos das margens pela enxurrada — uma das origens da turbidez da água.

Esse fenômeno ocorre por motivos diversos, como por sedimentos naturais ou por resíduos de atividades humanas. Conheça algumas das causas comuns da turbidez na piscicultura:

  • erosão do solo nas margens da criação de peixes, quando não há mata ciliar;
  • despejo de efluentes agrícolas, dejetos de animais e produtos químicos de forma inadequada;
  • excesso de ração não consumida ou mal formulada, cujas partículas podem permanecer em suspensão na água;
  • suspensão de sedimentos do fundo do viveiro devido a práticas de manejo, como aeração intensiva ou a movimentação da água;
  • presença de materiais orgânicos na água, como bactérias, algas, protozoários, entre outros.

Quais as consequências para a piscicultura?

Quando há uma grande quantidade de partículas na água, significa que a turbidez será mais alta do que o desejado. Na piscicultura, esse fenômeno pode ter diversas consequências negativas para o ambiente aquático e para a criação de peixes. A seguir, confira algumas.

Redução da visibilidade

A turbidez diminui a visibilidade na água, o que pode afetar negativamente o comportamento alimentar dos peixes. Isso leva a uma menor eficiência na captura de alimentos e, consequentemente, afeta o crescimento e o desenvolvimento adequados.

Prejuízo à fotossíntese

A presença excessiva de partículas em suspensão também limita a penetração da luz na água, prejudicando a fotossíntese das plantas aquáticas e das algas. Dessa forma, a produção de oxigênio e a qualidade geral do ambiente são diretamente afetadas.

Estresse e doença nos peixes

Outro impacto da turbidez da água é um maior estresse nos peixes, situação que interfere em suas atividades normais, como a busca por alimentos e a interação social. Além disso, a presença de partículas pode obstruir as brânquias dos peixes, dificultando a respiração e comprometendo a saúde respiratória, além de aumentar as chances de doenças.

Impacto na filtração

Não apenas os animais são impactados pela turbidez, mas também os equipamentos que você utiliza na piscicultura. Isso porque os sistemas de filtração e aeração tendem a ser afetados, uma vez que partículas em suspensão são capazes de entupir os filtros e diminuir a eficiência desses sistemas essenciais para manter a qualidade da água.

Como fazer o monitoramento da turbidez da água?

Para quem busca otimizar as condições ambientais e promover o sucesso sustentável da piscicultura, é importante conhecer as formas de monitorar a turbidez da água. Para isso, podem ser usados dois tipos de equipamentos: o turbidímetro ou o nefelômetro.

Eles têm a finalidade de avaliar como a luz se reflete ao passar por uma amostra específica, comparando esse reflexo com o espalhamento de luz obtido nas mesmas condições ao atravessar uma suspensão padrão. Nesse caso, quanto maior for o espalhamento mostrado pelos instrumentos, maior será a turbidez.

Outra iniciativa recomendada é investir em análises laboratoriais para analisar a qualidade da água e determinar as causas da turbidez. Assim, é possível identificar o tamanho e as características das partículas, bem como sua granulometria e seus origens, o que auxilia no tratamento do problema.

Como evitar que a água fique turva?

Para se prevenir contra a turbidez na piscicultura e manter a qualidade da água, é ideal colocar em prática alguns cuidados na rotina do trabalho. Apenas assim é possível promover um ambiente saudável para os peixes e garantir a sustentabilidade da operação a longo prazo. Confira as principais medidas para evitar esse fenômeno:

  • faça o manejo adequado do solo, evitando práticas que levem à erosão ao redor dos viveiros e, consequentemente, o escoamento de sedimentos para a água;
  • gerencie a quantidade e o tipo de ração fornecida aos peixes com cuidado, de modo a evitar que alimentos não consumidos contribuam para a turbidez;
  • implemente sistemas de filtração eficientes para reter partículas em suspensão na água, como filtros mecânicos e biológicos;
  • controle a aeração para manter a circulação da água e prevenir a sedimentação de partículas no fundo do viveiro;
  • adote práticas de manejo sustentável que minimizem o impacto ambiental, como o tratamento adequado de efluentes e resíduos;
  • implemente estratégias para controlar o crescimento excessivo de algas, como o uso de produtos adequados ou a introdução de organismos consumidores de algas;
  • monitore a qualidade da água de forma contínua e tome medidas corretivas antes que a turbidez atinja níveis prejudiciais.

A turbidez da água não é apenas um indicador visual da qualidade desse elemento, mas também um fenômeno-chave para a produtividade na piscicultura e o bem-estar dos peixes cultivados. Agora que você tem o conhecimento certo sobre esse parâmetro, basta implementar práticas preventivas e ações corretivas para evitar a água turva na piscicultura.

Gostou deste artigo e deseja conferir mais conteúdos para ajudar em seu trabalho? Continue por aqui e descubra como funciona a produção de peixes no inverno e quais cuidados tomar!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Materiais Gratuitos