Carregando, por favor aguarde
Cadastre-se e receba novidades

Piscicultura

Tudo o que você precisa saber sobre lona para piscicultura

Lona para Piscicultura

O negócio de criação de peixes é rentável e tem crescido em todo o país com diferentes espécies e em áreas distintas. Nesse ramo, a lona para piscicultura se tornou fundamental, tendo a função de recobrimento e impermeabilização de tanques e viveiros para a produção de organismos aquáticos e proporcionando vantagens que têm ajudado os criadores a terem resultados cada vez melhores.

Entretanto, para começar a usá-la, é importante ter em mente que ela demanda cuidados específicos em sua instalação, bem como na manutenção e conservação, acarretando alterações no manejo alimentar e nos cuidados com a manutenção da qualidade da água para o crescimento dos peixes.

Se você tem interesse na criação de peixes, há muito o que conhecer sobre a lona para piscicultura. Continue a leitura e saiba mais sobre o material, além de como montar e conservar.

Qual é a influência da lona nos tanques de piscicultura?

A piscicultura sofreu algumas mudanças ao longo dos últimos anos com a chegada de novos recursos. A lona foi um deles, permitindo que melhores condições fossem oferecidas para o desenvolvimento desses animais. No entanto, elas precisam ser específicas para essa atividade, pois isso garante a durabilidade e as vantagens que os criadores procuram para ter uma atividade otimizada.

Apesar de ser amplamente conhecida como lona para piscicultura, o nome técnico desse material é geomembrana. Esse material é utilizado especialmente para o revestimento de tanques e viveiros escavados, já que se adaptam com facilidade às condições em que essas criações são instaladas.

Em primeiro lugar, elas podem ser usadas em diferentes propostas de criação. Além disso, o material não é agressivo aos peixes e ainda ajuda na conservação da água. Isso influencia diretamente a qualidade da carne do pescado quando chega ao mercado e, principalmente, quando chega à mesa do consumidor.

A lona para piscicultura trouxe uma série de ganhos à atividade, permitindo que novos tanques fossem desenvolvidos em localidades distintas. Os diferentes materiais também não são mais as únicas opções, já que a lona cumpre bem o papel ao qual se propõe.

Tanques suspensos

Mais modernos, os tanques suspensos são estruturas já prontas que têm a sua armação rígida revestida por um bolsão de lona para piscicultura acoplada. Eles são compostos por laminados de PVC flexível e têm o reforço de um tecido elaborado com fios de poliéster de alta tenacidade.

O conjunto, bolsão de lona e estrutura, funciona muito bem, já que é preparado para receber organismos aquáticos. O que traz essa adaptação é justamente a lona para piscicultura, que permite o desenvolvimento das espécies da melhor forma.

Seu formato lembra caixas d’água residenciais mais tradicionais, porém são maiores e também podem ser mais profundos. Além disso, são mais tecnológicos, contando com equipamentos destinados à manutenção da qualidade da água, entre outros recursos.

Por terem um tamanho reduzido e serem impermeáveis, esses tanques contribuem para a conservação da água e permitem a criação dos peixes em espaços menores, o que amplia a chance de entrada de novos piscicultores no mercado.

São uma alternativa mais rápida e prática, porque o tempo de implantação também é muito menor, quando comparado à construção de uma piscigranja tradicional, com obras de terraplanagem para escavação de tanques e viveiros, por exemplo. Em um tanque suspenso, o solo e a terra têm menor influência no desenvolvimento dos organismos alojados.

Vinitank

Tanques e viveiros escavados

São, literalmente, aqueles construídos e escavados diretamente no solo. A terra é movimentada, gerando o espaço em que os peixes serão alocados dentro da água. Para evitar que as espécies tenham contato direto com a terra, são usadas as lonas para piscicultura, como geomebrana, vinimanta® e vinigeomanta®.

Por ser flexível e de manuseio simples, esses materiais são os mais adequados para as escavações de açudes. O resultado é uma espécie de lago artificial, o qual pode ser redondo, quadrado ou de qualquer outro tamanho e forma que o criador quiser e o terreno permitir.

As mantas compostas de PVC (também chamadas de geomembrana) favorecem a manutenção da qualidade do habitat aquático, tornando o tanque e o viveiro mais eficientes na produção de espécies de organismos aquáticos.

A construção de açudes já era uma prática comum na criação de peixes. Entretanto, nem toda localidade era apropriada e escavar o solo é uma tarefa árdua que nem sempre resultava em áreas apropriadas para a atividade.

Com a manta é possível abrir açudes em qualquer localidade sem precisar se preocupar com características específicas do solo. Assim, desníveis e características físicas da terra passam a não ter impacto na criação, já que a lona utilizada para a cobertura é impermeável e suficientemente resistente para se adaptar a qualquer açude.

Em uma área ampla de terra, diversos tanques podem ser construídos um ao lado do outro. Para isso, basta que em cada um deles seja usada a lona. Assim, o criador consegue ter sistemas diferentes que podem ter o foco em espécies distintas de peixes e camarões, além de outras opções para a aquicultura ao mesmo tempo.

Gaiolas flutuantes

As gaiolas flutuantes, também conhecidas como tanques-rede, são alternativas amplamente utilizadas na produção de organismos aquáticos em grandes corpos d’água. O uso de telas e redes cobertas e revestidas com formulações especiais de PVC de alta aderência facilita o manejo diário da fazenda aquática.

Esses materiais ainda reduzem a fixação de organismos aquáticos indesejados nos tanques, o que previne a colmatação dessas estruturas. Assim, a água pode frequentemente se renovar, mantendo sua qualidade e favorecendo o desenvolvimento das espécies.

Viveiros e tanques escavados

Além dos tanques, os viveiros naturais escavados, utilizados na produção de organismos aquáticos, proporcionam um ambiente de criação mais próximo ao natural. Neles, os peixes têm condições muito próximas ao que encontram em seu habitat, o que também representa menores possibilidades de controlar o ambiente e o desenvolvimento das espécies.

O uso da lona traz recursos mais direcionados a um controle eficiente das condições favoráveis ao crescimento dos peixes. Dessa forma, a intervenção do criador resulta em um produto que chega mais rápido ao mercado, gerando melhores e crescentes oportunidades de negócio.

Como a tecnologia é aplicada à atividade?

Por ser um país rico em agricultura e atividades de aquicultura, o Brasil tem um trabalho constante de desenvolvimento de tecnologias e recursos aplicáveis a esses segmentos. Isso possibilita soluções pontuais e que atendam às demandas mais emergenciais dos criadores.

A lona para piscicultura surgiu a partir dessa proposta, de modo que pudesse favorecer as condições de desenvolvimento dos organismos aquáticos. Esse trabalho direcionado resultou em um material que atende às exigências mínimas para a criação de espécies aquáticas, considerando a legislação de aquicultura.

Indo mais além, as lonas são totalmente voltadas para a otimização das condições de produção de peixes, crustáceos, moluscos, répteis e anfíbios, fazendo um trabalho de favorecimento ao que o tanque, viveiro, reservatório ou o açude, já possui.

O piscicultor tem no material todas as suas necessidades devidamente atendidas. Isso engloba tanto facilidades para a manutenção da qualidade da água quanto condições mais apropriadas para a alimentação e o desenvolvimento dos organismos aquáticos.

Esse conjunto de valores permite que as espécies cheguem ao mercado no tamanho ideal, sendo que esse padrão tem influência direta no sucesso do negócio do aquicultor.

Quais são as características da lona para piscicultura?

Todas as utilidades e benefícios da aplicação da geomembrana em reservatórios, tanques e viveiros de produção de organismos aquáticos trazem resultados claros que a tornam indispensável tanto para o criador iniciante quanto para o experiente.

Como você viu, a concepção da lona foi toda dedicada à atividade, por isso é capaz de agregar vantagens e trazer facilidades para questões próprias ao manejo e manutenção de unidades de produção de peixes e à conservação da água.

A piscicultura é um trabalho de produção que depende de cuidados básicos e imprescindíveis para ser lucrativo. Nesse contexto, a lona surge como um material que melhor se adapta e entrega todos os recursos necessários para que as espécies se desenvolvam bem.

São muitos os fatores que impactam no tamanho, no sabor e na aparência dos peixes. Essas características são muito relevantes para o mercado consumidor e precisam seguir altos padrões de qualidade. A seguir, entenda como a lona para aquicultura contribui com a agregação de valor ao pescado e para a otimização da criação.

Acelera o ciclo de produção das espécies

Cada espécie de peixe tem um ciclo de produção específico. Ou seja, o tempo necessário para que os animais cresçam e se desenvolvam naturalmente. Para isso, é necessário aplicar os devidos cuidados. Nesse processo, uma série de fatores influencia na duração do ciclo, que também pode ser acelerado de acordo com os recursos disponíveis.

Junto a outras práticas de manejo, a lona para piscicultura, quando utilizada para revestir os tanques, é capaz de acelerar o ciclo de desenvolvimento dos organismos aquáticos. Essa otimização de tempo é obtida justamente por conta das melhores condições de criação, independentemente das espécies.

Ao piscicultor, um ciclo menor representa lucros mais rápidos — e talvez maiores —, o que pode proporcionar o desenvolvimento acelerado do negócio.

Mantém a temperatura ideal na criação

Ainda que esteja exposta às mudanças climáticas, a água precisa de um controle maior em relação às suas condições, pois isso interfere diretamente na criação dos organismos.

Entre esses cuidados fundamentais está a manutenção da temperatura, que precisa ser homogênea o suficiente para que os peixes se desenvolvam no menor espaço de tempo e sem nenhum problema. Caso contrário, espécies de organismos pecilotérmicos podem ser prejudicadas em épocas em que as temperaturas tendem ao extremo, como ocorre no verão e no inverno.

As lonas para piscicultura — vinimanta®, vinigeomanta® e vinilona® — foram desenvolvidas em materiais resistentes. O PVC utilizado para a produção da vinilona® de cobertura dos tanques e viveiros ajuda a amenizar o atingimento dos extremos de temperatura durante a produção dos peixes, podendo ser considerado um isolante térmico.

Temperaturas extremas tornam o local de crescimento dos peixes impróprio e prejudicam o desenvolvimento sadio das espécies. O excesso do calor, por exemplo, acelera a decomposição de materiais orgânicos e restos de alimentos, prejudicando rapidamente a qualidade da água.

Facilita a construção de tanques, reservatórios e açudes

Os tanques, reservatórios e açudes são ótimas alternativas de estruturas naturais destinadas à produção de organismos aquáticos. Quem tem espaço em sua propriedade pode cavá-los diretamente na terra com as dimensões que tiver disponíveis.

No entanto, a água diretamente em contato com o solo pode não ser a melhor alternativa, gerando a necessidade de utilizar os materiais disponíveis para revestimento e impermeabilização. Nessas situações, as lonas podem ser utilizadas para tornar um local rústico em uma área totalmente apropriada para a criação de peixes e outros organismos aquáticos.

O uso de lonas tende a reduzir a influência do tipo de solo sobre a qualidade da água, além de impedir a perda de água por infiltração, sendo imprescindível para quem tem a perspectiva de construir açudes.

Apresenta um ótimo índice de relação custo-benefício

O custo de produção na piscicultura é sempre uma dúvida recorrente entre quem quer iniciar no mercado e na avaliação de um ciclo produtivo. A busca é por alternativas mais baratas, mantendo a qualidade do produto. A lona para piscicultura mantém o nível sem atrapalhar a atividade e gera um bom custo-benefício.

Construir tanques de alvenaria ou concreto, por exemplo, tem um custo de implantação muito maior quando comparado à construção de tanques, reservatórios, açudes ou viveiros naturais escavados. Esses últimos são estruturas mais simples, que devem ser dedicadas à produção extensiva e semi-intensiva.

Além disso, tijolos e o próprio concreto, apresentam em suas composições substâncias que podem ser prejudiciais à qualidade da água e, consequentemente, aos peixes e todos os outros organismos aquáticos.

A lona não gera nenhum impacto negativo à atividade. Além disso, seu preço é um fator que também deve ser considerado, juntamente à facilidade que proporciona à manutenção das condições ideais para que as espécies se desenvolvam.

Ajuda na conservação da qualidade da água

Os parâmetros da qualidade da água têm importância enorme para o desenvolvimento das espécies alojadas nos tanques, reservatórios, açudes e viveiros. Há a influência direta nos requisitos exigidos pelo mercado, quando produzidos por métodos de criação padronizados e repletos de cuidados. A lona permite que a água mantenha seu padrão de qualidade, sendo um ambiente apropriado aos peixes.

Prática comum, o uso de aeradores em viveiros revestidos com lona proporciona o aumento da densidade de estocagem dos animais aquáticos, já que permitem a incorporação do oxigênio presente no ar atmosférico.

As lonas também protegem o solo da correnteza produzida pelo uso de aeradores, evitando a erosão no fundo dos viveiros, além de suspender partículas minerais que causam danos aos filamentos branquiais dos organismos aquáticos alojados.

Retém nutrientes adequadamente

O fato de a lona impermeabilizar o fundo e os taludes dos viveiros escavados reduz os riscos de uma eventual contaminação da água por substâncias contidas no solo. Isso também tem influência direta na retenção de nutrientes presentes na água: em vez de serem complexados e imobilizados diretamente ao solo, eles seguem no habitat dos peixes, favorecendo o desenvolvimento das espécies.

Aos criadores que também trabalham com agricultura ainda há um ganho extra. Por ser rica em nutrientes, essa água pode ser utilizada em outras atividades, como a irrigação das lavouras, contribuindo para o aumento da produção dos vegetais. Essa é também uma prática comum aos pequenos criadores que utilizam sistemas conjugados com a hidroponia.

Como utilizar a lona para montar o tanque para piscicultura?

A utilidade da lona para piscicultura é ampla e você já entendeu melhor os benefícios que ela traz. Um outro ponto que merece destaque é a flexibilidade desses materiais e como eles se adaptam aos diferentes formatos das estruturas de produção dos organismos aquáticos.

Essa versatilidade se mostra muito útil aos produtores. Independentemente do tipo de tanque, a lona é capaz de garantir aos peixes as melhores condições de desenvolvimento.

Atualmente, há dois tipos de estruturas de produção de organismos aquáticos: as escavadas e as suspensas. Em ambas, as lonas podem ser utilizadas como o revestimento ideal. São propostas similares, no entanto, com aplicações bastante diferentes em cada um dos sistemas.

Como escolher a lona ideal para a sua piscicultura?

Todo cuidado é pouco ao escolher sua lona para piscicultura. O material é específico e precisa ter a chancela de marcas renomadas, que realizam pesquisas de laboratório, no campo e testes exaustivos que atestam sua qualidade e adequação de seus produtos aos padrões ISO e à legislação ambiental vigente.

Na hora da decisão, a relação custo-benefício é um ponto que deve ser levado em consideração. Nem sempre o mais barato vai entregar o que você precisa. Pondere sobre as opções disponíveis, considerando a qualidade dos materiais e a reputação do fabricante. Há alguns parâmetros fundamentais que você precisa avaliar antes de escolher a lona:

Preze por marcas renomadas

Fabricantes de renome têm as melhores matérias-primas e tecnologias para produzir uma lona confiável e resistente, que proporcione segurança à atividade. Ao procurar a sua lona, dê prioridade a essas marcas. A maioria delas oferece garantias dos produtos, além de ter um processo de fabricação consolidado, praticado há muito tempo no mercado e equipe de técnicos com ampla experiência para sua aplicação.

Uma das líderes nesse segmento de mercado é a Sansuy. Ela comercializa tanques prontos e painéis confeccionados com lonas especialmente desenvolvidas para a atividade de produção de organismos aquáticos.

