Voltar para a página inicial

Como a Biomassa pode gerar economia na produção rural?

Modificado em: maio 31, 2023

Você sabia que gerar biomassa na propriedade rural traz uma série de vantagens? A biomassa pode ser transformada em energia por meio de decomposição, em curto prazo, de diferentes fontes de matérias orgânicas, como esterco, restos de alimentos orgânicos, resíduos agrícolas, entre outros.

A geração de biomassa tem se tornado cada vez mais presente na matriz elétrica do Brasil. O insumo representa uma alternativa para minimizar as emissões globais de CO2 na atmosfera, já que a melhora da gestão dos recursos pode impedir a deterioração ambiental.

Quer entender como a biomassa pode gerar economia na produção rural? Acompanhe a seguir e confira o nosso guia sobre o assunto!

O que é biomassa?

A biomassa consiste na matéria orgânica que pode ser usada para a produção de energia. O processo para gerar a biomassa tem um ótimo custo benefícios pelo fato de ser renovável e por reaproveitar resíduos menos poluentes que outras fontes de energia comumente usadas hoje pelas indústrias, como o petróleo e o carvão.

Existem diferentes tipos de biomassa, como lenha, bagaço da cana-de-açúcar, decomposição de materiais orgânicos, galhos e folhas de árvores, papel, papelão, entre outros. A biomassa é o elemento principal de diversos tipos de combustíveis e fontes de energia limpa, como o BTL, o biogás, o biodiesel e o bio-óleo.

Por isso, a biomassa se destaca justamente pela alta densidade energética e pelas facilidades de armazenamento, conversão e transporte. Motores que usam biomassa como fonte de energia, por exemplo, são semelhantes aos movidos por energias fósseis. A substituição da biomassa como forma de obtenção de energia na indústria automobilística, portanto, não teria grande impacto.

O Brasil é um grande produtor de resíduos específicos para a geração de biomassa. Eucalipto, casca de coco e de arroz, restos de alimentos, cana e derivados de madeira, por exemplo, são fontes de biomassa. Cada tipo é classificado de acordo com a origem, como:

  • biomassa florestal: composta por substâncias de florestas, como lenha e resíduos florestais;
  • biomassa agrícola: feita a partir de rejeitos da agricultura, como plantações de soja, milho, arroz, entre outras culturas;
  • resíduos urbanos e industriais: são encontrados em aterros sanitários e efluentes das cidades e polos industriais, principalmente da agropecuária.

É um fato que gerar biomassa tem um grande potencial e oferece diversas vantagens. O Brasil, por exemplo, é um país com disponibilidade de água, condições climáticas favoráveis, áreas disponíveis para plantios e aperfeiçoamentos tecnológicos que ajudam a converter biomassa pura em energia.

O processo de conversão energética da biomassa é feita por meio de alguns equipamentos, como motores de combustão interna e caldeiras. Gaseificação, pirólise, combustão, torrefação, digestão anaeróbica, liquefação, entre outros, são apenas algumas das formas de transformar a matéria orgânica em energia limpa.

Como funciona a biomassa?

A biomassa pode ser considerada um recurso natural renovável, já que independe de combustíveis fósseis para a geração de energia. São inúmeros os benefícios de usar a energia da biomassa em processos produtivos e industriais, como custo baixo de aquisição e menor risco ambiental.

Em geral, uma usina específica de biomassa funciona usando o vapor produzido pela combustão de material orgânico. O vapor rotaciona uma turbina que fica conectada a um gerador, que produz eletricidade.

O processo permite a geração simultânea de eletricidade e calor, recuperando parte do vapor. Mais de 45% da energia da biomassa provém da combustão de resíduos urbanos renováveis. Boa parte dos insumos de biomassa hoje são resultantes das operações no agronegócio, que é o maior produtor desse tipo de resíduo.

