+55 (11) 2139-2888 [email protected] Voltar para a página inicial
ACESSAR LOJA
+55 (11) 2139-2888 [email protected]
×

Rússia e Ucrânia: como o conflito impacta diretamente no agronegócio

Modificado em: maio 31, 2023

Você já deve ter ouvido falar por aí que a guerra entre a Rússia e Ucrânia impactou — e ainda vai impactar — profundamente o agronegócio. Mas nem sempre as causas dessa interferência são compreensíveis para nós, especialmente o porquê de elas afetarem o agro aqui do outro lado, no Brasil.

O conflito entre os países segue firme infelizmente, e os impactos econômicos já estão se espalhando pelo mundo, mexendo na dinâmica de oferta e demanda por grãos — especialmente o trigo e o milho, que são ofertados, principalmente, por essa região.

Agora, chegou a hora de entender quais são os motivos que levam a esses impactos. Quer saber mais? Continue a leitura deste post e confira!

Qual é a relação entre a guerra e o agronegócio?

Sempre que uma guerra acontece, ela interrompe todos os acontecimentos habituais de um país, incluindo a sua produção agrícola e industrial. Se esse país for um forte exportador de algum item, isso acaba afetando diretamente os preços desse produto, a começar pelos países que compram dele e, depois, para os demais.

O motivo é bem simples: com a interrupção da produção, a oferta do item cai consideravelmente. E, como justifica a lei de oferta e demanda, sempre que a disponibilidade de um produto diminui no mercado, os seus preços aumentam.

A Rússia é o segundo país que mais produz nitrogênio no mundo. É o terceiro maior produtor de fósforo e de potássio, além de ser um grande produtor de insumos que compõem fertilizantes internacionalmente utilizados. Também é um dos maiores produtores de trigo e de milho.

Com a guerra e a redução expressiva na disponibilidade desses itens no mercado internacional, o agronegócio experimenta uma subida considerável nos seus custos com fertilizantes, por exemplo. E isso vai mexer nos preços exercidos para o consumidor final.

Como a guerra impacta as economias regionais?

Com a suspensão da importação de produtos como o trigo e o milho, bem como os fertilizantes da Rússia e da Ucrânia, muitos custos aumentam para os produtores locais. Faltam insumos para produzir mais alimentos, incluindo a produção pecuária.

Isso aumenta o preço para os consumidores, que muitas vezes não conseguem acompanhar o mercado e deixam de comprar alguns produtos. Sem tanta demanda, os produtores não têm lucro ao continuar investindo, o que pode extinguir quase que por completo algumas atividades de mapas específicos.

Os resultados podem ser extremamente negativos ou positivos, se os produtores forem criativos. Muitos produtores de soja e de outros grãos podem redirecionar suas atividades para começar a suprir essa demanda por milho e trigo, estabelecendo novas parcerias comerciais — regionais ou internacionais.

Essa também acaba sendo uma ótima oportunidade para estudar alternativas, como acontece no caso dos fertilizantes. Se a dependência desse itens é tão grande e a sua produção decaiu significativamente, talvez seja hora de pensar em métodos agroecológicos de combater certas ameaças e promover a maior produtividade.

De qualquer maneira, os resultados econômicos conquistados localmente vão depender do empenho dos pequenos produtores em contornar o problema e encontrar uma alternativa para continuar alimentando a cadeia de suprimentos. Afinal, no momento em que ela para, todos pagam por isso.

De que forma ela impacta as relações internacionais?

Em geral, quando uma guerra acontece, os países que não estão envolvidos diretamente contam com alguns mecanismos para tentar deter os danos. Para não realizar intervenções militares e talvez piorar o cenário, ocasionando uma guerra de ordem mundial, existem interferências mais pontuais.

No caso da guerra entre a Rússia e Ucrânia, as nações optaram por penalizar a Rússia com sanções comerciais. O objetivo dessa ação é justamente isolar a Rússia economicamente para que ela não consiga continuar operando enquanto não resolver seus conflitos de maneira diplomática.

Quais são os impactos da guerra na economia global?

O grande impacto econômico sofrido pelas demais nações em casos de sanções comerciais é que muitas delas importam produtos dos países envolvidos. No caso da Rússia, ela é uma forte exportadora de muitos itens, como você já viu, o que não só encarece esses itens para os demais países, como também reduz consideravelmente a sua disponibilidade.

O setor agrícola brasileiro é um dos que mais sofrem esse impacto, por depender de itens russos. Assim, os produtores estão comprando insumos que estão sendo retirados dos estoques, mas não podem ser repostos — pelo menos, não da Rússia.

Isso fragiliza a economia interna de diversas nações, além de fomentar a inflação. Com a subida dos preços, todo o sistema econômico começa a ter desafios para enfrentar, como garantir a segurança alimentar da população, ao mesmo tempo em que mantém suas empresas abertas.

Basicamente, sem recursos importantes, como os fertilizantes, não há produção suficiente de alimentos. Isso ocorre no Brasil, em toda a América Latina e até em países europeus que compram ou compravam da Rússia. Esse é um problema de ordem global.

Mas é interessante observar que, junto desse enorme problema, também surge uma oportunidade relevante: descentralizar o fornecimento de determinados insumos. Os países têm a chance de estabelecer novas alianças e relações comerciais, distribuindo melhor o dinheiro e acelerando o desenvolvimento de países que antes não tinham tanta abertura de mercado.

Além disso, muitos países podem procurar seus próprios meios de produzir ou intensificar internamente a produção de produtos viáveis em seu território. É assim que alguns lugares vão se tornando mais autossuficientes e se fortalecendo economicamente.

Como você viu, uma guerra acaba provocando impactos profundos em diversos países, mesmo que eles não estejam envolvidos no conflito. Então, além dos danos humanitários irreparáveis, é preciso pensar em formas de evitar outros danos adicionais, como essas perdas importantes no mercado internacional.

O agronegócio brasileiro é um dos mais diversificados e, por isso, tem total condições de aproveitar essa crise para aumentar a exportação de muitos dos seus produtos. Além disso, sempre existe a alternativa de estabelecer novas parcerias com outros fornecedores, descentralizando o volume de compra e se tornando menos dependente de um único país.

Agora que você já está por dentro do impactos causados pelo conflito entre Rússia e Ucrânia, aproveite para compartilhar este post com outras pessoas nas redes sociais!

Novidades

Cadastre-se na nossa newsletter
e receba notícias em seu e-mail

icon_newsletter

Selecione o assunto do seu interesse

    Banner Tanque Circular

    Materiais Gratuitos