+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Cultivo protegido: como funciona e quais são as vantagens

Modificado em: maio 31, 2023

O cultivo protegido é um recurso muito utilizado em regiões que sofrem com adversidades climáticas, como excesso de chuvas, seca e ventanias. A prática possibilita a criação de microclimas ideais para o desenvolvimento sadio das plantas, com menos interferências dos fatores externos.

A estufa é o tipo de cultivo protegido mais conhecido, mas existem outras técnicas que podem ser adotadas de acordo com as necessidades da lavoura. A seguir, falaremos sobre os seus principais benefícios e de que forma o cultivo protegido pode ser aplicado na sua propriedade. Continue a leitura para conferir!

Quais são as técnicas mais usadas no cultivo protegido?

O cultivo protegido pode envolver a cobertura total ou parcial das lavouras, além de englobar práticas que aprimorem as técnicas escolhidas. Veja, a seguir, quais são as opções mais implementadas na agricultura.

Estufas

As estufas são a primeira imagem que vêm à mente quando se fala em cultivo protegido, uma vez que já são bastante conhecidas na agricultura. Tratam-se de estruturas rígidas, geralmente de madeira, PVC ou ferro galvanizado, cobertas por plástico, vidro ou outros materiais.

Os fabricantes de lona costumam ter linhas específicas para essa finalidade, compostas de filmes agrícolas que otimizam a entrada de luz e calor para o ambiente interno, além de garantirem uma melhor retenção de umidade. Entre outras características, o material ideal precisa ser capaz de filtrar a radiação ultravioleta, evitar o acúmulo de sujeira e a proliferação de doenças e pragas.

É possível construir estufas simples, de baixo orçamento, ou investir em estruturas mais robustas, com equipamentos automatizados, como ventiladores, sistemas de irrigação e resfriadores de ar.

A maior vantagem das estufas é que elas permitem o cultivo em qualquer época do ano, ainda que as espécies não sejam típicas daquela região.

A Sansuy possui um produto para esse fim, o viniaco. O viniarco galpão é indicado para aquicultores na produção de alevinos e juvenis de peixes, larvicultura de organismos aquáticos, manejo reprodutivo de pós-larvas de camarão, ranicultura (criação de rãs), laboratório de pesquisa sobre produção e nutrição de organismos aquáticos, hidroponia e aquaponia, e também para produtores de flores e hortaliças que utilizam estufas.

Túneis plásticos

Os túneis plásticos são estruturas muito semelhantes às estufas, mas em tamanhos reduzidos. A diferença é que são construídos mais próximos ao solo, apenas o suficiente para cobrirem a vegetação ou permitirem a passagem de pessoas. Eles também são cobertos por filmes transparentes fixados em uma estrutura mais rígida.

A grande vantagem dos túneis plásticos é a simplicidade da sua instalação, que não exige um grande conhecimento técnico especializado.

Apesar disso, é preciso ter um cuidado redobrado com a sua ventilação, pois eles tendem a criar um ambiente abafado, mesmo em dias de temperaturas amenas. Essa passagem de ar pode ser feita levantando as laterais dos túneis ou removendo completamente o plástico.

Coberturas do solo com mulching

O mulching é muito usado na agricultura para o controle das propriedades do solo, e consiste em distribuir uma cobertura seca na região próxima às raízes das plantas. Essa técnica promove a conservação da umidade, dos nutrientes e da temperatura, além de conter ervas daninhas, erosões e doenças típicas do solo.

As coberturas costumam ser feitas com restos vegetais ou plásticos próprios para essa finalidade, sendo que este último vem ganhando mais popularidade, por causa da sua maior eficiência.

Vale ressaltar que o mulching é um excelente aliado no uso consciente da água na agricultura, uma vez que diminui as perdas por evaporação e, consequentemente, a demanda por irrigação.

Sistemas de irrigação

O manejo da irrigação é essencial no plantio protegido, já que as plantas não terão contato com a água da chuva, como acontece a céu aberto. O sistema deve ser planejado de acordo com o tipo de cultivo e deve incluir o monitoramento da umidade no ambiente criado, para evitar prejuízos pelo excesso de irrigação.

A irrigação por gotejamento tem a grande vantagem de permitir um maior controle da quantidade de água utilizada, que é aplicada em pequenas quantidades diretamente na raiz das plantas. A fertirrigação é outra técnica com excelentes resultados, na qual os fertilizantes são aplicados juntos com a irrigação.

É muito importante verificar a disponibilidade de água na região do plantio, para se certificar de que existe em quantidade suficiente para a sua irrigação, sem comprometer o abastecimento local. Além disso, ela deve ser de boa procedência e passar por tratamentos para a limpeza de resíduos que possam contaminar o seu cultivo.

Quais são as vantagens do cultivo protegido para as lavouras?

Ainda que algumas técnicas não sejam novidades, o cultivo protegido vem sendo aprimorado como parte dos avanços que objetivam uma agricultura mais rentável para as famílias que dependem disso. Confira como isso pode ajudar na produção.

Otimização dos insumos agrícolas e recursos hídricos

O cultivo protegido garante um maior controle dos recursos agrícolas, quando comparado ao tradicional. Um exemplo disso é que a técnica limita as taxas de evaporação e o transporte de nutrientes pela água das chuvas, que são dois inconvenientes difíceis de evitar nas lavouras cultivadas em campos abertos.

O sistema também diminui a necessidade de reposição desses componentes, o que resulta em mais economia para a propriedade rural.

Aumento da lucratividade

O clima é um dos principais fatores que determinam o sucesso da produção agrícola, que também fica restrita pela sazonalidade de cada espécie. O cultivo protegido promove as melhores condições de desenvolvimento para as plantas em qualquer época do ano, o que garante vegetais de alto teor nutritivo e, consequentemente, maior valor de mercado.

Essa prática é especialmente benéfica a produções locais e familiares, que, geralmente, são as mais afetadas por essas variabilidades da agricultura.

Mais eficiência no controle de pragas

As pragas estão entre os problemas que mais comprometem a produtividade no campo, tendo em vista a complexidade do seu manejo. Quando feito adequadamente, o cultivo protegido pode diminuir significativamente a incidência de insetos na plantação, seja com barreiras físicas ou técnicas efetivas de controle.

O controle biológico consiste em limitar a propagação de pragas agrícolas por meio da introdução de predadores naturais, e tem trazido resultados muito positivos no cultivo protegido. Essa técnica é uma aliada da produção sustentável e da rentabilidade do produtor, já que reduz os custos com defensivos agrícolas.

Qualquer espécie vegetal pode se beneficiar das técnicas de cultivo protegido, desde que ele seja adaptado às suas necessidades. Por isso, não deixe de consultar um engenheiro agrônomo antes de iniciar nessa jornada, pois ele é o profissional capacitado para indicar as práticas mais adequadas para a sua lavoura.

Se você pretende iniciar ou expandir o seu empreendimento agrícola, então, precisa ler mais este conteúdo que preparamos sobre as vantagens de investir no cultivo de algodão!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos