Voltar para a página inicial

Conheça as 5 principais fontes de biomassa

Modificado em: maio 31, 2023

A eficiência dos processos agrícolas depende de diferentes tipos de energia. E ao mesmo tempo em que se necessita de capacidade produtiva, é fundamental tomar cuidado com o futuro do planeta. Nesse cenário, o reaproveitamento de resíduos orgânicos cumpre um papel muito importante.

E é aí que entra a biomassa, que consiste no emprego de matéria oriunda de dejetos animais, florestais, vegetais e industriais, por exemplo, para transformação em energia térmica, elétrica ou mecânica. Renovável, a biomassa ainda auxilia na redução dos níveis de gás carbônico (CO2) na atmosfera.

Ao diminuir o volume de lixo, a quantidade de dejetos encontrados em aterros também diminui. Se quer saber, além das vantagens, quais são as principais fontes de biomassa à disposição do produtor, basta continuar a leitura deste texto!

Quais são as 5 principais fontes de biomassa?

Em junho de 2018, o Brasil registrou um crescimento superior a 7% na geração de biomassa em comparação ao ano anterior. Os dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) deixam claro que a prática atravessa uma curva ascendente no país. Conheça, a seguir, as grandes fontes de biomassa existentes.

1. Casca de arroz

O descarte do arroz, especialmente de palhas e cascas, sempre gerou péssimos impactos ao meio ambiente. Queimado, o resíduo não apenas causava danos como deixava de beneficiar outras atividades. Felizmente esse paradigma sofreu mudanças nos últimos anos, e, hoje, a palha, por exemplo, é útil ao produzir energia.

Sobretudo no sul do país, esses resíduos viram partículas minúsculas de um milímetro, sendo acrescentados ao carvão. Entre as principais características da casca de arroz figuram a rápida combustão e o alto potencial calorífico, o que a transformou em uma excelente alternativa de combustível para cerâmicas.

À disposição em diversas regiões do Brasil, a biomassa originada de materiais do arroz é bastante comum. Mas cuidado, pois ela gera cinzas e, devido à baixa densidade, pode demandar custos exagerados envolvendo o transporte.

2. Casca de coco verde

A área do país cultivada com coqueiros já está próxima dos 300 mil hectares. E o fruto da árvore, aliás, é um ótimo aliado da produção de energia renovável, pois as cascas oferecem, entre outras coisas, a possibilidade de passagem por trituradores.

O maquinário as transforma em briquetes, substituindo a lenha durante o processo de combustão. Considerando que as cascas de coco verde normalmente eram — e ainda são — jogadas no lixo de maneira corriqueira, o reaproveitamento entrega uma série de vantagens.

Tais benefícios incluem, assim como a casca do arroz, um elevado poder calorífico, e de quebra a capacidade de transformação em substrato agrícola. A fibra, além do mais, permite a criação de vasos e, até mesmo, de estofados para veículos automotivos.

3. Pellets de madeira

Entre as principais fontes de biomassa, não podemos deixar de mencionar os chamados pellets de madeira. Eles consistem em um tipo de combustível sólido oriundo do granulado de resíduos da madeira prensada. O desperdício é o que gera os pellets, portanto, nem se faz necessário o corte de árvores para tê-los.

Cerâmica e fornos de padaria, além de oficinas de pintura de carros e aquecimento de estufas, por exemplo, são alguns dos usos mais comuns dos pellets. O material, posteriormente, é transformado em cilindros de tamanho reduzido, variando de 6 a 8 milímetros de diâmetro e de 10 a 40 milímetros de comprimento.

Ao longo do processo de transformação, retira-se toda a umidade presente nos resíduos, estimulando a queima. A energia calorífica dos pellets, que chega perto dos 5 MWh por tonelada, representa um excelente combustível, além de limpo.

4. Ouriço da sapucaia

Também conhecido como ouriço da castanha, essa fonte de biomassa está à disposição tanto in natura quanto em forma de subproduto. O seu potencial permite o aproveitamento como lenha em usinas térmicas, olarias, caldeiras e, inclusive, em fábricas de siderurgia que produzem aço verde.

Por apresentar uma alta densidade energética, a capacidade de armazenamento de energia do ouriço da sapucaia pode ser bem grande, de acordo, claro, com a própria densidade. Correto sob o ponto de vista ecológico, o recurso não demanda a plantação e o corte — o que ocorre com outras alternativas de biomassa. Ou seja, é bastante acessível.

5. Dejetos de animais

A pecuária também aparece na lista das atividades que permitem o reaproveitamento de resíduos. Esterco de gado bovino, caprino, suíno e outros animais ajudam a gerar biogás, produzindo eletricidade em ambientes rurais.

Os biodigestores, aparelhos específicos para a transformação do material, o tratam e garantem a eficiência do processo. Sobretudo a criação de porcos libera uma quantidade bastante alta de gás metano, prejudicial ao planeta. Elimina-se, a partir disso, problemas ambientais e de geração de energia nas localidades, reduzindo custos.

Os dejetos dos animais podem ser transformados em biogás e dessa forma são eliminados dois problemas básicos das áreas agrícolas: o acesso a energia e o aproveitamento do alto volume de resíduos descartados no meio ambiente. Outra forma de energia que resulta da biomassa animal é o biodiesel, que pode ser produzido a partir dos rejeitos gordurosos de abatedouros bovinos.

Quais produtos são derivados da biomassa?

As quatro principais fontes de biomassa, conforme observamos acima, certamente geram novos tipos de produtos. Na sequência do post, veja quais são as derivações mais relevantes.

Biodiesel

Originado de óleos vegetais, entre eles dendê, soja e mamona, por exemplo, o biodiesel consiste em uma alternativa natural e biodegradável. Além disso, ele apresenta um reduzido teor de poluição, podendo ser utilizado como combustível e também na geração de energia.

Carvão vegetal

O processo chamado de carbonização da lenha, ou seja, a exposição do material a temperaturas altíssimas, gera o carvão vegetal. Mas é essencial abrir o olho com relação aos perigos ambientais dessa prática, já que uma parcela considerável da substância tem origem em matas nativas.

Biogás

A decomposição de materiais, do esgoto aos excrementos, passando ainda por resíduos de alimentos, resulta no biogás. Trata-se de um gás metano obtido em conjunto com dióxido de carbono, em produtos chamados de biodigestores.

Etanol

Milho, cana-de-açúcar e beterraba são alguns dos melhores exemplos de fontes das quais se extrai etanol. A cana, aliás, permite a transformação de cerca de um terço do material em bagaço, possibilitando ainda o reaproveitamento para gerar diferentes tipos de energia.

Quais são as vantagens da biomassa?

Agora que conhecemos as principais fontes e os mais comuns produtos derivados da biomassa, é importante estar por dentro dos benefícios dela. Podemos criar uma lista bastante didática e objetiva, como você confere abaixo:

  • custo bem reduzido;
  • baixa emissão de gases poluentes ao meio ambiente, sem contribuição para o efeito estufa;
  • opção acessível de energia renovável;
  • menor corrosão dos equipamentos envolvidos, como os fornos;
  • sobras de cinzas muito menos agressivas do que as provenientes de combustíveis fósseis;
  • alta variedade de materiais à disposição etc.

Conforme observamos ao longo deste conteúdo, as fontes de biomassa têm muitas características positivas, com destaque para a acessibilidade. Afinal, os resíduos de origem animal, vegetal e industrial costumam estar presentes em todas as produções rurais e agrícolas, ou seja, o investimento na biomassa garante não apenas a eficiência diária, mas também a redução de despesas e os benefícios ao planeta.

Se você gostou do post e quer receber novos materiais de valor em seu e-mail, aproveite a visita ao blog e assine a nossa newsletter!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos