+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

ESG no agronegócio: o que é e quais os impactos?

Modificado em: abril 9, 2024

Os princípios e boas práticas de ESG (do inglês “Environmental, Social and Governance”) vêm sendo amplamente adotados no segmento do agronegócio. O objetivo é reduzir os impactos ambientais da cadeia produtiva, e tornar as propriedades rurais cada vez mais responsáveis, éticas e transparentes.

Ele se baseia em três pilares principais: Ambiental, Social e de Governança (ASG). Quando aplicado ao contexto do agronegócio, tem relação com a adoção de estratégias e tecnologias que ajudam a minimizar os impactos negativos, assim como à forma com que as empresas agrícolas são administradas e conduzidas.

O que é ESG, qual sua importância e como este conceito vem transformando o agronegócio brasileiro são assuntos que você verá ao longo do texto. Acompanhe e fique por dentro do assunto.

O que é ESG?

O ESG representa o equilíbrio de três aspectos principais: ambiental, social e de governança. O conceito surgiu em 2005, resultado de uma iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) e do Banco Mundial. Contudo, em 2020, o termo ESG ganhou bastante destaque no Fórum Econômico Mundial.

Afinal, as práticas ESG defendem o crescimento econômico aliado às questões ambientais, sociais e de governança corporativa, sobretudo por parte das empresas. Elas são utilizadas como critérios para entender o equilíbrio e a sustentabilidade empresarial para além das métricas financeiras. 

Quando as organizações adotam ações de ESG, elas demonstram responsabilidade e comprometimento com o mercado que atuam. Além disso, é uma maneira de ganhar valor e diferencial diante de consumidores, fornecedores, colaboradores e investidores.

O que é ESG no agronegócio?

No contexto do agronegócio, as estratégias de ESG ajudam a gerar insights valiosos para a tomada de decisões e a melhorar a eficiência operacional das propriedades rurais. Há práticas, por exemplo, que impactam na redução do uso excessivo de fertilizantes, agrotóxicos, pesticidas e de recursos hídricos, aumentando bastante a produtividade das fazendas.

Além disso, existem diversas certificações e selos que auxiliam a comprovar o comprometimento das empresas do agronegócio com as práticas de ESG, como a Certificação Orgânica, o Selo Fair Trade e a Certificação Rainforest Alliance.

A implementação do ESG no agronegócio já apresenta inúmeros benefícios aos produtores rurais. É uma maneira, inclusive, de ter acesso a taxas de juros mais favoráveis e, consequentemente, de aumentar o lucro gerado por safra.

Como funciona?

Como citamos, as empresas comprometidas com o ESG são frequentemente mais transparentes com o desenvolvimento de suas operações. Elas também buscam investir em políticas de conservação e proteção ao meio ambiente, e em iniciativas de responsabilidade social. 

No contexto do agronegócio, as companhias com alta classificação ESG são frequentemente mais competitivas devido ao investimento em novas tecnologias e métodos de gestão.

Para atingir um patamar de destaque, é essencial que o produtor rural adote as boas práticas de ESG em sua propriedade. No caso das atividades agrícolas, existem inúmeras estratégias e iniciativas de desenvolvimento sustentável que podem ser colocadas em prática aos poucos.

Quais os pilares do ESG no agronegócio?

O ESG nas empresas aponta mudanças e transformações mais benéficas ao meio ambiente, à sociedade e à governança corporativa. Entretanto, quando aplicado no agronegócio, ele traz vantagens específicas. Entenda mais a seguir.

Ambiental

As atividades agrícolas estão diretamente relacionadas com práticas ambientais mais sustentáveis, já que a produção agrícola depende dos recursos naturais, como solo e água.

Para isso, é importante que o produtor faça a gestão correta de resíduos, economize água, considere a transição energética e tome medidas de sustentabilidade que realmente garantam a disponibilidade dos recursos a longo prazo.

Social

O pilar social no agronegócio representa muito das relações humanas com trabalhadores rurais e com as comunidades impactadas direta ou indiretamente pelas atividades agrícolas.

Diante do ESG, os produtores podem adotar ações que contribuam para o desenvolvimento socioeconômico local, por exemplo, fomentando cursos e treinamentos, e valorizando a mão de obra local.

Governança

A governança alinhada às práticas de ESG é transparente, responsável e promove confiança em investidores e consumidores. Para alcançar este patamar, os produtores devem focar na gestão responsável dos recursos financeiros, no cumprimento das leis e regulamentações, e na ética que envolve os negócios.

O pilar de governança de ESG ainda apresenta algumas possíveis soluções aos empreendimentos, como a adoção da bioeconomia, de protocolos de segurança e de investimentos sustentáveis que podem favorecer o acesso ao capital. 

Quais os principais impactos do ESG no agronegócio?

É consenso que o agronegócio é responsável, hoje, por uma boa fatia do PIB brasileiro, desempenhando um papel fundamental na geração de empregos e no desenvolvimento econômico do país.

Ao implementar práticas de ESG que defendem atividades agrícolas mais sustentáveis, socialmente conscientes e com fortes diretrizes de governança, as empresas do setor agrícola podem adquirir diferencial e vantagens pouco faladas.

O que muitas pessoas não sabem, entretanto, é que os produtores alinhados aos princípios do ESG têm sido beneficiados por instituições financeiras por meio do amplo acesso ao crédito rural.

Os investidores também estão cada vez mais dando preferência a companhias rurais que adotam as medidas de ESG na cadeia produtiva, já sabendo dos seus impactos a longo prazo.

Isso porque, de forma geral, o cumprimento de padrões de ESG ajuda a construir e manter uma boa reputação no mercado. Assim, as propriedades que demonstram compromisso com a responsabilidade social e ambiental, e com a transparência, são muito mais propensas a alcançar o sucesso no segmento do agronegócio. 

A implementação do ESG em uma empresa do ramo agrícola envolve a adoção de práticas sustentáveis, éticas e responsáveis em todos os processos. Para isso, é importante:

  • contar com o comprometimento da administração do empreendimento;
  • avaliar os riscos e as oportunidades;
  • desenvolver políticas e práticas personalizadas para atender às necessidades empresariais;
  • integrar o ESG na estratégia de negócios;
  • medir e monitorar o desempenho dos objetivos ESG;
  • envolver os colaboradores em relação ao ESG;
  • explorar tecnologias e práticas inovadoras que promovam a sustentabilidade;
  • comunicar de forma transparente as iniciativas de ESG;
  • implementar um ciclo de melhoria contínua;
  • adquirir certificações que validem as práticas ESG;
  • acompanhar as leis e regulamentações para garantir conformidade.

Para colher os frutos que as práticas de ESG oferecem, é interessante que os produtores rurais invistam em estratégias de promoção à sustentabilidade, responsabilidade social e fortalecimento do setor agrícola. 

Lembre-se de que a implementação do ESG no agronegócio traz diversos benefícios, como abertura a novos mercados, aumento da produtividade e crescimento socioeconômico mais justo.

Aproveite a visita ao blog e entenda, de vez, qual o papel do agronegócio em relação às energias do futuro!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Materiais Gratuitos