Voltar para a página inicial

8 questões sobre a criação de peixe Pintado para você considerar

Modificado em: março 25, 2024

Aumentar a produção de peixes com qualidade e fazer o seu negócio crescer é o sonho de muitos piscicultores. Contudo, saber escolher as melhores espécies para criar na sua região, as quais ofereçam bom desenvolvimento e rendimento, não é uma tarefa fácil.

O peixe pintado, por exemplo, é uma espécie nativa que atrai o interesse dos consumidores. Por ter uma das carnes mais apreciadas do mercado, a produção desse peixe tem grande rentabilidade, sendo uma excelente opção para os piscicultores.

A seguir, você encontrará um guia completo para ajudar você a investir na criação de pintado, com informações valiosas de cuidado no manejo, quantidade de peixes por tanque, ração, entre outros aspectos relevantes sobre o assunto. Continue a leitura para descobrir!

1. Quantas espécies de pintado existem hoje?

Pintado é o nome popular dado a peixes de duas espécies muito parecidas, a Pseudoplatystoma coruscans e a Pseudoplatystoma fasciatum. A diferença entre elas está no desenho das manchas que existem no seu corpo.

O pintado-real (Pseudoplatystoma coruscans) tem manchas redondas e pretas, já o cachara (Pseudoplatystoma fasciatum) apresenta desenhos pretos com várias formas. Neste post, focamos no pintado-real, pois essa espécie tem maior índice de engorda, chegando até 80 kg e 2 m de comprimento, enquanto o cachara é menor, atingindo até 20 kg.

2. Qual a distribuição e habitat do peixe pintado?

O pintado-real é um peixe de água doce da família Pimelodidae que ocorre em diversas bacias hidrográficas da América do Sul. Ele está presente em toda a Bacia Amazônica, incluindo os rios Amazonas, Madeira, Negro, Tapajós e Xingu.

Ele também pode ser encontrado na Bacia do Prata, nos rios Paraná, Paraguai, Uruguai e São Francisco, bem como em bacias menores como a do Rio Tocantins e do Rio Araguaia.

Cabe dizer que o pintado é um peixe de água doce que prefere rios de grande porte, com águas calmas ou de correnteza moderada. Em seu habitat natural, ele circula em profundidades variadas, desde áreas rasas até canais mais distantes.

Ainda assim, em geral, o peixe pintado prefere fundos com sedimentos, mas também pode ser encontrado em áreas rochosas, áreas com vegetação aquática, como macrófitas e aguapés.

3. Quais são as características da espécie pintado?

Por serem peixes de couro, eles não têm escamas no corpo, contando com barbilhões originados no maxilar e mandíbula, conhecidos como bigodes. É uma espécie carnívora que apresenta melhor desenvolvimento com temperaturas mais elevadas.

Além disso, a criação de pintado é considerada fácil por ser um peixe calmo que apresenta resistência a diferentes temperaturas da água e é tolerante ao manejo. O cuidado principal se dá com os ferrões que ele apresenta nas nadadeiras.

Sua carne é nobre, e muito saborosa, firme, branca e com baixo teor de gordura, com grande procura no mercado e bom faturamento para o piscicultor. É procurada, principalmente, por pessoas que buscam uma alimentação mais saudável.

Outros índices zootécnicos que tornam o peixe pintado uma ótima opção para produção, incluem:

  • é um peixe com crescimento rápido;
  • tem baixos índices de canibalismo, se comparado com outras espécies;
  • bom rendimento da produção — baixa perda associada a espinhos;
  • boa resistência ao manejo;
  • baixa exigência nutricional comparado com outras espécies.

4. Como é a produção de pintado no Brasil?

O pintado-real é uma espécie dócil que apresenta rápido crescimento e ganho de peso. A cada 1,8 kg de ração consumida, o peixe ganha 1 kg. Em 7 meses de cultivo, ele pode atingir 1,8 kg. Dessa forma, a produção oferece grande rentabilidade, permitindo a realização de uma safra e meia por ano. Segundo especialistas, a criação do pintado garante ao piscicultor 33% de lucro certo.

Com uma produção simples de 4 mil kg de pintado-real por hectare de espelho d’água, o piscicultor consegue atingir esse resultado. O único requisito necessário é ter, pelo menos, 2.200 alevinos com aproximadamente 2 kg cada para alcançar um rendimento de 2 mil peixes.

5. Como é a alimentação do pintado?

Na natureza, o pintado se alimenta de outros peixes, mas, em cativeiro, ele precisa se habituar à ração. Contudo, hoje já é possível encontrar alevinos acostumados com a comida industrializada para compra. Essa espécie come bem durante o dia e tem ótima resposta metabólica para ração. A comida deve ser servida gradualmente para monitoramento da quantidade ideal para alimentação correta dos peixes.

A ração para o pintado-real deve conter teores elevados de proteína e alto valor nutricional. Além disso, a ração deve ser flutuante, pois esse peixe se alimenta na superfície, diferentemente do pintado-comum. O melhor jeito de fornecer ração à sua criação de pintado é em forma de peletes extrusados. Eles devem ser de tamanhos diferentes segundo a fase de desenvolvimento.

A fase de engorda deve ser dividida em três etapas para impedir o aparecimento de peixes dominantes, bem como evitar o canibalismo — bastante comum entre essa espécie —, visto que são naturalmente carnívoros.

6. Qual é o tanque ideal para criação de pintado?

O pintado tem grande adaptação à criação em cativeiro, aceitando viveiros de alvenaria e tanques-rede. Vale ressaltar que o tamanho do tanque indicado varia entre 5 mil e 10 mil m².

Já a proporção entre largura e comprimento do tanque deve ser, para cada 1 metro na largura, de 4 metros no comprimento. A profundidade também pode variar entre 1,5 metro a 2 metros na parte mais profunda. Na parte mais rasa, próxima à entrada da água, o indicado é de 1 m a 1,3 metro.

A quantidade de peixe no tanque variará conforme o tamanho e peso do animal. No entanto, separamos algumas quantidades para auxiliar na sua produção. A nossa base é o número de peixes indicado a cada 10 m². Veja:

  • entre 15 g a 20 g — 10 a 20 unidades;
  • entre 250 g a 1 kg — 4 a 8 unidades;
  • entre 1 kg a 2 kg — 2 a 4 unidades.

7. Como fazer o transporte corretamente?

transporte dos peixes é uma fase muito importante na piscicultura, pois o procedimento feito incorretamente pode prejudicar meses de trabalho. Para o carregamento dos alevinos, é fundamental que eles estejam em jejum de 36 horas. A caixa de transporte deve conter água do tanque de origem dos filhotes.

O pintado-real apresenta bastante resistência no transporte para o local de criação e, até mesmo, para os pontos de venda. Mas é importante seguir as recomendações para manter o rendimento de seu peso e evitar estresse para o animal.

8. Quais são os cuidados com a reprodução do peixe pintado?

A reprodução do peixe pintado é um processo complexo que envolve uma série de etapas, começando pela seleção dos reprodutores. A orientação é selecionar reprodutores com idade superior a 3 anos e que já tenham apresentado maturidade sexual — fêmeas com mais de 5 kg e machos com mais de 3 kg.

Os reprodutores devem ser animais sadios, sem sinais de doenças ou deformidades, que tenham origens em matrizes confiáveis, com histórico de boa produção.

As instalações também merecem atenção. Os tanques de reprodução devem ter um adequado ao número de reprodutores (mínimo de 100 m² para 10 reprodutores), com profundidade mínima de um metro, abrigos artificiais, sistema de recirculação de água com filtragem e controle de temperatura.

Os produtores precisam estar atentos para o controle da qualidade da água, já que isso também afeta a reprodução. Considere controlar pH, oxigênio dissolvido, amônia, entre outros.

No manejo reprodutivo, a reprodução pode ser induzida por meio de práticas como a fotoestimulação, aumento gradual da temperatura da água e injeção de hormônios como o hormônio luteinizante e GnRH, seguindo orientações de um profissional.

O produtor deve manter uma prática de observação constante dos reprodutores para identificar o momento da desova. Registre o crescimento, a sobrevivência e a saúde dos animais e ajuste o manejo conforme os resultados do monitoramento.

Além disso, é importante manter um registro de informações como: datas de desova, eclosão, início da alimentação, quantidade de ovos, alevinos e peixes adultos, quantidade de alimento fornecido e parâmetros da água.

Outro ponto de atenção diz respeito ao número de peixes que poderá ser colocado nos viveiros. Não existe um número exato, pois varia segundo alguns fatores:

  • tamanho do viveiro;
  • fase ou ciclo de reprodução;
  • sistema de produção utilizado;
  • qualidade e quantidade da água disponível;
  • tamanho estimado para o abate;
  • renovação da água, entre outros.

Para garantir um cultivo adequado que traga bem-estar aos animais e resultados eficientes na produção, é interessante buscar o suporte de profissionais especializados.

Se você ficou interessado e está pensando em investir na criação de pintado, lembre-se de que é muito importante conhecer bem a espécie e os produtos corretos para utilizar na sua criação. Isso garantirá a qualidade da produção.

Pesquise bastante sobre as características do pintado e como é o desenvolvimento dele na sua região. É importante ter conhecimentos sobre a manutenção da qualidade da água nos tanques de produção, quais acessórios devem ser utilizados na criação, a rotina de alimentação do peixe, resistência a doenças e parasitas da região.

O que você achou deste artigo sobre criação de pintado? Se gostou, aproveite para ler outros conteúdos do blog e assine a nossa newsletter. 

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Materiais Gratuitos