Voltar para a página inicial

Calendário de colheitas de 2023 Conab: esclareça as suas dúvidas!

Modificado em: outubro 5, 2023

O calendário de colheitas da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) é um instrumento importante para todo produtor rural. Trata-se de um grande direcionador para indicar os períodos ideais para o plantio e para a colheita nas propriedades rurais.

Nesse sentido, a relevância do calendário de colheitas tem crescido muito nos últimos anos, sempre amparada nos benefícios que ele agrega. Afinal, a agricultura depende totalmente das condições climáticas, o que demanda adequação segundo todas as respostas da natureza durante os períodos de colheita.

As chuvas obrigam a tomada de certas atitudes, enquanto a ausência delas indica que outros caminhos devem ser seguidos, por exemplo. Pensando nisso, confira, neste post, informações sobre a edição 2023 do calendário de colheitas da Conab e esclareça as suas dúvidas!

O que é o calendário de colheitas?

O planejamento é uma das palavras-chave em qualquer setor do mercado. No agronegócio, essa máxima não se altera, exigindo bastante organização por parte dos produtores para minimizar riscos e garantir safras saudáveis e lucrativas. O calendário de colheitas, aliás, é um ótimo exemplo de mecanismo vantajoso nesse aspecto.

Trata-se, sobretudo, de um registro criado para resumir todas as informações úteis pensando na execução das atividades de plantio de um produtor. Os dados são sintetizados em formato de calendário, como o nome deixa bem claro, e também englobam medidas de colheita e manejo de cultivos.

O calendário de colheitas é uma ferramenta essencial de planejamento agrícola, possibilitando que os envolvidos nos processos consigam monitorar a implantação de culturas. Tudo isso simplifica o acompanhamento das ideias traçadas e a posterior execução delas.

Dessa forma, a compilação de dados valiosos é, então, avaliada pelos gestores, sempre conforme as metas principais da produção. Cada cultivo, evidentemente, exige um tipo distinto de análise, pois os requisitos ecológicos são diferentes. Entenda melhor na sequência.

Objetivos

A relevância do calendário de colheitas tem crescido muito nos últimos anos, sempre amparada nos benefícios que ele agrega. Afinal, a agricultura depende totalmente das condições climáticas, o que demanda adequação segundo todas as respostas da natureza durante os períodos de colheita.

Sendo assim, o calendário de colheitas tem objetivos extremamente úteis para todo produtor, pois, acima de tudo, possibilita que sejam alcançadas as seguintes metas a partir do controle das datas:

  • minimização dos riscos climáticos;
  • alinhamento das produções agrícolas;
  • aumento da produtividade;
  • redução de custos.

Como funciona o calendário de colheitas?

As ações naturais, conforme salientamos acima, exercem uma influência direta nas tomadas de decisão sobre as culturas presentes em determinado solo. Vários elementos também fazem parte da avaliação, como tamanho da área, distância até os centros de distribuição, adaptação de espécies, etc.

É por isso que o calendário de colheitas facilita uma série de processos na agricultura. A média de precipitação anual ou mensal, por exemplo, figura entre as mais relevantes métricas para assegurar a qualidade na produção. O mesmo vale também para a velocidade do vento e as oscilações de temperatura.

Para acelerar a eficácia, é essencial que o produtor esteja tranquilo. Se todas as informações coletadas indicam o caminho a seguir, torna-se mais fácil atingir resultados lucrativos. Nesse cenário, vale ressaltar que o calendário de colheitas deve considerar dados como:

  • regime hídrico, com médias de começo e fim das estações chuvosas;
  • zoneamento agrícola;
  • avaliações do terreno;
  • variações de temperatura, umidade e vento;
  • ecologia da espécie cultivada;
  • disponibilidade de itens para cultivo indicados para o local.

Quais são as datas do calendário de colheitas de 2023?

Como uma instituição pública e vinculada ao Ministério da Agricultura, a Conab é confecciona e divulga o calendário de colheitas ano a ano. As safras são divididas em temporadas, portanto, muitas vezes, dois anos se misturam em alguns tipos de cultivo.

Veja a seguir o caso de grãos, café e cana-de-açúcar.

Grãos

Ano-safra 2022-2023:

  • 4ª safra — 12 de janeiro;
  • 5ª safra — 8 de fevereiro;
  • 6ª safra — 9 de março;
  • 7ª safra — 13 de abril;
  • 8ª safra — 11 de maio;
  • 9ª safra — 13 de junho;
  • 10ª safra — 13 de julho;
  • 11ª safra — 10 de agosto;
  • 12ª safra — 6 de setembro.

Ano safra 2023 – 2024:

  • 1º — 10 de outubro de 2023;
  • 2º — 9 de novembro de 2023;
  • 3º — 7 de dezembro de 2023;
  • 4º — 4 janeiro 2024.

Café

Ano-safra 2023:

  • 1ª safra — 19 de janeiro de 2023;
  • 2ª safra — 18 de maio de 2023;
  • 3ª safra — 20 de setembro de 2023;
  • 4ª safra — 14 de dezembro de 2023.

Cana-de-açúcar

Ano-safra 2022-2023:

  • 4ª safra — 19 de abril de 2023.

2023/24:

  • 1ª safra — 26 de abril de 2023;
  • 2ª safra — 17 de agosto de 2023;
  • 3ª safra — 29 de novembro de 2023;
  • 4ª safra — 18 de abril de 2024.

É assim que funciona o calendário de colheitas, variando sempre segundo o cultivo em questão e a região do país na qual acontece a produção, claro. Portanto, é um importante direcionador para ter um cultivo de qualidade e boa produtividade.

Como usar as informações do calendário com eficiência?

Além de conferir o calendário de colheitas, é fundamental saber interpretá-lo, a fim de alcançar benefícios essenciais para a produtividade e a qualidade. Assim, cada informação se torna ainda mais valiosa no sentido de garantir eficiência e qualidade ao cultivo.

Veja, na sequência do post, dicas para usufruir desses dados!

Defina os objetivos do plantio

A definição dos objetivos é o primeiro passo, pois cada tipo de plantio carrega similaridades. E como não poderia deixar de ser, somente o responsável pela produção tem capacidade de dizer quais são as principais metas.

Uma vez delimitados os objetivos, sempre de maneira clara, você identifica o que esperar no final. De quebra, consegue desenvolver as ações corretas enquanto ele acontece — fator que contribui para ter sucesso e ótimos resultados.

Considere o fator metro quadrado

Certamente, você tem informações precisas a respeito do tamanho da sua propriedade. E, então, o quanto ela produz e o quanto é lucrativa.

A partir de um levantamento periódico sobre as colheitas recentes, a realização desse cálculo permite, inclusive, a comparação entre recortes de tempo distintos. Se encontrar dificuldades, vale, até mesmo, procurar a opinião de outros produtores para ganhar novas perspectivas de avaliação. Mas o metro quadrado é, de fato, essencial para o processo.

Verifique as condições de armazenamento

Dependendo do tipo de cultivo, podem ser necessários diversos estágios antes da colheita. Ambientes livres de insetos costumam figurar como recomendações muito importantes em várias produções, por exemplo.

O armazenamento deve assegurar um espaço fresco e limpo, além de, é claro, garantir que a produção possa ficar estocada na sua propriedade durante longos períodos. De preferência, trace previsões pessimistas, em caso de imprevistos que exigem adequações.

Busque rotatividade

A tecnologia e os tempos modernos permitiram que inúmeros tabus caíssem no âmbito do agronegócio. E o calendário de colheitas torna perfeitamente plausível que pequenas propriedades invistam em mais de um tipo de cultivo.

Se a monocultura permaneceu durante décadas como uma regra para espaços rurais de tamanhos reduzidos, hoje, o cenário mudou. A rotatividade, aliás, tem a capacidade de tornar a produção bem mais viável, já que impede o esgotamento do solo e possibilita o acréscimo de frutas, legumes e hortaliças à cultura — todas precisam ser viáveis, lembre-se.

Quais são os benefícios de utilizar o calendário no seu planejamento?

O calendário de colheitas é uma ferramenta que pode fazer toda a diferença na rotina do produtor rural. Independentemente da região do país em que você atua, o uso do calendário traz benefícios e vantagens competitivas como:

  • auxilia o produtor rural a descobrir as culturas e épocas mais indicadas para o plantio em sua região;
  • aumenta a segurança no processo de tomada de decisões;
  • promove o ganho de desempenho da produção;
  • traz informações sobre fatores externos como precipitações, variações de temperatura, velocidade do vento e umidade do ar;
  • ajuda a antecipar o surgimento de problemas e mitigar riscos;
  • aumenta as chances de ter produtividade e melhorar resultados na produção rural.

Quais são os calendários correspondentes a cada região do país?

A seguir, destacamos algumas informações úteis que complementam o calendário de colheitas, trazendo dados separados por mês e região, contemplando as melhores épocas para plantio de algumas culturas. Confira!

