Voltar para a página inicial

Saiba mais sobre como fazer criatório de peixe de forma econômica

Modificado em: maio 31, 2023

A piscicultura é uma das atividades econômicas que mais geram oportunidades de lucro no Brasil. No entanto, nem todo criador tem muito dinheiro disponível para começar o negócio. A busca sobre como fazer criatório de peixe de baixo custo é válida, já que é possível começar gastando pouco.

Da necessidade de fazer tudo dentro da lei até a compra dos equipamentos, tudo precisa ser pensado com inteligência. A criação de peixes é uma atividade que exige conhecimento, mas que pode ser muito interessante para quem sabe como escolher as melhores alternativas.

Neste post, você saberá como fazer um criatório de forma econômica! Veja todos os pontos aos quais você deve ficar atento e saiba como gastar pouco!

Conheça as exigências legais

Seu negócio não pode simplesmente começar do dia para a noite. Há leis que fiscalizam e regulamentam a atividade, por isso é importante saber detalhadamente o que cumprir. Isso garante que, a longo prazo, você possa desenvolver a sua criação sem problemas.

Registro do negócio

Primeiramente, é preciso registrar-se como empresa nestes órgãos:

  • Corpo de Bombeiros;
  • Receita Federal;
  • Sefaz;
  • Prefeitura (alvará);
  • registro no Conectividade Social (INSS/FGTS, da Caixa).

Registros gerais de funcionamento

Além dos procedimentos de registro da empresa, é necessário realizar alguns procedimentos, como:

  • consulta de local e emissão das certidões de Uso de Solo e Número Oficial, ambas solicitadas junto à prefeitura;
  • solicitação de alvará de licença sanitária;
  • autorização do Ibama (caso seja necessário desmatar áreas);
  • registro de piscicultor junto à Secretaria de Aquicultura e Pesca (SAP/MAPA).

Escolha a espécie de peixe

Tão importante quanto saber como fazer criatório de peixe é ficar atento às espécies que serão criadas. Há uma boa variedade de espécies nativas do Brasil, então é preciso avaliar as condições de que cada uma delas necessita.

Diferentes espécies têm exigências específicas para sobrevivência e desenvolvimento, por isso o piscicultor deve saber se consegue entregar a condição mínima exigida para a sua evolução plena. Questões como temperatura da água, clima da região, exigência de alimentação, tempo de reprodução e crescimento, além do convívio em grupo, são fatores importantes.

Essas diferenciações de acordo com o manejo de cada espécie podem encarecer a criação. Em meio a todas essas questões, entre os peixes que mais dão retorno e têm menos exigências, vale o destaque para espécies como:

  • tambaqui;
  • tilápia;
  • tambatinga;
  • lambari;
  • carpa;
  • pacu.

Encontre uma boa localização

A localização é sempre uma questão a ser analisada, mas é preciso avaliar o custo que essa escolha vai gerar. Há, basicamente, dois tipos de criação que se relacionam com a localização: extensiva e intensiva.

A primeira é de custo mais baixo, já que é feita dentro de regiões amplas, como lagos. Os peixes se desenvolvem de maneira mais natural, sendo selecionados posteriormente.

Já a criação intensiva é controlada, feita dentro de tanques. Apesar de exigir mais custos com infraestrutura, é possível criar condições otimizadas para que as espécies se desenvolvam mais rápido. Além disso, o controle é mais adequado, o que melhora o resultado nas vendas.

Fatores para considerar

Ao pensar em uma criação intensiva, as possibilidades de localização são amplas, o que torna muito mais fácil essa busca de como fazer criatório de peixe. Um simples quintal de uma residência é suficiente, desde que haja espaço para montar o tanque de criação.

O ideal é que a área seja de fácil acesso, tanto para o criador quanto para veículos, já que insumos precisam chegar a todo tempo. Há tanques de vários tamanhos, ou seja, é possível adaptar a criação a espaços de todos os tipos.

Outro ponto que deve ser observado é a temperatura do local. Como você viu, determinadas espécies lidam melhor com o frio, enquanto outras são mais do calor. Basta fazer a escolha mais adequada!

Monte a melhor estrutura

É possível montar dois tipos de estruturas de criação: os tanques ou viveiros escavados. O primeiro requer uma estrutura externa metálica revestida de lona. Ele é circular ou retangular, tem cerca de um metro de profundidade e é confeccionado em lona de PVC, resistente o suficiente para a piscicultura.

Do contrário, é possível fazer um viveiro escavado, ou seja, abrir o espaço na terra e fazer a criação ali. Nessa escolha, o ideal é usar uma lona específica para a criação de peixes, que revestirá o tanque como uma espécie de piscina. Isso evita a contaminação da água e garante a melhor estrutura para o crescimento controlado.

Compre os equipamentos necessários

O manejo do cotidiano de criação exige algumas ferramentas que vão facilitar bastante a vida do piscicultor. Algumas delas são realmente indispensáveis, já que ajudam em processos como a alimentação dos peixes. Em meio a esses equipamentos há, além dos voltados à conservação das espécies, aqueles que garantem a segurança do trabalhador.

O investimento é necessário, mas não precisa ser tão alto. Se a sua criação é inicial e de menor porte, uma seleção mais reduzida é suficiente para não gastar muito. Nela, é preciso ter:

  • termômetro;
  • bomba d’água;
  • aerador;
  • moedor (para a ração dos peixes);
  • carrinho de mão;
  • ferramentas de manutenção em geral;
  • isopor para conservar a ração;
  • balança de precisão;
  • Sacola para peixes;
  • avental e capa de proteção.

Investir nos equipamentos certos é imprescindível para uma produção otimizada, pois eles garantem melhores condições de crescimento para os animais. O aerador para piscicultura, por exemplo, é um aparelho que aumenta a quantidade de oxigênio incorporado à água, para que a respiração dos peixes não fique comprometida nos ambientes confinados.

Organize a produção

Planejar os ciclos de crescimento e a rotina de trabalho não custa nada e é indispensável! É fundamental ter organização na hora de saber como fazer criatório de peixe, já que isso marca o sucesso do negócio. Basta colocar na ponta do lápis tudo que é necessário para o dia a dia de produção, de modo que você consiga se guiar.

Algumas atividades devem ter dia e hora para serem feitas, entre elas:

  • checagem dos peixes;
  • alimentação;
  • medição da temperatura da água;
  • checagem da água;
  • troca da água.

A produção é feita por meio de muitos esforços e de uma preocupação constante com a qualidade do ambiente dos peixes. Se o mínimo é oferecido, certamente eles poderão se desenvolver como esperado. Por isso, não tem segredo: basta se organizar!

Faça um planejamento da sua criação de peixes

Fazer um planejamento do seu negócio é essencial para que você tenha uma criação lucrativa com o uso inteligente do seu dinheiro, pois é a partir disso que você saberá os passos certos para iniciar no seu nicho. Confira a seguir as dicas que temos para você.

Estudo de mercado

A piscicultura é uma área bem abrangente, pois há uma variedade de peixes, tipos de cultivo e equipamentos que o piscicultor deve escolher para focar a sua produção. Assim, o estudo de mercado é a ferramenta que vai mostrar quais são os caminhos mais viáveis para investir, além das melhores estratégias que farão o seu investimento valer à pena.

Tenha em mente que o estudo de mercado serve como um guia para a sua produção, mas de forma alguma você deve se limitar ao que já está sendo feito por outros produtores. Em vez disso, empregue suas ideias inovadoras para desenvolver os potenciais que a piscicultura tem a oferecer.

Conhecimento do público-alvo

Uma parte fundamental do planejamento inclui delimitar seu público-alvo e estudar os seus hábitos de consumo, para então compreender o que motiva a essas pessoas na hora da compra e de que forma seus produtos podem chegar a elas. Isso também ajudará você a descobrir grandes oportunidades em nichos que ainda carecem de ofertas para suprir suas demandas.

Essa estratégia é importante mesmo para quem vai investir em pequenas produções, pois realmente existe um público que prefere os pequenos produtores, já que suas formas de cultivo costumam ser mais ecologicamente corretas.

Plano de viabilidade financeira

O plano de viabilidade financeira é o que define se um negócio vai trazer os lucros esperados ou se as estratégias ainda precisam ser ajustadas antes de iniciar as atividades do empreendimento. Em termos gerais, ele avalia se os custos da produção estão em conformidade com suas receitas e orçamento inicial.

Assim, esse plano deve incluir estimativas de tudo que envolve o seu negócio, desde a preparação dos criadouros até o valor que será repassado para o consumidor final. Ele será usado também para comparar os resultados obtidos em cada ciclo de produção com os que haviam sido planejados, para que eventuais falhas sejam corrigidas antes das próximas etapas.

Estratégias de otimização da produção

Quando se fala em otimizar a produção, a primeira coisa que vem à mente é o custo-benefício dos investimentos empregados. De fato, isso é algo importante para se ter em mente, mas a produtividade na piscicultura também está altamente relacionada à qualidade do ambiente fornecido aos animais.

O bem-estar dos peixes é fator determinante para a sua reprodução, que pode ficar significativamente prejudicada quando eles são submetidos a condições estressantes. As estratégias que podem evitar isso são o monitoramento das propriedades da água, a escolha do tanque ideal para piscicultura e a nutrição adequada dos viveiros.

Existem no mercado equipamentos capazes de promover a aeração e circulação da água, de forma que haja mais disponibilidade de oxigênio e a comida não fique depositada no fundo do criadouro, além de facilitar a remoção dos detritos metabólicos produzidos pelos animais.

Essas e outras práticas aceleram a taxa de crescimento dos peixes e permitem a criação de mais animais em um único tanque, sem que a sua qualidade de vida seja prejudicada. Dessa forma, é possível aumentar a rentabilidade da piscicultura ao se produzir mais organismos em cada ciclo produtivo.

Entenda a importância de escolher o tanque ideal para piscicultura

Nunca é demais ressaltar a importância de escolher bons equipamentos para cada negócio, principalmente quando envolve a criação de organismos vivos. O tanque ideal para piscicultura deve considerar as características da espécie a ser cultivada, bem como o tipo de cultivo.

Materiais adequados e de qualidade

Os tanques escavados precisam sempre ser revestidos com uma lona adequada para essa finalidade, tanto por questões econômicas quanto ambientais. Isso porque a piscicultura produz resíduos que podem desequilibrar o ecossistema local quando são liberados no meio ambiente.

A falta de impermeabilização também causa prejuízos ao próprio negócio, já que parte da alimentação dos peixes é perdida para o ambiente externo.

A geomembrana é o material mais recomendado para esse tipo de tanque, pois oferece uma excelente impermeabilização para qualquer estrutura que envolva a contenção de água e outros líquidos. Além dela, existem outros tipos de lona no mercado para tanques suspensos, as quais oferecem um ótimo custo-benefício.

Fornecedores reconhecidos no mercado

Impossível falar sobre tanque para piscicultura sem citar o papel de bons fornecedores para uma escolha acertada. Fabricantes reconhecidos no mercado usam materiais de qualidade superior que vão garantir os melhores resultados para a sua criação de peixes.

Além disso, eles fornecerão assistência sempre que você precisar de ajuda e saberão explicar as especificidades técnicas dos seus produtos para que você tome sua decisão com mais segurança.

Com fornecedores duvidáveis, você corre o risco de gastar seu dinheiro com produtos que se danificarão com pouco tempo de uso e comprometer o andamento da sua produção. Além disso, não haverá garantias de que os materiais foram produzidos de acordo normas técnicas de biossegurança e, portanto, não liberarão resíduos tóxicos nos seus tanques.

Mas como saber se o fornecedor é confiável? Alguns fatores que você pode conferir são:

  • a existência de selos tem selos que comprovam a qualidade da sua produção;
  • a quantidade de informações que ele disponibiliza sobre os seus produtos;
  • a variedade do seu portfólio;
  • seu tempo de experiência no mercado;
  • a qualidade do atendimento prestado aos clientes.

Viu como é possível ter eficiência na criação de peixes? O planejamento correto é a chave para alcançar o sucesso na piscicultura e colocar o seu produto em posição de destaque no mercado. Com as nossas dicas, você começará uma atividade bem estruturada e com um custo muito acessível.

Sem mistérios, a piscicultura está ao alcance de todos, desde que você tenha a infraestrutura necessária e o conhecimento sobre as espécies. Agora, confira esses 8 acessórios que não podem faltar em uma criação!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos