Voltar para a página inicial

Sistema de irrigação: quais são os equipamentos necessários?

Modificado em: outubro 26, 2023

O ato de irrigar o solo com água é uma prática muito utilizada no mundo todo. Os equipamentos para irrigação são materiais que operam em conjunto para suprir a deficiência parcial ou total de água na agricultura. Seu trabalho se resume, basicamente, em fazer a distribuição de determinado volume de água em uma área específica e, assim, fornecer ao solo a umidade que ele necessita para o desenvolvimento do plantio.

Como as chuvas estão cada vez mais irregulares, e os níveis de água nos mananciais abaixo do necessário, a irrigação se tornou fundamental para a agropecuária. No decorrer dos anos, surgiram novas técnicas que ajudam a controlar melhor a demanda de água que chega até as plantações. Este texto foi pensado nessa situação, e vamos apresentar algumas informações sobre os equipamentos mais utilizados para irrigação. Então, continue com a leitura!

A importância da irrigação e seus objetivos

A importância está na complementação. Isso porque a água das chuvas pode ser insuficiente para os trabalhos da propriedade e, assim, fornece ao solo uma umidade considerável para atender às deficiências hídricas dos plantios. O sucesso ou fracasso de uma plantação está relacionado à eficiência da irrigação, priorizando a sustentabilidade e o não desperdício de água. Confira:

  • aumento da produção de alimentos;
  • maior oferta de produtos agrícolas;
  • mais padronização e qualidade;
  • aumento da área de plantio;
  • novos mercados consumidores;
  • redução dos custos;
  • aumento da receita.

Quando o sistema é bem planejado e implantado, o aumento da produção pode chegar a 3 vezes mais do que a cultura dependente de água da chuva. Portanto, para o incremento da produtividade, a modernização e a introdução de novas técnicas são muito bem-vindas. A seguir, veja alguns objetivos do uso da irrigação:

  • aumento da produtividade;
  • redução das perdas na lavoura;
  • redução dos riscos de seca e estiagem;
  • ajuda na aplicação de insumos.

Destacamos que a água disponível para irrigação precisa atender às boas práticas de qualidade e, periodicamente, passar por análises antes de seu uso.

Os principais sistemas de irrigação

É importante avaliar os diversos fatores envolvidos, pois são decisivos para decidir qual sistema adotar. A seguir, apresentamos alguns dos sistemas mais utilizados no Brasil.

Superfície

A água passa por canais e é absorvida pelo solo, e o excesso é esgotado por uma vala. A irrigação por superfície tem como vantagens:

  • aumento do processo de fotossíntese a partir do reflexo na água;
  • custo de manutenção menor que outros sistemas.

Aspersão

Utilizada para projetar jatos de água. Assim que atingem determinada altura, retornam ao chão sob forma de gotículas, simulando uma chuva artificial. O sistema é de baixo custo operacional e tem um bom controle da lâmina de irrigação.

  • adapta-se a todos os tipos de solos;
  • regularidade no volume de água por metro quadrado;
  • estrutura ajustável e diversificada;
  • pode ser utilizada em conjunto com fertirrigação.

Gotejamento

A água passa por diversos tubos que possuem gotejadores ao longo de seu comprimento por onde a água sai para o solo e atinge as raízes das plantas. Demanda medições bem específicas para manter a estabilidade do sistema:

  • proporciona economia de energia e mão de obra;
  • adapta a diferentes solos;
  • facilita a aplicação de fertilizantes.

No entanto, quando à opção por um ou outro, é importante avaliar a necessidade de cada produtor e o tamanho da lavoura. Conhecer, ainda, o volume disponível na região para a irrigação é fundamental. A escolha dos equipamentos está diretamente relacionada com o sistema que será adotado na propriedade.

Os equipamentos para irrigação por aspersão

Nesse sistema, os principais materiais empregados são os seguintes.

Tubulações

A rede de tubulações é constituída por linhas: principal e laterais. A principal leva a água desde a motobomba até as laterais, que, geralmente, são fixas. Até os aspersores, a água é conduzida pelas linhas laterais. Nesse trecho, as tubulações devem ser leves com engates rápidos. As tubulações são em PVC rígido, próprios para irrigação.

Motobomba

O conjunto motobomba é de vital importância para o sistema, sendo utilizada a bomba para a pressurização da rede de tubulações e, assim, não comprometer o funcionamento dos aspersores. Se o reservatório for enterrado, utilize bomba submersível.

Aspersores

São dispositivos responsáveis pelo lançamento do jato de água no ar, que caem como uma névoa sobre a plantação. Pode ter um giro completo ou setorial. O ângulo de inclinação mais utilizado é o de 30 graus. Quando o vento for muito forte, pode-se utilizar a inclinação de 20 até 22 graus.

Acessórios

Os acessórios que complementam o sistema são:

  • tubos de subida;
  • acoplamentos;
  • válvulas e registros;
  • conexões em PVC etc.

Os equipamentos do sistema de gotejamento

No sistema por gotejamento, os principais equipamentos são:

  •  os gotejadores;
  •  linhas laterais — tubulação de PVC ou lona, com fios de poliéster;
  •  linha principal e ramais de derivação — tubos em PVC de 35 mm, 50 mm,
  •  75 mm ou 100 mm;
  •  filtros separadores — de tela, de disco ou de areia;
  •  equipamentos para automação — controladores, válvulas solenoides e
  •  controladores de pressão;
  •  controladora de bomba, ventosa, antivácuo;
  •  reservatórios, injetores, agitadores para fertirrigação;
  •  conjunto motobomba, transformador etc.

Porém, como os gotejadores são suscetíveis ao entupimento, faz-se necessário utilizar o filtro de areia, como também demais filtros listados anteriormente. Isso é feito para impedir que sujidades ou outras partículas entupam os gotejadores e prejudiquem seu funcionamento.

A escolha do sistema ideal

Não existe um sistema ideal. A seleção se dá em razão de alguns fatores que vão determinar se esse ou aquele outro sistema é mais adequado. Vejamos:

  • plantio — cada cultura pede um cuidado específico, ou seja, cada espécie precisa de quantidades de água diferentes para o seu desenvolvimento;
  • solo — os nutrientes presentes no solo são essenciais para que a produção se desenvolva satisfatoriamente, e a velocidade de infiltração é o fator determinante para a escolha do sistema;
  • clima — determina se o sistema será para complementar ou para regiões onde há ausência de chuvas por longos períodos;
  • água — esse recurso vai influenciar o tipo de sistema de irrigação que deverá ser implantado;
  • topografia — determina se o custo será alto ou baixo em virtude da inclinação do relevo.

Os avanços tecnológicos chegaram no campo e vêm revolucionando os equipamentos para irrigação. Estamos na era da previsibilidade, e, evidentemente, os dispositivos e acessórios não ficariam de fora desse progresso. No entanto, para um bom dimensionamento do sistema, não hesite em procurar revendas e profissionais capacitados.

Então, para mais informações sobre os equipamentos para um sistema de irrigação, entre em contato conosco. Teremos o maior prazer em atendê-lo!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos