Voltar para a página inicial

Fique por dentro de 11 materiais de construção inovadores

Modificado em: outubro 20, 2023

A construção é uma das indústrias que mais causa impactos ambientais no planeta. Como o aumento das suas demandas é uma tendência, é ainda mais necessário o desenvolvimento de materiais inovadores na construção civil que supram as necessidades do setor sem comprometer o seu desenvolvimento a longo prazo.

Felizmente, a indústria está ciente dos seus desafios e trabalha continuamente para renovar os seus meios de produção.

Para ajudar você a entender um pouco mais sobre as tecnologias que já existem no mercado e quais benefícios podem ser extraídos delas, preparamos este artigo. Continue a leitura para conferir os materiais que são tendência em 2023!

1. Concreto dobrável

Ao contrário do cimento “Portland” tradicional, que é amplamente empregado no mundo, esse novo tipo de concreto incorpora cinzas volantes em sua formulação, obtidas como subproduto da queima de carvão em usinas termoelétricas.

Esse tipo de concreto também possui fibras sintéticas na sua composição, permitindo que, em vez de se fragmentar em pedaços separados sob forças extremas, ele se rompa em múltiplas fraturas minúsculas, com dimensões comparáveis aos fios de cabelo.

O concreto dobrável (também chamado de concreto flexível) tem até 400 vezes mais flexibilidade do que o concreto convencional, tornando-o especialmente indicado para áreas propensas a terremotos, bem como projetos de pavimentação de estradas.

Além do benefício da flexibilidade, ele é duas vezes mais resistente e duradouro em comparação ao concreto convencional, requer menos manutenção e acelera o processo de instalação.

2. Cimento gerador de luz

Esse cimento tem a habilidade de absorver e emitir luz (por até 12 horas, dependendo da exposição).

A sua fabricação acontece em um processo de policondensação de matérias-primas, tais como areia de rio, resíduos industriais, sílica, água e álcalis, que ocorre em temperatura ambiente, eliminando a necessidade de fornos de alto consumo energético.

Além disso, ele se destaca por ser facilmente reciclável e por sua notável resistência e durabilidade, que pode chegar a até 100 anos.

O cimento gerador de luz pode ser empregado em áreas como piscinas, estacionamentos e sinalização de segurança no trânsito, entre outros usos.

3. Madeira transparente

Mais um dos materiais inovadores na construção civil é a madeira transparente: um material derivado de uma matriz de madeira porosa, submetida a modificações em escala nanométrica. 

Esse material é obtido por meio da eliminação da lignina e da impregnação das células da parede com polímeros que têm um índice de refração ajustado.

A estrutura da madeira é mantida intacta, o que resulta em um material transparente e que exibe um desempenho estrutural excelente.

Esse tipo de madeira tem demonstrado um grande potencial em diversas aplicações, como construções de baixo custo e na fabricação de janelas para células solares transparentes.

4. Bioplástico

O bioplástico é um tipo de material plástico produzido a partir de matérias-primas biodegradáveis — em contraste com os plásticos tradicionais derivados do petróleo.

Uma característica fundamental do bioplástico é sua capacidade de se decompor naturalmente em um período relativamente curto, graças à ação de microrganismos presentes no solo e na água. Por isso, é um dos mais sustentáveis materiais de construção existentes.

Há muitas variações de bioplásticos, e algumas delas usam recursos renováveis, como amido de milho, soja, cana-de-açúcar ou, até mesmo, algas. Esses materiais têm a capacidade de substituir o plástico convencional em uma ampla variedade de produtos, incluindo pisos, rodapés, revestimentos e divisórias para ambientes.

5. Bioconcreto

Com o aumento da população e a consequente expansão das áreas urbanizadas, a proporção de espaços verdes nas cidades sofre quedas preocupantes. A chave para mitigar esse problema é buscar meios sustentáveis de expansão, que aliem as necessidades da vida moderna à responsabilidade ambiental.

Uma grande inovação nesse sentido é o chamado bioconcreto — um tipo de concreto com capacidade para se autorregenerar. O material foi desenvolvido por cientistas holandeses da Universidade Técnica de Delft e consiste em uma mistura de concreto comum com colônias da bactéria Bacillus pseudofirmus.

Esses micro-organismos têm o calcário como produto de sua alimentação, o que resume o seu potencial em reparar rachaduras de construções sem a necessidade de adicionar ainda mais concreto nem gerar mais resíduos de material.

6. Tijolo de resíduos plásticos

O plástico assumiu uma importante função na modernização das sociedades desde que foi introduzido na indústria como uma alternativa mais eficiente do que os materiais já consagrados, como o ferro. Mas o descarte inadequado dos seus resíduos é uma das maiores causas de poluição no mundo.

Nosso tijolo convencional também não fica para trás em termos de danos ambientais, pois o seu processo de cozimento nas olarias exige a queima de lenha e, consequentemente, lança fumaças tóxicas na atmosfera.

Os tijolos feitos de resíduos plásticos foram a alternativa encontrada para acabar com esses dois grandes problemas ao mesmo tempo, e são, hoje, um dos materiais inovadores mais procurados no ramo da construção.

Essa tecnologia já está sendo testada no Brasil pela Presanella Building System, empresa italiana especializada em construção civil, que opera por meio da Propeller Representações.

Além da inovação em construir casas a partir de materiais reciclados, o projeto tem a vantagem de ser mais econômico, pois exige menos maquinário, mão de obra especializada e espaço de armazenamento.

7. Contrapiso autonivelante

O contrapiso autonivelante é um tipo de argamassa com alto grau de fluidez que se espalha naturalmente pela superfície de aplicação. Ao contrário do cimento tradicional, ele não precisa ser construído em camadas e compactado manualmente, pois a gravidade faz boa parte do trabalho.

A grande vantagem desse tipo de material é a agilidade que proporciona à obra, pois tanto a sua aplicação quanto a sua secagem são mais rápidas.

Além disso, ele pode ser bombeado diretamente para o local onde será usado, o que reduz ainda mais o tempo de execução do projeto e reduz a mão de obra empregada.

8. Telha solar

Um dos nossos maiores desafios, atualmente, é o possível esgotamento dos recursos energéticos do planeta.

Tendo em vista que a eletricidade é um dos pilares da vida moderna, é imprescindível que pensemos em formas limpas de produzir a energia que consumimos, para que a sociedade que conhecemos hoje continue existindo a longo prazo.

A energia solar tem sido um dos caminhos mais explorados no momento, pois é um recurso inesgotável e especialmente abundante em países de clima tropical, como o Brasil.

As telhas solares — também chamadas de telhas fotovoltaicas — são uma das tecnologias desenvolvidas para esse fim. Elas captam a energia solar que incide em sua superfície, para que um conversor a transforme em energia utilizável pela residência.

O seu funcionamento é muito parecido com o dos tradicionais painéis solares, mas apresentam o grande diferencial de se mesclarem aos telhados sem prejudicar a estética dos imóveis.

9. Aço reciclável

Umas das propriedades mais inestimáveis do aço para a indústria é o fato de ele ser 100% reciclável. Na verdade, esse é o material mais reciclado do mundo e pode ser reutilizado infinitas vezes, sem que o seu desempenho seja prejudicado. Assim, fica fácil entender a sua relevância quando falamos sobre inovações sustentáveis.

Essa característica dos metais proporciona vantagens interessantes nos âmbitos econômico e ambiental: o processo de reciclagem da sucata consome menos energia do que a fabricação de novos itens a partir da matéria-prima virgem, o que garante menos gastos para a indústria siderúrgica e um menor desgaste do meio ambiente.

10. Geomembrana

Ainda que o Brasil tenha uma boa disponibilidade de água, também é verdade que a sua distribuição não ocorre de maneira homogênea em todo o território. Uma saída encontrada para esse problema é a construção de reservatórios em regiões de seca, para que a água armazenada possa abastecer a população e a produção local.

Mas essa solução traz outros desafios, que são as contaminações do solo e as perdas provocadas por infiltrações. Nesses cenários, a utilização de mantas impermeáveis tem sido a forma mais eficiente de lidar com esses problemas.

Também conhecidas por geomembranas, as mantas são um tipo de forro sintético utilizado em vários segmentos para conter a migração indevida de líquidos.

Elas têm propriedades químicas e físicas que as tornam incrivelmente resistentes até mesmo às substâncias mais tóxicas e, por isso, são tão importantes para frear os potenciais danos da construção ao meio ambiente.

11. Espuma de alumínio

O alumínio já é um dos mais consagrados materiais de construção inovadores, pois é encontrado em abundância na natureza e tem atributos que o tornam extremamente versátil para a indústria.

A espuma de alumínio, por exemplo, foi introduzida primeiro na indústria automobilística, já que a sua combinação de leveza e resistência é muito favorável ao desempenho dos automóveis. Mas as suas propriedades têm se mostrado igualmente vantajosas para a construção.

O seu processo de fabricação envolve injeções de ar no alumínio fundido, formando poros em sua estrutura. É por esse motivo que a espuma é tão mais leve do que sua forma maciça, além de apresentar uma grande eficácia na absorção de impactos.

Na construção, as espumas de alumínio são usadas, principalmente, como isolantes térmicos, acústicos e de vibração em diversos tipos de revestimentos internos e externos.

A sobrevivência das indústrias depende inteiramente de como elas se adaptam a novos cenários. Tendo em vista a crescente demanda por serviços e a escassez iminente dos recursos naturais, o emprego de tecnologias sustentáveis em materiais de construção é a maneira mais inteligente de lidar com esse entrave.

Não acompanhar as tendências dentro da indústria da construção civil pode acarretar uma série de consequências prejudiciais, incluindo a perda de eficiência, de competitividade e de qualidade, além de impactar negativamente a sustentabilidade, a inovação e a imagem da empresa. 

Portanto, é fundamental que profissionais e empresas estejam constantemente atualizados sobre os materiais inovadores na construção civil e prontos para se adaptar às mudanças na indústria.

Agora que você já conhece o grande potencial desses materiais, comente o que acha sobre este assunto!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Materiais Gratuitos