Voltar para a página inicial

Engenharia de aquicultura e pesca: Conheça mais esta profissão

Modificado em: maio 31, 2023

A aquicultura e pesca tem ganhado grande espaço no cenário nacional. E alguns dados apontam como esse setor tem tudo para trazer bons resultados para os produtores de agronegócio. Por exemplo, em 2021, exportamos 78% mais peixes do que em 2020. E a tendência é que em 2022 o sucesso se mantenha. Com isso, é importante termos especialistas que consigam trabalhar para tornar a produção mais eficiente, gerando melhor custo-benefício para os produtores.

E diante do aumento na procura por esse tipo de profissional, temos o surgimento da profissão de engenheiro de aquicultura e pesca. Mas afinal, o que essa pessoa realiza? Quais suas funções? O que é ensinado na faculdade de Engenharia de Aquicultura e Pesca?

Para ajudá-lo, separamos as principais informações sobre o tema e vamos ajudá-lo a seguir. Boa leitura!

Como foi criado o curso de Engenharia de Aquicultura e Pesca?

Esse curso foi criado em Santa Catarina, no ano de 1998. O contexto de seu surgimento fala muito sobre a potência dessa área para os profissionais. Naquele ano, havia uma série de políticas do Estado para o desenvolvimento da aquicultura e da pesca.

Contudo, na mesma época, vivenciávamos o colapso dos tanques costeiros e tornava-se necessário termos pessoas melhores qualificadas para trabalhar nessas áreas. Afinal, com o potencial de pesca e aquicultura, precisávamos melhorar o conhecimento dos especialistas envolvidos.

A partir disso, tivemos a inserção de profissionais de nível superior que podem atuar nas mais diferentes partes da cadeia produtiva de pesca e aquicultura, garantindo maior produtividade, soluções inovadoras, maior rentabilidade e sem colocar em xeque a proteção do meio ambiente.

O curso de Engenharia de Aquicultura e Pesca trabalha na interseção de duas áreas: engenharia e biologia. Nesse caso, o curso visa ter uma postura mais abrangente, na qual seja possível unir duas áreas importantes: a aquicultura (relacionada com a produção intensiva de animais aquáticos) e pesca (relacionada com a produção extensiva de animais aquáticos).

O que você encontra no curso de Engenharia de Aquicultura e Pesca?

Mas afinal, o que o estudante de Engenharia de Aquicultura e Pesca estudará? Alguns pontos que você verá no curso são:

  • estudo sobre lagos e cursos d’água;
  • uso da riqueza biológica de mares, rios e outros biomas;
  • como atuar minimizando impactos ambientais negativos;
  • gerar inovações na área que possam ajudar os profissionais do agronegócio no dia a dia;
  • criação de fazendas de cultivo de determinadas culturas (por exemplo, piscicultura, carcinicultura, malacocultura);
  • estudos sobre bioquímica para conservação dos animais após o abate.

O curso possui duração de 10 semestres (ou seja, pode ser cursado em 5 anos).

Quais são as funções do engenheiro de aquicultura e pesca?

O engenheiro de aquicultura e pesca trabalha tanto na produção intensiva quanto extensiva e, portanto, é fundamental que os profissionais consigam identificar quais são suas possibilidades de função após a formação. Algumas possibilidades e responsabilidades são:

  • preservação da fauna aquática;
  • aproveitamento de recursos naturais;
  • potencializar a produção (seja ela intensiva ou extensiva) de animais aquáticos;
  • planejamento das culturas, desenvolvimento de trabalhos e cuidados com a pós-produção que estejam ligados com cultivo, captura e comercialização dos animais;
  • planejamento e criação da infraestrutura na qual será feita a cultura dos animais, como criação de projetos de tanques, viveiros, açudes, entre outros;
  • desenvolvimento de técnicas de criação que tornem os processos produtivos mais eficientes;
  • auditoria para avaliar se as questões da legislação estão sendo cumpridas;
  • identificação de falhas e idealização de projetos para resolvê-los;
  • realizar acompanhamento de monitoramento genético.

Assim, o profissional tende a poder atuar em quatro frentes diferentes:

  • captura de animais;
  • aquicultura;
  • beneficiamento de espécies;
  • ecologia aquática.

Como é o mercado para Engenharia de Aquicultura e Pesca?

Como falamos na introdução deste artigo, temos um aumento na demanda de exportação e produção de animais aquáticos. Isso vale tanto para peixes quanto para outras espécies (camarão, polvo, entre outros).

Ao mesmo tempo, temos também o aumento da demanda de profissionais que tenham conhecimento sobre produção sustentável. Afinal, não há mais espaço para que a produção pecuária, independentemente do tipo de criação, prejudique negativamente o meio ambiente. Por isso, o chamado de especialistas para lidar com essas situações e oferecer uma cultura alinhada com princípios mais sustentáveis.

Assim, há diversas possibilidades de atuação para o profissional, tornando esse um mercado muito favorável para quem quer atuar em propriedades rurais. Há possibilidade de atuação em todo o território nacional.

É claro que, para algumas áreas, há maiores possibilidades na zona costeira. Por exemplo, para aqueles que desejam trabalhar com cultura de animais marinhos (camarões, moluscos marinhos, entre outros) e que tenham uma área consolidada. Um dos estados com maior número de produtores desta natureza é Santa Catarina.

Como falamos, um profissional dessa área pode atuar, também, como fiscal nas propriedades e nas atividades pesqueiras, avaliando se a legislação e normas vigentes estão sendo devidamente cumpridas. É possível então trabalhar em órgãos públicos, podendo assumir o cargo por meio de concurso público.

Qual a média salarial?

A média salarial de um engenheiro de aquicultura e pesca, iniciando em sua carreira, é de R$ 3500, podendo alcançar, em média, R$ 7000. Contudo, há até quem consiga alcançar, em cargos de liderança nessa área, remunerações de R$ 14900.

Qual o perfil esperado do engenheiro de aquicultura e pesca?

Como toda área, temos também alguns pontos que evidenciam quais são os parâmetros que são esperados dos profissionais de aquicultura e pesca. Isso vale tanto para habilidades ligadas diretamente com a atividade quanto com aquelas que chamamos de “soft skills”. Vejamos algumas que são esperadas a seguir.

  • deve ser uma pessoa curiosa e buscando constantemente novos conhecimentos;
  • estar em constante atenção sobre as legislações vigentes que dialogam com a sua área;
  • gostar de ciências naturais;
  • ter ciência da importância da sustentabilidade;
  • saber antecipar e resolver problemas.

A Engenharia de Aquicultura e Pesca é um curso que traz um grande potencial de crescimento para sua carreira. Se deseja investir em atuar em uma área com grande demanda e diversas possibilidades de trabalho, pode ser interessante investir nesse ponto.

Ficou ainda alguma dúvida sobre esse curso? Deixe nos comentários!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos