Voltar para a página inicial

Carga seca: não perca 8 dicas de armazenagem e transporte

Modificado em: maio 31, 2023

A vida de caminhoneiro exige, além de adaptação constante e capacidade de enfrentar diferentes cenários na estrada, o máximo conhecimento possível sobre o que está sendo transportado. Afinal de contas, quanto mais o profissional sabe a respeito do material carregado, maior a segurança do conteúdo durante os trajetos.

Um dos tipos mais comuns de itens a transportar é a carga seca. Isso porque não há riscos de estragos ao longo do caminho, já que nada é perecível. Outra vantagem reside nas exigências climáticas: ao contrário de várias cargas, essa não demanda cenários específicos para ir de um lugar a outro.

Ficou curioso e quer saber mais no que tange à carga seca e às características desse tipo de produto? Listamos as 8 melhores dicas de armazenagem e transporte, a seguir. Fique conosco e leia!

1. Saiba ao certo o que é a carga seca

Começando pelo mais básico possível: você conhece o conceito de carga seca? E seus principais exemplos? Pois então: além de saber que se trata de algo não perecível e que corre riscos baixos ao longo do transporte, é fundamental entender também alguns exemplos práticos.

Móveis, madeira, eletrodomésticos, ferramentas, peças de automóveis, itens de construção, com exceção de cimento, são ótimas demonstrações. Agora que já captou a essência da definição de carga seca, vamos adiante.

2. Faça o planejamento de embarque e desembarque

A integração de cada um dos projetos envolvendo o setor logístico ajuda para haver informação sempre à disposição a respeito do momento da coleta. E esses dados exigem precisão, ou seja, a carga enviada já deve estar posicionada no local adequado e com certa antecedência.

Esse planejamento de embarque e desembarque minimiza a probabilidade de falhas no cumprimento das demandas. Os itens recebem a devida inspeção antes de o trajeto começar, e consegue-se avaliar ainda a quantia correta de equipamentos para transportar o conteúdo até o caminhão.

É essencial, além disso, descrever, de forma sucinta e certeira, tudo que está presente no veículo. Se os pacotes forem de tamanhos reduzidos, a própria equipe de funcionários do armazém pode manuseá-los, mas volumes maiores precisam de carrinhos ou, inclusive, de aparelhos mais robustos, como uma empilhadeira.

3. Tome cuidado com o empilhamento

Este conceito é dos mais básicos para qualquer profissional do transporte. Para um caminhoneiro, então, nem se fala. Mas justamente devido à importância que carrega, o tema da organização dos materiais dentro das carrocerias merece um tópico específico, sobretudo com relação ao empilhamento das cargas.

Não se coloca tudo de qualquer jeito no espaço reservado, mesmo que sejam cargas secas. As caixas cumprem papel crucial para a conservação, e a vedação delas é chave para garantir que não se perca os esforços feitos desde o início do processo de deslocamento.

Dar a atenção necessária ao empilhamento ainda significa, além de aumentar a proteção dos conteúdos, arranjar mais espaço para ser aproveitado no caminhão. Pode-se, como consequência, levar uma quantidade superior de itens no mesmo local. O peso e a proporção da carga são elementos-chave.

4. Confira as restrições do trânsito

Com cada vez mais veículos trafegando por todas as cidades do Brasil, diversas leis proíbem a circulação de caminhões em determinadas ruas. É bastante comum, por exemplo, encontrar restrições em cruzamentos ou locais que, a princípio, seriam uma vaga de estacionamento.

Muitas cargas, aliás, só têm permissão para manejo em períodos específicos do dia. Tanto o gestor de logística quanto o caminhoneiro devem, portanto, estar constantemente de olho no assunto, para facilitar a programação das entregas com base nas janelas de tempo legisladas.

Lembre-se de que, apesar de inconveniente, isso ajuda a fugir de multas desnecessárias.

5. Não sobrecarregue o veículo

Caminhoneiros precisam, entre outras coisas, conhecer o veículo que usam como ferramenta de trabalho. Não apenas para saber lidar com desafios, mas também para planejar as rotas.

O fluxo de operação representa um processo contínuo, dividido em diferentes etapas. Para acomodar os materiais de maneira correta no caminhão, é muito importante realizar o cálculo do máximo de peso suportado. Assim, você identifica a quantidade-limite de itens conforme seus respectivos atributos.

Evite, portanto, sobrecarregar o espaço disponível. Os produtos ficam à mercê da deterioração quando ficam expostos a situações às quais não se encaixam. Isso tudo sem falar nos possíveis danos ao consumidor final, o foco de todas as etapas.

6. Redobre a segurança

Não é necessário falar a um caminhoneiro a respeito dos riscos envolvendo a segurança nas estradas Brasil afora. A violência, infelizmente, assusta a todos, e, com relação a isso, só se pode buscar proteção dia a dia.

Já que as perdas oriundas de assaltos e furtos são tão frequentes em nosso país, sempre redobre a segurança dos processos. Avalie, por exemplo, o investimento em um seguro específico, conforme suas principais demandas, pois se trata de algo capaz de agregar bastante tranquilidade de uma ponta à outra do fluxo operacional do transporte.

7. Proteja-se contra intempéries

Não podemos lutar contra a natureza, o que significa que sol, chuva e ventos, além de outros fenômenos, podem surgir todos os dias nos trajetos. É verdade que a proteção começa com o armazenamento correto da carga no espaço voltado a isso, mas alguns itens exigem maior cuidado.

Por mais que a carga seca, conforme já mencionamos ao longo do post, seja diferenciada no que tange ao menor risco de avarias, materiais como ferramentas, eletrodomésticos e móveis precisam de atenção redobrada para garantir a conservação, satisfazendo o cliente.

8. Adeque a carroceria

A carroceria Sider é como um baú lonado, no qual o carregamento e descarregamento da carga, geralmente volumosa, é feito pelas laterais.. Se você pretende transportar itens que trafegam paletizados e embalados em caixas, como alimentos industrializados e bebidas, ela representa uma ótima opção, por exemplo.

Ou ainda, se for utilizar uma carroceria de grade alta é importante organizar os itens em seu interior e cobrir com uma lona de proteção, conforme lei.

O transporte de carga seca, segundo observamos até aqui, demanda apenas o cumprimento de alguns requisitos básicos. Além deles, porém, vale investir em uma lona de qualidade para o caminhão, que ajuda a aumentar o nível de proteção. A Sansuy conta com alternativas incríveis para isso. Não deixe de conferir!

Se gostou do post, aproveite a visita ao blog e veja nossos produtos de transporte e logística!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    vinilona_cinza_20_2_1

    Materiais Gratuitos