Cadastre-se e receba novidades  
Selecione o assunto de seu interesse:
Enviando sua inscrição  
Loading...
Barracas de Feira

Como o feirante deve calcular o capital de giro? Entenda aqui!

capital de giro

Feirantes sabem como é necessário se organizar para garantir que as compras para a semana sejam feitas sem problemas. Estamos falando de dinheiro e da importância de sempre ter valores à disposição, mas não só para adquirir mercadoria.

É preciso abastecer o veículo de transporte, pagar ajudantes e arcar com muitas outras despesas. Por isso, ter um capital de giro é tão importante! Nem todo trabalhador sabe, exatamente, do que se trata esse termo. No entanto, ele é mais simples do que pode parecer.

Por vezes, o lucro alto e a necessidade de arcar com as despesas pessoais e familiares atrapalham o feirante na hora de organizar as contas. Por isso, pensar na sua atividade comercial como uma empresa é o ponto de partida para administrar bem o seu dinheiro!

Neste post, falaremos mais sobre o que é o capital de giro e como ele é importante para o feirante! Saiba como controlar esses valores e como definir o quanto é preciso deixar reservado.

Entenda melhor o que é o capital de giro e sua importância

O capital de giro é o valor que todo comerciante precisa ter como reserva para que seu negócio funcione adequadamente. No caso dos feirantes, basta pensar em todo o custo mínimo e básico necessário para fazer com que sua barraca esteja abastecida, montada e pronta para receber os clientes em cada uma das feiras de que você participa.

É preciso comprar os produtos junto ao fornecedor, pagar seus ajudantes, semanal ou mensalmente, abastecer seu veículo, realizar a manutenção da barraca, adquirir novas lonas de cobertura, além de muitas outras necessidades da rotina. Sem ter um caixa com dinheiro reservado para isso, como manter todas essas obrigações devidamente cumpridas?

Por mais que seja fundamental, nem sempre o capital de giro é mantido, o que gera problemas. O comerciante compra seus produtos para vender, comercializa tudo na feira e já embolsa o lucro. Para muitos, essa é a forma de lidar com o dinheiro, até mesmo por necessidade — mas o ideal é se organizar de maneira mais detalhada.

Capital de giro tem a ver com a importância do planejamento

Na urgência de lucrar para pagar despesas em casa, como a escola dos filhos, o plano de saúde, ou outras contas, o feirante tende a usar os seus lucros assim que os recebe. Pode parecer correto fazer isso, mas é importante pensar em como manter o seu negócio funcionando bem, sem dificuldades e, além disso, ter organização para lidar com imprevistos.

Uma falha mecânica no veículo, por exemplo, é uma despesa inesperada que pode atrapalhar muito. Se aquele feirante não tem dinheiro em reserva, fica difícil custear o conserto do carro. Sendo assim, como se deslocar para as feiras? O capital de giro ajuda a lidar com esses possíveis acontecimentos, além de ser um dinheiro de cobertura.

É natural que alguns dias sejam mais fracos de venda, mas isso não precisa se tornar um problema. O capital de giro, ou seja, aquele valor de reserva, também vai ajudar a manter o negócio funcionando, mesmo quando há pouco dinheiro entrando. Do contrário, pode ser difícil comprar mais produto para a próxima feira, se o lucro do dia anterior foi baixo.

Saiba como calcular o capital de giro

O cálculo de capital de giro aplicado em empresas é um pouco mais complicado, já que há diferentes origens de entrada de dinheiro e muito mais despesas do que um feirante. No seu caso, é mais simples identificar todo o lucro e, principalmente, as suas despesas. Por isso, é mais fácil pensar em qual deverá ser o seu capital de giro básico.

Primeiramente, comece anotando quais são as despesas básicas que o seu negócio de feirante tem. Você deve incluir tudo que está relacionado ao seu dia a dia — dos custos principais, como o valor médio semanal de compra de produtos, até estimativas de despesas emergenciais, como o conserto da barraca ou até mesmo a cobertura em dinheiro de um dia ou de uma semana, de vendas ruins.

ebook-feirantePowered by Rock Convert

Você precisará, então, chegar ao valor mais preciso possível. O que é mais fácil de calcular, como o custo de combustível semanal, precisa ser anotado rigorosamente. Já os custos emergenciais precisam de uma estimativa realista. Pronto: esse será o seu valor de capital de giro, o que significa que é necessário ter sempre esse dinheiro como reserva na sua conta.

Reposição contínua

Conforme esse valor for gasto, é fundamental que ele seja reposto. Dessa maneira, é necessário sempre recolher o dinheiro das vendas e, a partir dele, separar o que é seu lucro pessoal e o que vai ser direcionado para recompor o capital de giro do seu negócio.

Com esse nível de organização, toda vez que for necessário custear algo ou lidar com uma despesa, você poderá usar o capital de giro, em vez de ter que tirar do seu próprio bolso. Se isso não for feito, os problemas financeiros vão ser constantes, podendo até mesmo chegar ao ponto de faltar dinheiro para as atividades principais ou para pagar despesas emergenciais.

Saiba como administrar o capital de giro

A parte mais difícil é, justamente, saber administrar o capital de giro. Afinal, ele é um dinheiro de reserva, mas que é constantemente usado.

Para manter tudo em ordem, é necessário sempre repor e continuar com a organização de separar uma parte dos lucros para essa finalidade. A seguir, confira algumas dicas básicas, mas fundamentais para se manter disciplinado!

Reveja frequentemente seu capital de giro

O seu capital de giro hoje pode não ser o mesmo do mês que vem, por exemplo. Isso acontece porque o preço de tudo está sujeito a mudanças, ou seja, os custos para manter o seu negócio em atividade podem mudar. Por isso, sempre reveja se o dinheiro que você tem em reserva é suficiente, avaliando esse valor semanal, quinzenal ou mensalmente.

Defina o quanto deve ser separado do seu lucro

A etapa mais importante na manutenção do capital de giro é quando você tem o lucro em mãos. Em alguns momentos, a vontade ou a necessidade de usar todo o valor podem falar alto, mas a organização precisa ser mantida.

Por isso, defina e siga rigorosamente sua determinação de quanto precisa ser separado do lucro. Isso pode ser um valor fixo ou um percentual, como 20% do rendimento de cada dia de feira.

Sempre reponha seu capital

O capital de giro é feito para ser usado, por mais que ele seja uma reserva. A ideia é que nunca falte dinheiro para a manutenção das atividades do feirante.

Para que isso não mude, é simples: reponha todo valor que for gasto desse montante. É por isso que você precisa dedicar uma parte de todo seu lucro para o capital de giro, mantendo ele seguro e sempre completo.

Quanto mais organizado o feirante for, menores são as chances de ele passar aperto, mesmo nas épocas em que as vendas não estão boas. O capital de giro é uma prática simples e que será de grande ajuda para organizar as finanças e evitar sufoco!

Aproveite e confira algumas boas dicas de empreendedorismo para feirantes!

Powered by Rock Convert