Janeiro

  • Sul: plantio de feijão, milho e sorgo;
  • Sudeste: plantio de feijão e milho;
  • Centro-Oeste: plantio de algodão, arroz, milho e feijão;
  • Nordeste: plantio de algodão, arroz, amendoim, feijão, soja, milho e sorgo;
  • Norte: plantio de algodão, arroz, soja, guaraná e sorgo.

Fevereiro

  • Sul: plantio de feijão e milho;
  • Sudeste: plantio de amendoim, cebola, feijão, milho e sorgo;
  • Centro-Oeste: plantio de algodão, feijão, tomate, milho, girassol e sorgo;
  • Nordeste: plantio de algodão, arroz, feijão, amendoim, milho, sorgo e manga;
  • Norte: plantio de arroz, algodão, feijão, soja, milho e sorgo.

Março

  • Sul: plantio de milho;
  • Sudeste: plantio de amendoim, algodão, alho, feijão, milho, trigo e girassol;
  • Centro-Oeste: plantio de milho, feijão, girassol e aveia;
  • Nordeste: plantio de algodão, mandioca, amendoim e milho;
  • Norte: plantio de feijão, soja e milho.

Abril

  • Sul: plantio de aveia, milho, feijão, trigo e erva-mate;
  • Sudeste: plantio de feijão, batata, girassol e trigo;
  • Centro-Oeste: plantio de aveia, trigo e girassol;
  • Nordeste: plantio de algodão, girassol, sorgo e feijão;
  • Norte: plantio de arroz, amendoim, milho, soja e feijão.

Maio

  •  Sul: plantio de aveia, trigo e feijão;
  • Sudeste: plantio de feijão e trigo;
  • Centro-Oeste: plantio de aveia e trigo;
  • Nordeste: plantio de algodão, girassol, sorgo e feijão;
  • Norte: plantio de soja, feijão, amendoim e milho.

Junho

  •  Sul: plantio de trigo e aveia;
  • Sudeste: plantio de feijão;
  • Centro-Oeste: plantio de trigo;
  • Nordeste: plantio de feijão e algodão;
  • Norte: plantio de soja.

Julho

  •  Sul: plantio de uva, aveia, trigo e ameixa;
  • Sudeste: plantio de ameixa, uva, feijão e pêssego;
  • Centro-Oeste: plantio de algodão e milho;
  • Nordeste: plantio de feijão;
  • Norte: plantio de milho.

Agosto

  •  Sul: plantio de tomate, milho, feijão e fumo;
  • Sudeste: plantio de milho e tomate;
  • Centro-Oeste: plantio de algodão e milho;
  • Nordeste: plantio de fumo;
  • Norte: plantio de milho, trigo e feijão.

Setembro

  •  Sul: plantio de arroz, amendoim, café, soja, milho e girassol;
  • Sudeste: plantio de arroz, amendoim, milho e mandioca;
  • Centro-Oeste: plantio de arroz, mandioca, milho, soja e feijão;
  • Nordeste: plantio de cana-de-açúcar;
  • Norte: plantio de milho, trigo, feijão e mandioca.

Outubro

  •  Sul: plantio de milho, soja, cítricos, feijão e amendoim;
  • Sudeste: plantio de algodão, arroz, café, amendoim, milho, feijão, soja e cítricos;
  • Centro-Oeste: plantio de arroz, cana-de-açúcar, feijão, soja e milho;
  • Nordeste: plantio de feijão, arroz, soja e milho;
  • Norte: plantio de feijão, arroz, soja e milho.

Novembro

  •  Sul: plantio de milho, soja, feijão e amendoim;
  • Sudeste: plantio de algodão, arroz, amendoim, milho, e soja;
  • Centro-Oeste: plantio de arroz, soja, milho, amendoim e algodão;
  • Nordeste: plantio de arroz, algodão, soja e milho;
  • Norte: plantio de feijão, arroz, soja e milho.

Dezembro

  • Sul: plantio de milho, soja, feijão, sorgo, amendoim e maçã;
  • Sudeste: plantio de algodão, arroz, amendoim, milho, e soja;
  • Centro-Oeste: plantio de arroz, soja e milho;
  • Nordeste: plantio de arroz, algodão, soja, milho, uva e sorgo;
  • Norte: plantio de arroz, soja, milho e algodão.

Como você pode ver, o calendário de colheitas é um excelente instrumento para qualificar os processos de qualquer cultivo, seja ele de pequena ou larga escala. Por isso, é importante considerá-lo na sua propriedade para garantir ainda mais eficácia e qualidade.

O post foi útil para você? Agora que viu informações relevantes sobre o calendário de colheitas, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais! Ajude outros profissionais entenderem também sobre este importante assunto!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Materiais Gratuitos