Cascas de arroz, de coco verde, eucalipto, pallets de madeira, ouriço de castanha, bagaço de cana, entre outros, são exemplos de elementos usados na produção da biomassa. Inclusive, o Brasil é uma grande referência global no manuseio e na transformação dos materiais orgânicos, apresentando resultados bastante promissores.

Basicamente, os produtores de biomassa se baseiam em quatro técnicas principais:

  • pirólise: a biomassa é exposta a elevadas temperaturas sem a presença de oxigênio para acelerar a decomposição do material orgânico. As sobras, que consistem em uma mistura de gases, podem ser líquidos e sólidos;
  • gaseificação: a biomassa também é exposta a altas temperaturas e ausência de oxigênio, no entanto, o produto final é um gás com características inflamáveis. Esse gás pode ser filtrado para remover alguns componentes químicos residuais;
  • combustão: a biomassa é queimada a altas temperaturas, porém, na presença abundante de oxigênio, produzindo vapor de alta pressão. Esse vapor é usado em caldeiras ou para mover turbinas;
  • co-combustão de material orgânico: a prática propõe a substituição de parte do carvão mineral usado por biomassa. Com isso, é possível reduzir a emissão de poluentes e ter um melhor desempenho do processo da biomassa, representando uma alternativa atrativa e economicamente viável.

Sem dúvidas, o investimento em geração de biomassa retorna resultados positivos. Isso porque a biomassa produz uma energia muito mais limpa e acessível que o abastecimento tradicional. A sustentabilidade do processo é uma vantagem que leva muitos produtores rurais a adotarem a tecnologia em suas fazendas.

Até porque os combustíveis fósseis ficam proporcionalmente mais caros conforme se tornam mais escassos. A aposta em soluções renováveis pode ser uma estratégia inteligente para evitar a alta dos custos das fontes tradicionais, ao mesmo tempo que se preserva o meio ambiente e controla os níveis de emissão de dióxido de carbono.

Quais as vantagens da biomassa?

A biomassa constitui uma importante reserva de energia, uma vez que é formada essencialmente de organismos vivos. Dentro da biomassa, encontramos diferentes resíduos que, ao passarem pelo processo de decomposição, não geram poluentes agressivos para o meio ambiente.

Atualmente, a biomassa é a terceira fonte de eletricidade no Brasil, gerando inúmeros produtos, como biocombustíveis, biogás e óleos vegetais. Portanto, trata-se de pura matéria orgânica que tem a finalidade de produzir, direta ou indiretamente, bioenergia, ou seja, energia limpa.

Mesmo que a biomassa se relacione com as exigências de um consumidor consciente no mercado, a geração de biomassa diz muito mais respeito à forma de produção em grandes indústrias e ao reaproveitamento de resíduos e rejeitos. Por meio da biomassa, uma propriedade, seja ela rural ou não, pode ter diversos benefícios.

Como a biomassa representa uma fonte de energia natural e renovável, é possível usá-la com o objetivo de reduzir o ciclo de carbono do planeta. Os diferentes processos de geração de biomassa emitem poucos gases poluentes na atmosfera e, por isso, ela se torna vantajosa por si só, quando comparada aos combustíveis fósseis.

Veja, a seguir, quais são os diferenciais que a biomassa oferece!

É uma fonte de energia renovável

A energia pode ser obtida a partir da transformação de variados recursos, de origens renováveis ou não. As fontes de energia não renováveis, como o petróleo, o carvão mineral, o gás natural e nuclear, formam grande parte da energia consumida hoje no mundo, já que têm um rendimento energético elevado.

No entanto, as fontes não renováveis são responsáveis pela ampla emissão de gases de efeito estufa na atmosfera e liberam substâncias poluentes que impactam a saúde e o meio ambiente. Por outro lado, as fontes de energia renováveis, como a biomassa, a hídrica e a solar, são consideradas limpas, já que emitem menos gases de efeito estufa que as fontes fósseis.

Gera poucos poluentes

Justamente por ser renovável, a energia proveniente da biomassa gera uma quantidade de poluentes menor quando comparada ao uso de fontes não renováveis. Portanto, a gestão dos resíduos orgânicos contribui para o desenvolvimento sustentável, aumentando a vida útil de aterros sanitários e de materiais destinados de forma ambientalmente correta.

Assim, a biomassa representa um importante papel na redução da poluição, auxiliando na economia de energia elétrica que pode ser usada para diferentes fins. Por ser uma fonte de energia alternativa limpa e renovável, a biomassa se torna, de fato, bastante atrativa.

Tem baixo custo e alta capacidade de reaproveitamento de resíduos

Outro diferencial da biomassa é o baixo custo de produção e a alta capacidade de reaproveitamento de resíduos. Culturas agrícolas de diversos tipos de vegetais, óleos vegetais, vegetais lenhosos, efluentes urbanos e industriais, além de resíduos biodegradáveis florestais, são usados como fontes de biomassa.

Tanto os grandes produtores quanto a agricultura familiar podem produzir biomassa e aproveitar de suas vantagens. O baixo custo de aquisição e a possibilidade de extração de variados elementos torna a biomassa uma fonte energética de fácil acesso, que não tem limitações de obtenção significativas.

Apresenta menor risco ambiental

Como a biomassa é um tipo de energia dependente de uma fonte renovável de energia, ela apresenta menor risco ambiental. Isso não ocorre, por exemplo, em energia proveniente de outros produtos não renováveis, como os combustíveis fósseis. Grande parte dos materiais usados para a geração de energia renovável pode ser cultivado e extraído do meio ambiente.

Tais fatores fazem da biomassa um tipo energético muito mais seguro e capaz de garantir a produtividade das indústrias. A escolha por uma matriz energética sustentável, que não causa graves impactos ambientais e reaproveita materiais orgânicos é, hoje, uma das mais inteligentes para os produtores rurais.

Não colabora para a intensificação do efeito estufa

O efeito estufa é um processo essencial para a existência da vida no planeta, no entanto, sua intensificação tem elevado consideravelmente a temperatura média global. O dióxido de carbono, o metano e o óxido nitroso são alguns dos gases do efeito estufa que interagem e elevam a radiação solar.

No entanto, com o aumento do uso de combustíveis fósseis, a temperatura média tem se desestabilizado, sobretudo por conta das mudanças na concentração dos gases de efeito estufa. A produção de biomassa, por outro lado, não colabora para a intensificação do fenômeno, já que não gera gases nocivos na atmosfera.

Quais são as desvantagens da biomassa?

Mesmo com vantagens, a biomassa também apresenta desvantagens que apresentam desafios para os produtores. Para a geração de biomassa, muitas vezes, é necessário contar com reservatório de água e cobertura vegetal de grandes áreas, sobretudo para a produção agrícola.

A biomassa também apresenta menor poder calorífico quando comparada a outros combustíveis. A fonte de energia renovável em seu estado sólido ainda conta com maior dificuldade no transporte e no armazenamento. Sem contar que a eficiência energética da biomassa é reduzida.

Outra desvantagem é em relação à necessidade, muitas vezes, do desmatamento de extensas áreas, o que provoca perda de habitat, desequilíbrio ecológico e alterações climáticas. Isso ocorre caso o produtor não reuse resíduos e rejeitos da própria fazenda ou de propriedades próximas.

Inclusive, apesar de não ser um combustível fóssil, a queima da biomassa é uma das maiores fontes mundiais de gases tóxicos, material particulado e gases do efeito estufa. A exposição recorrente e prolongada ao material gerado, a partir da combustão da biomassa em ambientes internos, tem sido associada ao aumento de problemas respiratórios agudos, doenças pulmonares, catarata e cegueira.

