Voltar para a página inicial

Chuva na agricultura: quais impactos para as plantações?

Modificado em: dezembro 15, 2023

Apesar de ser crucial para o desenvolvimento das plantas, a chuva na agricultura pode trazer prejuízos quando em excesso. O problema é que, nos últimos anos, chuvas intensas e em abundância têm se espalhado por todo o território nacional. 

O alto volume de precipitações levanta questões cruciais sobre como esse cenário pode influenciar as plantações e desencadear eventos capazes de moldar o futuro da agricultura brasileira. Por isso, é imprescindível analisar como as recentes chuvas impactam a agricultura, considerando não apenas as adversidades imediatas, mas também os efeitos a longo prazo.

Neste artigo, vamos explorar os diferentes aspectos da chuva na agricultura, desde os desafios imediatos enfrentados pelos agricultores até as estratégias a serem adotadas diante dessas condições climáticas desafiadoras. Boa leitura!

Qual é a importância da chuva na agricultura?

Para que um agricultor tenha uma boa safra e feche bons negócios, muito trabalho e esforço é determinante na rotina de trabalho. Porém, outro elemento fundamental inclui condições climáticas favoráveis, sobretudo chuvas bem distribuídas.

A água é essencial para o crescimento das plantas, sendo um componente-chave para processos como a fotossíntese e a absorção de nutrientes. A chuva supre naturalmente essa necessidade hídrica, promovendo um ambiente propício para o cultivo.

Da mesma forma, solos bem-umedecidos facilitam a absorção de nutrientes pelas raízes das plantas, contribuindo para um desenvolvimento robusto, e a chuva ajuda justamente a manter essa umidade em níveis adequados. 

Outro impacto da chuva na agricultura é sua capacidade de ajudar a regular a temperatura do ambiente, prevenindo extremos de calor ou frio. Isso é vital para muitas culturas, pois condições térmicas ideais favorecem o desenvolvimento das plantas.

Quais são os prejuízos das chuvas em excesso na agricultura?

O aquecimento global tem contribuído para o aumento de chuvas intensas durante o período de verão no Brasil, o que ocorre, sobretudo, devido às altas temperaturas. Esse cenário traz diversos prejuízos, que vão desde impactos no crescimento das culturas até consequências financeiras. A seguir, veja quais são os prejuízos da chuva em excesso na agricultura.

Germinação irregular

Para que as plantas possam germinar e desenvolver-se em seu ciclo de vida, é necessário haver condições propícias e regulares no que diz respeito à umidade do solo. Quando há uma abundância de chuva em uma plantação, a quantidade de água no solo cresce drasticamente e pode não ser drenada naturalmente.

Um impacto direto desse cenário é que as sementes podem não germinar ou, caso isso ocorra, a planta não vai conseguir sobreviver em seus primeiros dias. Consequentemente, surgem diversas falhas nas linhas da lavoura, e as plantas sobreviventes tendem a ser mais fracas, o que reduz a produção e compromete a produtividade do negócio.

Compactação do solo

Outro prejuízo das chuvas em excesso é a compactação do solo, que ocorre quando máquinas passam pelas entrelinhas da lavoura durante chuvas intensas. Essa situação se torna ainda pior se o maquinário é utilizado sempre nos mesmos locais.

Nesse caso, a capacidade de aeração e drenagem do solo é seriamente comprometida. Com o tempo, uma grande parcela de solo produtivo será perdida, impactando toda a produção.

Colheita atrasada

Quando chuvas intensas começam durante o período da colheita, é necessário fazer uma pausa forçada no trabalho. Desse modo, pode haver perdas significativas, tanto durante a colheita quanto no armazenamento.

Os grãos, como a soja, são os mais impactados nesse caso. Isso porque eles são prejudicados se não forem colhidos na época certa, além de ser necessário secá-los antes de seu armazenamento, o que atrasa significativamente a programação da colheita.

Aumento das chances de doenças

No período de chuvas intensas, o excesso de umidade oferece condições favoráveis para o desenvolvimento de bactérias e fungos. O problema é que esses microrganismos podem causar diversas doenças na lavoura.

Dependendo da cultura cultivada, flores e frutos podem ser seriamente prejudicados. Da mesma forma, o sistema radicular das plantas e o seleto arriscam encharcar e apodrecer devido à atuação desses seres.

O que fazer para evitar os problemas com chuvas?

Para reduzir o efeito das chuvas na agricultura, um bom planejamento é essencial. Para isso, é necessário adotar alguns cuidados durante o trabalho, de modo a estar preparado para esse momento de crise. Confira as principais ações a serem adotadas nesse momento.

Faça o plantio direto

Nesta técnica, não são executadas as atividades de aração e gradagem, além de o uso de máquinas ser reduzido na lavoura. Com isso, o solo não sofre compactação e fica protegido, o que dificulta a penetração da água da chuva no solo e evita que as plantas fiquem encharcadas durante uma tempestade.

Selecione áreas com melhor drenagem

Outra prática crucial é priorizar terrenos com melhor drenagem para o plantio, como áreas com textura menos argilosa. Isso porque esse tipo de terreno facilita a infiltração da água nas camadas do solo, evitando o encharcamento comum das épocas de chuvas fortes. Além disso, faça um planejamento que leve em conta a adaptação da cultura ao solo em que ela será inserida.

Prepare as plantações

Para um bom preparo da colheita, é ideal utilizar o maquinário de forma adequada, planejando bem a frequência que ele é empregado na plantação e reduzindo o uso ao mínimo possível. Caso contrário, o processo de compactação do solo será intensificado, causando prejuízos em épocas de chuva.

Invista em tecnologia

Há diversas tecnologias disponíveis no agronegócio para auxiliar os agricultores a se prevenirem e minimizarem os riscos de chuvas em excesso. Você pode contar, por exemplo, com tecnologias que permitem acessar, a qualquer momento, informações sobre o clima da sua região. Além disso, vale usar drones para monitorar as condições das plantações e avaliar os impactos das chuvas em tempo real, bem como soluções para melhorar a comunicação no trabalho.

De que forma a escassez de chuva também prejudica as plantações?

Assim como a chuva em excesso é prejudicial para a agricultura, sua escassez também traz impactos significativos, afetando o desenvolvimento das culturas e reduzindo a produção agrícola. 

A escassez de chuva, por exemplo, leva à diminuição da umidade do solo, resultando em estresse hídrico para as plantas. Da mesma forma, a falta de água no solo limita o desenvolvimento do sistema radicular das plantas, o que reduz sua capacidade de absorver nutrientes e água.

Plantas debilitadas devido à escassez de chuva ainda se tornam mais suscetíveis a ataques de pragas e doenças, além de a falta de água resultar em uma diminuição no rendimento e na qualidade das colheitas. Com isso, é essencial estar preparado e adotar boas práticas no agronegócio para lidar tanto com o excesso de chuvas quanto com períodos de escassez.

O setor agrícola é intrinsecamente dependente das condições meteorológicas. Mas, quando a chuva na agricultura é em excesso, problemas como encharcamento do solo, erosão e até mesmo inundações das safras tornam-se comuns. Portanto, é essencial conhecer a fundo esse cenário e adotar estratégias adequadas para se adaptar às mudanças no padrão das chuvas e, assim, ter bons resultados em seu negócio.

Se você gostou deste artigo, que tal compartilhá-lo com seus amigos e colegas para que eles também se informem sobre os impactos da chuva na agricultura? Para isso, compartilhe o texto nas suas redes sociais!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos