Voltar para a página inicial

Recuperação de pastagem: veja aqui!

Modificado em: outubro 5, 2023

Fazer a recuperação de pastagem é essencial para melhorar a produção e a criação animal. Sem isso, ocorre a perda do vigor, produtividade e capacidade do solo, promovendo efeitos nocivos de pragas, doenças e invasoras.

O problema ocorre principalmente pela deterioração, erosão e perda de nutrientes do solo. Felizmente, hoje já existem métodos eficientes para amenizar a situação, como uso de plantas forrageiras, rotação, adubação e muito mais. 

Acompanhe a seguir e entenda como funciona e como realizar a recuperação de pastagem da melhor forma!

O que é a degradação de pastagem?

A degradação de pastagem se caracteriza pela perda do vigor, da produtividade, da capacidade de rebrota e da redução do potencial de fornecimento de forragem aos animais. Um dos principais motivos da deterioração do pasto são pontos de solo descoberto e compactação excessiva.

A presença de plantas daninhas, a erosão no terreno e o aparecimento de cupinzeiros são outros indicadores de degradação. Para evitar o problema, é fundamental controlar a capacidade de suporte de animais no pasto ao longo do tempo.

A recuperação de pastagem, igualmente, evita que novas áreas sejam desmatadas. Além disso, a partir da estratégia é possível recompor a fertilidade do solo, preservar os micronutrientes, reter água e conservar o terreno. A adoção de práticas de pecuária sustentável, sem dúvidas, é a melhor indicação.

Como identificar o nível de degradação da pastagem?

Como vimos, a degradação da pastagem é um processo de declínio da produtividade que avança ao longo do tempo. O nível tende a aumentar quando o proprietário da área não toma nenhuma medida contra o problema. Quanto mais avançada for a deterioração, mais difícil e cara será a recuperação.

Veja, a seguir, como identificar da melhor forma o nível de degradação da pastagem:

  • leve: a pastagem ainda é produtiva, mas conta com áreas de solo descoberto ou surgimento de plantas daninhas;
  • moderado: a área apresenta aumento na infestação de espécies invasoras ou no percentual de solo descoberto;
  • forte: a pastagem tem aumento excessivo no surgimento de plantas daninhas e baixa proporção de forrageiras;
  • muito forte: a área tem bastante solo descoberto e apresenta sinais evidentes de erosão, além de proporção de forrageiras muito baixa ou inexistente.

A situação ocorre em todas as regiões do Brasil atualmente, trazendo uma série de prejuízos ecológicos e econômicos aos proprietários. A degradação acontece, sobretudo, quando as pastagens não são administradas de forma eficiente, responsável e racional. 

Como fazer a recuperação de pastagem?

Felizmente, existem diversas alternativas para reverter o processo de degradação das pastagens. No entanto, os resultados vão depender bastante do nível de deterioração, da capacidade de investimento e da qualificação técnica do pecuarista.

O manejo preventivo é, sem dúvidas, a forma mais eficiente para evitar o problema. Com algumas estratégias, a necessidade de recuperação recorrente é praticamente eliminada, assim como os prejuízos ambientais, econômicos e sociais, comuns em áreas degradadas.

Veja, a seguir, o que pode ser feito na prática para recuperar as pastagens da melhor forma!

Planejar as adubações

É importante realizar a fertilização de correção do solo com calagem e outros minerais, como fósforo, potássio e demais micronutrientes. O uso de nitrogênio, por exemplo, ajuda a modular a produção de pasto. Quanto maior for a lotação animal, maior deve ser a quantidade de adubação.

A depender do estágio de degradação, o proprietário pode escolher diversos métodos de recuperação direta. No entanto, é importante ter em mente que quanto mais avançado estiver o processo de deterioração, mais drástica e custosa será a intervenção.

Cuidar dos processos

Recuperar pastagens é uma tarefa trabalhosa e onerosa. Mesmo assim, cuidando de todos os processos, como manutenção da fertilidade, conservação do solo e manejo adequado das plantas forrageiras, é possível prevenir a área de ser degradada a um nível preocupante.

Por isso mesmo, é essencial ter cuidado preventivo com tais fatores. O pecuarista, portanto, deve se empenhar ao máximo para evitar a deterioração, mantendo a pastagem bem formada, sem plantas invasoras, com biomassa, sem erosão e descompactado.

Escolher a melhor forragem

Outro ponto é escolher as forrageiras mais adaptadas ao clima e solo nos quais a propriedade está localizada. Para isso, é interessante dar preferência a espécies resistentes às pragas e utilizar cordões de adubação verde, com plantas leguminosas que também melhoram as condições físicas do terreno.

O feijão-guandu e a crotalária, por exemplo, são plantas que fixam nitrogênio no solo e, devido a essa característica, podem ser amplamente adotadas nas pastagens. De qualquer maneira, a escolha da forrageira deve sempre considerar a análise do solo e o clima do local.

Controlar as plantas invasoras

O controle das plantas invasoras também é uma ação fundamental para prevenir a degradação das pastagens. Para isso, a melhor indicação é manter a cobertura de solo e plantar espécies anuais ou de retorno da vegetação natural. Sem isso, ocorre o aumento de cupins e formigas na área, baixa fertilidade e alta acidez.

No entanto, a depender da situação do terreno, pode ser necessário incorporar corretivos e fertilizantes, em consorciamento com leguminosas. Outra opção é realizar a operação de retirada das plantas invasoras com máquinas, mesmo que essa opção tenha maiores custos.

Rotacionar a pastagem

A rotação do pasto é uma estratégia que melhora o aproveitamento da área e auxilia a uniformizar a rebrota da forragem. Este sistema de pastejo ainda permite o aumento de animais por hectare, sobretudo quando é bem manejado, aumentando a produção de palha para a criação.

Para isso, é preciso subdividir a área de pastagem em piquetes e ajustar a lotação de animais. Além de ser benéfico para o solo, o pastejo rotacionado também favorece o bem-estar e conforto dos animais, que podem contar com uma alimentação mais equilibrada.

Vimos que a recuperação de pastagem é uma estratégia vital para todo pecuarista que deseja alcançar bons resultados na criação. Para evitar a degradação do solo e ter prejuízos financeiros e ambientais na propriedade, lembre-se de seguir as dicas práticas apresentadas ao longo do conteúdo.

Aproveite a visita e entenda também o que é quais as vantagens de realizar o manejo de pastagem!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos