+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Frete CIF: o que é, para que serve e quem deve pagar?

Modificado em: junho 6, 2024

Você sabe como funciona o frete CIF? Quem lida com o transporte de mercadorias frequentemente se depara com dúvidas sobre qual tipo de frete compensa mais e ficar por dentro das características de cada um deles é muito importante na decisão.

O frete CIF, no caso, apresenta uma série de vantagens para quem lida com excesso de pedidos e facilita as entregas em locais distintos. Além disso, é importante ressaltar que, ao adotar essa modalidade na precificação do transporte, todas as responsabilidades em relação à carga ficam por conta do embarcador.

Quer saber mais? Neste artigo, vamos mostrar o que é frete CIF, para quem ele é uma boa solução e quem deve fazer os pagamentos. Acompanhe!

Entenda o que é o frete CIF

CIF é a sigla para “Cost Insurance and Freight”, que em português significa “custo, seguro e frete”. Na prática, cada etapa do transporte, como os custos e os riscos envolvidos, são de responsabilidade do vendedor. Trata-se de uma opção muito prática para o comprador, que recebe os itens no endereço selecionado sem precisar ter nenhum tipo de preocupação.

Já em relação aos custos, os produtos costumam ser ofertados aos clientes com o valor de frete incluído no total. Sendo assim, eles não são discriminados na nota fiscal. Além de ser o responsável por fazer a carga chegar até o destino, o vendedor também precisa lidar com os custos de eventuais problemas que possam acontecer durante o processo, como defeitos nas mercadorias.

No entanto, é muito importante deixar claro ao cliente sobre a inclusão do frete no valor total da mercadoria. Isso deve ser preferencialmente registrado em algum documento da negociação, para que cada uma das partes saiba quais são as suas obrigações.

Saiba quem pode emitir e quando deve ser usado o frete CIF

O frete CIF é um tipo de serviço muito comum em empresas que atuam no mercado B2C (business-to-consumer — empresa para consumidor final) e isso representa negócios no formato de empresa diretamente para o consumidor. A partir disso, faz sentido o formato, porque normalmente o consumidor deseja receber os itens comprados de maneira mais simples possível em sua casa.

É uma forma confiável de receber os produtos e os compradores tendem a ser muito mais receptivos com esse tipo de frete, por conta da ausência de burocracia. Outro ponto que vale ressaltar é que o frete CIF é normalmente contratado por empresas embarcadoras, que lidam com bastante volume de carga e, como é o caso das que atuam no B2C, precisam lidar com diferentes destinos de entrega.

Um dos principais benefícios é que o consumidor não precisa se preocupar em contratar uma transportadora para buscar o seu produto e muito menos o embarcador tem o trabalho de selecionar várias transportadoras na hora de fazer entregas em endereços diferentes.

Principais vantagens do frete CIF

Existem muitas vantagens quando se trata do frete CIF. Entre as que se destacam estão:

  • facilidade no processo de compra de maneira geral;
  • baixas chances de problemas em qualquer etapa da logística;
  • planejamento caso imprevistos aconteçam por conta da organização do embarcador;
  • dispensa da equipe logística interna para acompanhar o recebimento, quando é outra empresa que compra a mercadoria.

Um bom exemplo de uso mais frequente do CIF, tanto no Brasil quanto no exterior, são as marcas de e-commerce. Imagine só como seria a administração interna da logística dessas empresas se precisassem lidar com diferentes transportadoras a cada venda. Além de ser uma verdadeira confusão, que aumentaria a incidência de erros e problemas com prazos, essa rotina de embarque e desembarque seria muito mais cara.

Conheça as diferenças entre CIF e FOB

Em comparação com o frete CIF, existe também a opção do frete FOB. Esse tipo de frete conta com características bem diferentes do CIF. O significado da sigla FOB (Free on board) em português é “livre a bordo”. Aqui, a responsabilidade logística é do comprador da mercadoria. Com isso, é o próprio destinatário quem deve cuidar do processo de negociação, da contratação do transporte e de todo o seguro que envolve o frete.

Muito diferente do frete CIF, a responsabilidade do vendedor no frete FOB termina no mesmo momento que a carga da mercadoria deixa o espaço de seu armazém. Esse tipo de frete costuma ser mais usado em negócios que atuam no modelo B2B (business-to-business) e trabalham com mercadorias e serviços de uma empresa para outra.

Esse tipo de negociação resulta no transporte de cargas de alto valor e envolve organizações maiores, como indústrias que compram insumos dos mais variados fornecedores e colocam exigências bem específicas de transporte. Nesse caso, o que acontece com mais frequência é que, por conta da personalização logística, essas empresas fazem contratos com transportadoras que coletam e entregam essas mercadorias.

Escolha o melhor tipo de frete

A escolha do melhor tipo de frete em relação às duas opções costuma variar conforme alguns fatores. Um dos pontos de maior interferência está nos custos envolvidos. Ambas as modalidades têm algumas diferenças nesse quesito. No CIF, o preço do frete já está incluso no custo da mercadoria e é repassado ao cliente, como citamos.

O fornecedor pode incluir o valor do CIF na nota fiscal. No fim das contas, a empresa vai arcar com o valor do frete e com todos os outros gastos, sem que o cliente pague custos adicionais. No FOB, não há nenhum adicional no preço dos produtos e o valor vai especificado na nota fiscal. Quando o valor é indicado no documento, ele precisa compor a base de cálculo de outros tributos.

Entre os exemplos estão o Programa de Integração Social (PIS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Confins). Em uma perspectiva geral, se torna necessário colocar tudo na ponta do lápis e avaliar as vantagens e as desvantagens de cada tipo de frete, para entender o que mais se encaixa com as suas necessidades de trabalho e oferece melhor custo-benefício.

Agora, você já sabe como funciona o frete CIF e quando ele é mais usado. O mais importante, em uma situação como essa, é escolher a modalidade que garanta mais segurança para as mercadorias e garanta o frete com lucro. Só assim será possível ter mais tranquilidade na realização do trabalho e no cumprimento dos prazos sem problemas logísticos.

Gostou das informações do artigo? Então, leia também sobre o cálculo de frete e como é feita a precificação do transporte.

Palavras utilizadas: 1081
CHAMADAS SOCIAIS

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    vinilona_cinza_20_2_1

    Materiais Gratuitos