Adquira em fornecedores confiáveis

Lojas especializadas e distribuidores autorizados também comercializam as lonas. Geralmente, eles são a ponte entre fabricantes e produtores. Caso você escolha esse meio de compra, busque parceiros que já estejam estabilizados no mercado de piscicultura. Eles ajudarão a escolher os melhores materiais, o espaço, o tamanho e o desenho dos tanques de acordo com a sua necessidade.

Fornecedores confiáveis comercializam apenas materiais certificados e que têm o direcionamento exato para a atividade de produção de organismos aquáticos. Pode ser um risco adquirir uma lona de uso comum em vez do material especializado. Ter esse cuidado descarta um possível episódio de má-fé ou de desconhecimento do produtor interessado ou do corpo técnico desse fornecedor.

Como conservar a lona para piscicultura?

Para que a lona de impermeabilização de tanques e viveiros de produção de organismos aquáticos tenha o melhor desempenho e durabilidade, alguns cuidados básicos são fundamentais. Eles devem ser providenciados logo no momento do planejamento do tanque, já que a manutenção a longo prazo é bastante simples. Veja a seguir algumas dicas de conservação.

Mantenha sobras ao redor do tanque

Ao espalhar a geomembrana pelo espaço cavado, deixe sobras nas laterais e na crista dos aterros que envolvem o tanque para serem ancoradas em valetas abertas ao longo de todo o perímetro. Isso evita que a erosão cause algum tipo de deslizamento de terra, o que pode gerar um enorme prejuízo à criação. Calcule uma sobra de, pelo menos 1,5 metro ao redor de toda a área do tanque.

Faça a compactação do solo no fundo e nos taludes laterais do tanque

Durante a escavação e a realização dos aterros, é fundamental que a terra seja compactada. Os desníveis podem ser prejudiciais à estrutura do conjunto, pois acarretam o escoamento superficial da água das chuvas com potencial de causar erosão no entorno.

A compactação também ajuda a dar forma ao tanque, o que favorece a aplicação da lona, sem que haja o risco de que alguns pontos tenham menos aderência e estabilidade do solo.

Faça um canal de deságue da lona

Os tanques e viveiros revestidos com lona precisam ter a água trocada frequentemente. O uso de motobomba é necessário para fazer com que a água limpa chegue até o tanque com um fluxo potencializado.

Do outro lado, para escoar, é fundamental ter um dispositivo para escoamento e drenagem desse reservatório. Isso ajuda a manter a qualidade do ambiente de criação de organismos aquáticos, além de conservar a estrutura da lona.

Limpe o terreno e remova resíduos

Os resíduos serão muito comuns no solo após a terraplanagem. Alguns deles, por serem mais rígidos, podem colocar em risco a estrutura da lona. Furos, rasgos e outras avarias do tipo são extremamente perigosas, resultando em prejuízos à implantação do projeto. Uma limpeza cuidadosa antes da aplicação da lona é fundamental.

Aplique a lona do lado certo

Normalmente, é o lado avesso da lona que precisa ser colocado em contato com o solo. O outro, geralmente o mais brilhante, fica para cima, voltado para a superfície e em contato direto com a água. Isso permite que algumas das propriedades da lona sejam aproveitadas ao máximo, como sua proteção à degradação pela radiação UV.

Utilize o tamanho adequado nos tanques

Os criadores poderão fazer tanques escavados de todos os tamanhos e formas possíveis, desde que se comprometam a encontrar lonas proporcionais. Há diferentes tamanhos e confecções sob medida. Essa extensão deve ser respeitada, uma vez que isso garante a segurança dos peixes. A lona ideal ajuda a preservar a qualidade da água, do ambiente de produção e a aproveitar todo o espaço do tanque.

Uma criação de qualidade e que renda bons frutos depende cada vez mais de uma lona para piscicultura. Ela é o melhor material de revestimento disponível no mercado, já que conta com a melhor tecnologia com foco no desenvolvimento dos organismos aquáticos.

Gostou deste artigo? Então assine a nossa newsletter e receba outros conteúdos como este diretamente em seu e-mail.