No caso da queima da palha de cana, por exemplo, a população ao redor da área do entorno da lavoura fica exposta à poeira da biomassa queimada por aproximadamente 6 meses ao longo de todo o ano. Por isso, o Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente) estabeleceu diretrizes para os limites de emissão de poluentes atmosféricos provenientes de processos de geração de calor a partir da combustão de biomassa.

Mesmo assim, os problemas derivados da queima de biomassa ocorrem apenas quando há má gestão do material. As vantagens de usar a biomassa como fonte de energia limpa e renovável superam os desafios e tornam a matriz energética atrativa e economicamente viável para grande parte dos pequenos e grandes produtores.

O Brasil é um país com condições climáticas favoráveis para a produção de energia a partir da biomassa, uma vez que conta com amplas áreas agricultáveis e recebe radiação solar intensa ao longo de todo o ano. No entanto, a relação da conservação ambiental com a geração de biomassa é um fator que deve ser sempre respeitado para que as vantagens se sobreponham às desvantagens.

Como a biomassa pode gerar economia na produção rural?

Existem diversos benefícios para o produtor rural que deseja investir em energia renovável em sua propriedade. Um dos impactos mais notórios dessa decisão é a economia de energia mensal, que pode ser reduzida em até 90%. Portanto, ao gerar biomassa, os impactos ambientais são minimizados e, ainda, é possível obter biofertilizante para os cultivos.

Na atualidade, o uso da biomassa tem sido incentivado, principalmente como uma alternativa em relação ao emprego de fontes de energia mais poluentes, como o petróleo e o carvão mineral. As formas tradicionais de biomassa, como a lenha, ainda são muito usadas em diversas regiões do planeta, sobretudo em países subdesenvolvidos.

Os principais produtores de biomassa é a China, o Brasil e a Índia, representando grandes mercados mundiais da energia limpa. O Brasil, por exemplo, conta com grande tradição na geração de biomassa, já que o território brasileiro tem significativa capacidade em relação à produção de biocombustíveis ao nível mundial.

Atrás da hidrelétrica, a biomassa é a segunda fonte de energia mais importante para o Brasil hoje. O recurso tem uma importância estratégica muito grande para o país, já que complementa as demais fontes usadas na matriz energética. O desenvolvimento da biomassa se conecta à produção de gêneros agrícolas e à presença de condições climáticas favoráveis.

Ambos os elementos possibilitam a obtenção de recursos de biomassa em larga escala e o uso em massa dessa fonte de energia pelo país. Isso porque a biomassa oferece uma infinidade de produtos comercializáveis, que podem ser aproveitados de forma bastante positiva pelos produtores rurais.

É possível, sim, gerar energia a partir de uma grande quantidade de biomassa, no entanto, para ser considerada uma fonte de energia renovável, ela precisa ser fabricada em escala comercial. A única forma de conseguir escalonamento é por meio de inovações tecnológicas.

Assim, uma indústria, uma propriedade ou uma fábrica autossuficiente em eletricidade derivada de biomassa pode aproveitar o excedente e aumentar a lucratividade. Isso porque praticamente todos os resíduos industriais e de lavouras são adequados para a produção de energia.

Para além da economia na conta de energia, a biomassa também conta com diversos produtos derivados, como biogás, etanol, biodiesel, carvão vegetal, metanol e biometano. Os biocombustíveis podem ser usados na maioria dos veículos, sendo que os combustíveis renováveis funcionam de forma equivalente aos combustíveis fósseis.

A vantagem é que o combustível a partir da biomassa é biodegradável, atóxico e praticamente livre de enxofre e compostos aromáticos, sendo considerado um produto sustentável e ecológico. Veja mais características sobre cada produto da biomassa a seguir!

Biogás

O biogás é um tipo de combustível produzido a partir da decomposição de materiais orgânicos, de origem vegetal ou animal. Esses materiais são decompostos e produzem uma mistura de gases, compostos em maior parte de metano. O gás combustível, ou seja, o metano, pode ser aproveitado para a geração de energia térmica, elétrica e como combustível veicular.

O processo de formação do biogás é conhecido por digestão anaeróbica, feita por microrganismos derivados de fezes de animais, restos de comida e lodo de esgoto. Para a produção do biogás, é necessário que o produtor tenha um biodigestor, um equipamento que proporciona um ambiente anaeróbio adequado para a decomposição dos resíduos orgânicos sem a presença de oxigênio.

Etanol

O etanol, também chamado de álcool etílico, é um biocombustível produzido por meio da fermentação do amido e de outros açúcares de origem vegetal. Existem dois tipos básicos de etanol: o anidro e o hidratado. O anidro contém muito mais álcool que água na composição, sendo destinado à produção de tintas, solventes, entre outras finalidades.

Já o álcool hidratado pode ser usado diretamente como combustível, já que contém mais água na composição. O etanol é um dos produtos mais importantes produzidos hoje no Brasil, sendo bastante sustentável e versátil. Ele é uma peça fundamental na transição energética para um modelo de economia global de baixo carbono e menor impacto ambiental.

Biodiesel

O biodiesel é outro combustível biodegradável, não tóxico e pouco poluente, produzido a partir de óleos vegetais extraídos de diferentes matérias-primas. O biodiesel pode ser usado em carros e caminhões com motores a diesel, portanto, ele é um excelente substituto do diesel convencional.

Para produzir o biodiesel, o óleo deve ser retirado das plantas e, posteriormente, ser misturado com metanol para passar por um catalisador. O produto é usado com o intuito de provocar uma reação química entre o óleo e o metanol. Existem diversas espécies vegetais no Brasil que servem para a produção de biodiesel, como óleo de girassol, de palma, de algodão e de amendoim.

Carvão vegetal

O carvão vegetal é um resíduo sólido obtido a partir da queima de madeira. Seu uso é bastante comum como combustível para aquecedores, lareiras, churrasqueiras e fogões. A substância contém propriedade fototerápica, ou seja, tem finalidade medicinal e, por isso, conta com elevado potencial absorvente.

O recurso é considerado uma fonte de energia renovável, sendo amplamente usado em indústrias, siderúrgicas e metalúrgicas. O carvão vegetal é formado pela carbonização ou queima da biomassa, resultando em uma substância de coloração negra. Ele se destaca por conduzir oxigênio e por conseguir absorver impurezas.

Metanol

O metanol é uma substância altamente inflamável que é bastante usada em indústrias químicas, como solvente e como componente na fabricação de diferentes produtos. O metanol também é considerado um biocombustível, já que é obtido a partir da destilação destrutiva de madeiras, do processamento da cana-de-açúcar ou por meio de gases de origem fóssil.

Mesmo assim, o metanol é bastante eficiente no processo de dissolução de alguns sais e pode ser empregado na fabricação de plásticos, combustível, biodiesel, preparo de vitaminas e hormônios, entre outros. O principal meio de produção de metanol é feita pela destilação do eucalipto, possibilitando a redução significativa de gastos na propriedade.

Biometano

Já o biometano é uma alternativa de energia limpa e de baixo custo de produção, podendo ser gerado com maior facilidade, uma vez que a sua essência é o biogás. Uma das grandes vantagens do biometano é que o biocombustível pode abastecer máquinas agrícolas.

O recurso deriva da purificação do biogás produzido a partir da decomposição de resíduos orgânicos, como dejetos de animais. Em relação aos combustíveis fósseis, o biometano é muito mais benéfico, já que auxilia a reduzir as emissões de gases de efeito estufa, a poluição e melhora a qualidade do ar.

Você deve ter notado que a biomassa tem um grande potencial para reduzir custos e aumentar o lucro de empreendimentos rurais. Portanto, investir em energias limpas e renováveis é uma estratégia inteligente que pode trazer inúmeras vantagens para as propriedades.

Gostou do conteúdo? Aproveite a visita e fique por dentro de todas as soluções da Sansuy para o mercado agro!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos