Cadastre-se e receba novidades  
Selecione o assunto de seu interesse:
Enviando sua inscrição  
Loading...
Armazenagem

7 dicas para fazer uma reposição de estoque eficiente!

reposição de estoque eficiente

A armazenagem é uma das etapas mais importantes para o fluxo de uma empresa. Afinal de contas, todos os itens devem estar corretamente alocados para saber o que se pode disponibilizar à venda e o que está perto de faltar. Nesse sentido, a reposição de estoque exige eficiência para otimizar os processos internos.

Garantir agilidade nas operações ajuda a aumentar os lucros, reduzindo custos desnecessários e gerando receitas. De quebra, nenhum produto se ausenta das prateleiras na hora da venda, o que acelera os protocolos.

Apesar de simples, essa prática é marcada por alguns erros comuns. Por outro lado, lembre-se: a qualidade da reposição de estoque depende apenas dos hábitos adotados pela companhia, ou seja, basta foco e organização. Continue lendo e veja 7 dicas valiosas!

1. Preveja as vendas segundo o consumo

O passo inicial envolve bastante planejamento. Quando adequada às necessidades da marca, a previsão da demanda futura ajuda a otimizar não só o processo de vendas em si, mas também o relacionamento com a base de clientes. Mas atenção: a tarefa é um pouco complexa.

Antes de mais nada, a estratégia deve incluir a execução de uma organização de estoque sob o ponto de vista do público. Isso significa que a empresa precisa realizar adaptações segundo as exigências do cliente, jamais ignorando padrões de consumo, por exemplo.

A análise dos consumidores cumpre um papel essencial para indicar os rumos das demandas futuras. Nesse cenário, a falta de planejamento da reposição consiste em uma das falhas mais observadas no setor de armazenagem. Se a meta é aumentar as vendas, não se pode deixar de entregar ao público aquilo que ele quer, no momento exato.

2. Entenda o seu consumidor

Partindo de uma premissa simples e verdadeira, todo negócio que existe se baseia no cliente. Portanto, as estratégias das marcas devem trabalhar dando o protagonismo a ele. Qualquer serviço ou produto comercializado nasce voltado ao consumidor, ou seja, é essencial compreender e conhecer a fundo esse público.

Não à toa, a reposição de estoque está diretamente ligada ao conhecimento do público-alvo. Do que o cliente gosta? Durante quais períodos costuma comprar determinado tipo de produto? Em que circunstâncias?

Responder a essas perguntas exige a identificação de padrões para, assim, garantir que nada falte nos pontos de venda, sejam eles físicos ou digitais.

3. Tenha fornecedores de confiança

Ninguém atua sozinho, nem mesmo as maiores corporações do mundo. Para ganhar competitividade e aumentar os lucros, uma marca precisa de parceiros de confiança, formando relações positivas para os dois lados.

Encontrar os fornecedores ideais ajuda a repor o estoque de maneira eficaz e, de quebra, reduzir problemas relacionados à ausência de itens nas prateleiras. Antes de fechar negócio, procure identificar a capacidade técnica e de operação do parceiro, vislumbrando o potencial de atender as suas demandas com precisão.

Diante de contextos desfavoráveis ou envolvendo emergências, são as marcas sérias que garantem um ponto de apoio. Portanto, lembre-se de prezar por parceiros com credibilidade e reconhecimento no mercado.

4. Adote ferramentas de controle de estoque

Muitos processos manuais têm ficado para trás em meio a essa época de tantas transformações. A era digital trouxe diversos benefícios operacionais, facilitando procedimentos e reduzindo a quantidade de retrabalhos.

problemas logísticosPowered by Rock Convert
logística no agronegócioPowered by Rock Convert

A falta do auxílio da tecnologia, então, pode expor uma empresa a riscos consideráveis, sobretudo no âmbito da reposição de estoque. Os sistemas modernos entregam uma maior capacidade de processamento a partir da oferta de informações atualizadas que facilitam a tomada de decisões, aumentando a produtividade e minimizando as falhas.

Softwares desenvolvidos especialmente para fins de gerenciamento de estoque, por exemplo, compactam dados relevantes e finalizam avaliações em menos tempo. Tudo isso com maiores níveis de segurança, o que torna o investimento em automação de processos uma excelente alternativa para qualificar a administração da cadeia de suprimentos.

5. Garanta uma comunicação eficiente

Fornecedores (que são empresas B2B) e empresas B2C têm os seus desempenhos interligados. Afinal de contas, o sucesso de uma puxa o sucesso da outra. Portanto, ambas precisam andar lado a lado para conquistarem vantagens competitivas em um mercado cada vez mais acirrado.

A comunicação eficiente entre elas é, então, um dos elementos de maior impacto. Suprimentos e bens de consumo desempenham uma função crucial na sociedade, e se faz necessário o máximo de colaboração para assegurar relações positivas e, acima de tudo, frutíferas do ponto de vista econômico.

O fluxo de informações pode ser muito grande nas duas partes, já que ambas lidam com diversas demandas de clientes. No entanto, a comunicação bem-ordenada garante eficiência na reposição do estoque, em um processo baseado no entendimento mútuo das exigências do outro.

Precisamente no setor de armazenagem, a empresa deve ter sempre o produto certo disponível. Do contrário, faltando organização, ela se vê obrigada a arcar com altas despesas de estoque e ainda corre riscos envolvendo prazos dos produtos — ou o oposto: a ausência de mercadorias que os clientes buscam.

6. Monitore indicadores

A reposição de estoque exige disciplina e planejamento, conforme já observamos. Nesse sentido, há indicadores excelentes para prever tendências e auxiliar as tomadas de decisão. Dois deles são os chamados estoque mínimo e estoque máximo.

O primeiro representa a reserva de itens para situações de excepcionalidades, enquanto o segundo ajuda a delimitar o limite de abastecimento do armazém. Isso impede contratempos relacionados ao espaço físico de estocagem de mercadorias, sobretudo envolvendo produtos perecíveis e que geram despesas enquanto ficam parados.

7. Seja eficiente no timing dos pedidos

É necessário estar sempre adequado à realidade. E como sabemos, esse cenário muda segundo uma série de variantes. Portanto, o controle do mercado ajuda a agregar eficiência em todos os processos de estocagem — demanda que não se altera no caso dos pedidos.

Eles devem acontecer na hora certa, de acordo com os indicadores de softwares especializados aliados, claro, à expertise dos funcionários. Os itens precisam ser requisitados no período ideal, evitando problemas de excesso ou de escassez, que são as grandes dores de cabeça do setor de armazenagem.

A compreensão do funcionamento dos ciclos de abastecimento cumpre um papel vital, assim como o conhecimento das práticas dos fornecedores. Dessa forma, a empresa consegue solicitar pedidos para dar fluidez ao fluxo de mercadorias.

Colocando estas dicas em prática, os seus procedimentos de reposição de estoque certamente ganharão eficácia. É a melhor maneira de alcançar resultados superiores em um cenário de tanta competitividade como o atual. As palavras-chave para quem atua no ramo de armazenamento são, sem dúvida, organização, planejamento e automação.

Se gostou do conteúdo, aproveite e siga a Sansuy nas redes sociais: estamos no Facebook, no Instagram, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!