Voltar para a página inicial

Entenda as causas de secas e incêndio florestal e como prevenir

Modificado em: maio 31, 2023

O Instituto Estadual de Florestas (IEF) indicou, em pesquisa, que cerca de 99% dos incêndios florestais são originados por fatores humanos, envolvendo, sobretudo, a negligência nas ações. E a preocupação com esse problema, cada vez mais comum no mundo inteiro, é plenamente justificável.

Existe uma relação muito próxima entre secas e incêndio florestal. No período do ano em que a temperatura sobe e a umidade fica baixa, é fundamental seguir todas as medidas de precaução para proteger sua propriedade. Portanto, conhecer as causas ajuda na tomada de decisões eficientes, preservando a natureza e, consequentemente, os recursos econômicos.

Para ficar por dentro do assunto, continue conosco no post e saiba tudo sobre secas e incêndios florestais, desde as causas até as prevenções, passando pelos efeitos e por outros elementos. Boa leitura!

Períodos de seca e risco de incêndios

Considera-se um incêndio florestal qualquer foco de fogo descontrolado incidindo sobre algum tipo de vegetação. Durante períodos de seca, esse risco aumenta, mas a causa não necessariamente é natural, conforme já observamos: o homem também tem influência direta sobre esse problema.

Usando como exemplo o estado de Goiás, entre maio e junho de 2020: o Corpo de Bombeiros registrou subida de 99% na quantidade de queimadas em comparação ao mesmo período do ano anterior. Esse fenômeno, apesar de estimulado pela ação humana em diversos casos, deixa claro como o clima afeta o risco de incêndio florestal. Em regiões secas, com baixa umidade e temperaturas elevadas, a propagação do fogo é facilitada.

Causas de seca e incêndios florestais

Secas são espécies de anomalias naturais em que a condição meteorológica do local é diretamente afetada. Assim, os índices pluviométricos caem de maneira drástica, por vezes, inclusive, chegando a zero durante meses. A principal causa reside nas próprias características naturais da região.

É normal pensar, por exemplo, no Nordeste brasileiro como área fortemente marcada pelas secas. Afinal de contas, essa parte do território favorece a estiagem, já que a umidade do ar costuma figurar em quantidades bem reduzidas. Mas, nos últimos tempos, se notou outros motivos, sobretudo impostos pelo homem, para a ausência de chuvas, como:

  • desmatamento em níveis cada vez maiores;
  • exploração desregulada de reservas subterrâneas de água;
  • péssimo gerenciamento do consumo de água;
  • insuficiência dos sistemas de estoque de água;
  • desordem territorial.

A relação entre secas e incêndio florestal também torna importante conhecer as principais razões pelas quais o fogo pode consumir vegetações. Quando escapam do controle humano e passam a provocar diversos danos, as chamas configuram o conceito de incêndio florestal. Entre as causas do problema, boa parcela tem relação direta com a ação das pessoas, conforme você observa a seguir:

  • baixo índice pluviométrico com umidade também reduzida;
  • pastoreio, ou seja, o emprego do fogo para renovar pastagens e controlar pragas e ervas daninhas;
  • atividade agropastoril, visando à limpeza de terrenos para a agricultura ou pecuária;
  • crimes;
  • turistas, caçadores, trabalhadores e outras pessoas que acendem fogueiras em espaços de visitação pública, mas não tomam o cuidado de apagá-las adequadamente, preservando a natureza;
  • fumantes que jogam cigarros e fósforos acesos na vegetação seca;
  • descargas elétricas;
  • linhas elétricas e suas redes de alta tensão cruzando florestas, principalmente quando a manutenção deixa a desejar;
  • estradas de ferro que soltam faíscas por atrito.

Efeitos dos incêndios

A absurda quantia de hectares destruídos por incêndios florestais provoca consequências igualmente devastadoras. Listamos, a seguir, algumas das mais relevantes para o meio ambiente e as pessoas.

Risco à vida humana

O fogo nem sempre tem controle fácil, sobretudo em regiões de matas. Quando acontece em grandes proporções, então, oferecem, sim, um risco à vida das pessoas. De extinção complicada nas vegetações, as chamas se alastram com rapidez. Isso exige uma difícil ação do homem em locais marcados por topografias delicadas, ventos e outros fatores, como o próprio cansaço humano para lidar com a situação.

Prejuízo à capacidade produtiva

Propriedades dependentes de seus recursos próprios para garantir subsistência correm sério risco com secas e incêndio florestal. Afinal de contas, o fogo costuma favorecer vegetações herbáceas, além de matas secundárias. Empobrecendo e diminuindo a densidade das florestas, esse problema também causa danos à eficiência da produção de madeira, por exemplo. Sem falar na necessidade forçada de cortar árvores que ainda não finalizaram o processo de maturação.

Danos naturais

Quando se fala das árvores e do solo, o prejuízo causado pelas chamas varia de acordo com a intensidade delas, é claro. Quanto menos evoluído é o recurso natural, mais vulnerável ele fica. A morte precoce de árvores e a exposição do solo a agentes erosivos não caminham sozinhos nessa trilha de danos oriundos dos incêndios. A fauna também sofre, pois muitos animais podem não conseguir escapar do fogo, e o caráter protetor da floresta perde força, deixando-a mais suscetível a deslizamentos, inundações etc.

Medidas de prevenção

Aqui, vimos uma série de ações que estimulam o surgimento de incêndios florestais. Portanto, como não poderia ser diferente, as medidas de prevenção têm relação direta com os chamados ”gatilhos”. Em outras palavras, é essencial que se trabalhe na conscientização para não cometer erros básicos que, em sequência, podem originar focos de incêndio. As principais medidas preventivas são:

  • seguir a legislação ao explorar a terra, independentemente da técnica;
  • não acender fogueiras em locais perto da vegetação, nem usar incensos, velas ou outros emissores de calor;
  • se for necessário acender uma fogueira, preze por ambientes claros e distantes de elementos inflamatórios, como galhos, e tenha sempre à mão itens para apagar chamas, como água e terra;
  • não atirar cigarros ou fósforos em qualquer lugar;
  • não fumar em meio a vegetações secas.

Soluções da Sansuy

Diante desse cenário de busca por preservação ambiental, a Sansuy disponibiliza uma série de alternativas eficientes. Empresa 100% brasileira atuando há mais de 54 anos no mercado, a marca é movida pela determinação de criar soluções que facilitem a vida dos clientes. Hoje, nós atendemos inúmeros setores da indústria e contribuímos para, entre outras ciosas, o combate ao incêndio nas operações. Continue a leitura e conheça o Viniliq.

Viniliq

O Viniliq auxilia no abastecimento imediato de água potável e no reuso, sem desperdício. Feito em lona de PVC de alta resistência e impermeabilidade, ele é antifungos, atóxico e totalmente lacrado. Assim, garante eficácia na prevenção contra a dengue e, quando fora de uso, pode ser dobrado para fácil armazenagem.

Viniliq Pipa

É um reservatório móvel que se adapta a vários veículos de transporte, dependendo do volume ou capacidade necessária. O Viniliq Pipa é totalmente lacrado, entregando inúmeras vantagens sobre outros tipos de transporte de líquidos. De quebra, pode ser usado em obras civis, indústrias, pequenas empresas, irrigação e atendimento emergencial, como no caso de seca ou combate a incêndio.

Secas e incêndio florestal têm ligação muito próxima, e pudemos confirmar essa máxima ao longo do texto. Para preservar a natureza e facilitar suas operações, é vital conhecer as causas do fogo em vegetações abertas, o que ajuda a tomar decisões preventivas. Coloque-as em prática!

Se gostou do conteúdo, aproveite a visita ao blog e saiba mais a respeito do Viniliq Pipa!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos